Apresentação Sistemas de Produção

Apresentação Sistemas de Produção

Disciplina: Planejamento e Controle da Produção

Fabiana Schlemper de Souza

Fabiano Soares José Alexandro de Souza

Empresa Viva

À semelhança dos seres vivos, pode- se dizer que as empresas são organismos vivos!

●Cultura interna em constante transformação → Evolução das Espécies

●Sujeitas as Leis do Mercado → Leis na Natureza

Concorrência Externa

Economia fechada a concorrência externa (Brasil até o início dos anos

90). Os preços eram estabelecidos, à partir de uma margem de lucro sobre o custo:

Preço = Custo + Lucro

Concorrência Externa

Com a “globalização” da economia, não é mais possível administrar os preços, desta forma a equação de formação de preço, apesar de manter as variáveis, transforma-se em equação de formação de lucros:

Lucro = Preço - Custo

Diante da nova ótica de concorrência brasileira, três mudanças radicais ocorreram:

●Redução das margens de lucro (30 à 50%);

●Fusões estratégicas entre empresas;

●Mudanças nos modelos de gestão.

Competitividade

“A perda do poder de competitividade das empresas nacionais deve-se em grande parte à obsolescência das práticas gerenciais e tecnológicas aplicadas aos seus sistemas produtivos.”

Corrêa e Gianesi

Indicadores de Desempenho da Indústria

Indicadores Brasil Média Mundial Japão

Valor agregado88 vezes240 vezes335 vezes % investimento em P&D1,45%3 à 5%8 à 12%

Setup de fábrica100 min.10 min.5 min.

Tamanho médio lotes2900 peças20 à 50 peças1 à 10 peças

Lead time médio19 dias2 à 4 dias2 dias

Rotatividade estoques13 vezes/ano 60 à 70 vezes/ano 150 à 200 vezes/ano

Planejamento Estratégico

Táticas Sistema Financeiro Sistema de Marketing Sistema de Produção

Missão

Estratégia Cooporativa Estratégia Competitiva

FinançasMarketing Produção
Plano Financeiro Plano de MarketingPlano de Produção

Estratégia Funcional Fonte: Tubino, 1987, p. 34

Nível coorporativo

Define áreas de negócio, Distribui recursos.

Unidade de negócios Competição mercado Desempenho esperado

Elaboração Dos Planos

Execução Dos Planos

Estratégia Produtiva

Prioridades dos

Critérios de

Desempenho Estratégia

De Produção

Políticas

Da Produção

Qualificadores

Custo Qualidade

Ganhadores

De Pedido

Entrega Flexibilidade

Instalações;

Capacidade Produtiva;

Tecnologia;Verticalização;

Organização; RH; Qualidade; PCP e Novos produtos

Áreas de Decisão

Fonte: Tubino, 1987, p. 39

Estratégia Produtiva

“Estratégia de produção é um conjunto coeso de políticas nas diversas áreas de decisão relativas ao sistema de produção que sustentam a posição competitiva da empresa.”

Tubino

A filosofia JIT/TQC

A filosofia JIT/TQC teve sua origem na década de 60, no Japão, particularmente na Toyota Motors

Company. Aos poucos foi se difundino para outras áreas. Em 1980, com o avanço da economia japonesa o

JIT/TQC foi universalizado e implementado com sucesso no mundo ocidental.

Tubino

Filosofia JIT/TQC

JIT – just-in-time – No tempo Exato TQC – Controle da Qualidade Total

Filosofia JIT/TQC

1. Satisfazer as necessidades do cliente

Reduzir custos Pequenos lotes

Ser flexível

Projetar em conjunto Com cliente

Filosofia JIT/TQC 2. Eliminar desperdícios

Superprodução

Espera

Movimentação Processamento

Estoques

Movimentos improdutivos Produtos defeituosos

Filosofia JIT/TQC 3. Melhorar continuamente

Filosofia JIT/TQC 3. Melhorar continuamente

Zero defeito Zero estoque

Zero movimentação

Zero lead time

Zero setup Lotes unitários

Filosofia JIT/TQC

4. Envolver totalmente as pessoas

Mudanças de atitude

Treinamentos

As pessoas, e não

A tecnologia são A prioridade Nº 1 Da empresa

Filosofia JIT/TQC 5. Organização e visibilidade

Início da luta Contra desperdício

Base motivação

Reformulação De layouts

Classificação dos Sistemas de Produção

●Pelo grau de padronização do produto;

●Pelo tipo de operação que sofre o produto.

●Pela natureza do produto.

Pelo grau de padronização do produto

Produtos sob medida

Desenvolvido para Cliente específico

Não são produzidos Para estoque

Longo prazo de entrega

Pelo tipo de operação Processos contínuos

Alta uniformidade Na produção

Sistema automatizado

Inflexível

Alto investimento MOD insignificante

Pelo tipo de operação

Processos repetitivos em lotes

Lotes médios

Operações necessitam De programação

Flexibilidade MOD polivalente

Pelo tipo de operação

Processo repetitivo em massa

Produção grande Escala

Altamente padronizados

Demanda estável Pouca flexibilidade

Pelo tipo de operação Processo por projeto

Necessidade Específica cliente

Data para Se concluído

Alta flexibilidade

Pela natureza do produto Manufatura de bens

É algo tangível, Pode ser tocado E visto.

Pela natureza do produto Prestação de serviço

Produto intangível,

Pode apenas Ser sentido

Comentários