Blaise Pascal

Blaise Pascal

Blaise Pascal (1623 - 1662)

Blaise Pascal, filho de Etienne Pascal, nasceu no dia 19 de junho em Clermont na França. Sua mãe faleceu três anos após seu nascimento. Em 1632 foi morar em Paris. Seu pai não queria que ele lesse livros de matemática antes dos quinze anos e retirou todos os textos de matemática da casa. No entanto, ao contrário do esperado, isso gerou curiosidade em Blaise e, aos 12 anos, ele mostrou sua aptidão em geometria descobrindo que a soma dos ângulos internos de um triângulo é igual à soma de dois ângulos retos. Daí em diante teve o incentivo de seu pai, que lhe deu uma cópia do livro Os Elementos de Euclides.

Aos 14 anos começou freqüentar, com seu pai, as reuniões informais da Academia de Mersenne em Paris. O propósito desse grupo era incentivar o interesse pelas Ciências, especialmente a Matemática e a Física. Nessas reuniões conheceu o trabalho de Desargues e ainda entrou em contato com o filósofo Descartes (que participou das reuniões quando esteve em Paris), o matemático Roberval, entre vários outros. Aos 16 anos, em 1640, Pascal publicou seu primeiro trabalho sobre geometria, Essay pour les coniques , impresso em uma página que recebeu o nome Teorema de Pascal.

Ensaio para as cônicas.

Pascal inventou a primeira máquina de calcular para ajudar seu pai no trabalho de coletar impostos. Em 1647 se interessou pela hidrostática, realizando várias experiências, comprovou a existência do vácuo e o peso do ar, além de inventar a seringa como subproduto de suas pesquisas. Em 1648, Pascal observou que a pressão atmosférica diminuia com a altura e deduziu que deveria existir vácuo sobre a atmosfera. A sua descoberta sobre o vácuo haveria de causar muita polêmica dado que muitos cientistas não acreditavam na sua existência, especialmente quando Pascal publicou em 1647 New Experiments Concerning Vacuums . O próprio Descartes, em uma visita a Pascal nesse mesmo ano, teria dito posteriormente que "Pascal tinha muito vácuo em sua cabeça".

Novos experimentos envolvendo o vácuo

Seis anos depois, voltou à matemática, realizando uma obra sobre cônicas que não foi publicada sendo possível conhecer seu conteúdo através das anotações de Leibniz que leu uma cópia manuscrita da obra. Esse trabalho foi a continuação do Essay pour les coniques. Neste mesmo ano escreveu Treatise on the Equilibrium of Liquids (1653), que foi nada menos que o primeiro tratado sobre a hidrostática realizado. Essa é considerada a sua maior contribuição para a física teórica.

Tratado sobre o equilíbrio dos líquidos

No mesmo período em que desenvolvia seu trabalho sobre as cônicas, um amigo lhe fez indagações sobre probabilidades de jogos, sendo uma delas sobre dados. Pascal começou a se comunicar com Fermat sobre esse assunto, bastante em discussão na época e por onde Tartaglia, Cardano e Pacioli já haviam se aventurado. A correspondência entre eles acabou por dar início à moderna teoria das probabilidades. Pascal havia relacionado sua pesquisa sobre probabilidades ao triângulo aritmético - esse triângulo existia há mais de 600 anos - hoje é conhecido como triângulo de Pascal. Os coeficientes binomiais utilizados por ele contribuiríam posteriormente para que Newton descobrisse o Teorema Geral do Binômio - que incluia expoentes fracionários e negativos.

Em 1654, Pascal quase perdeu a vida num acidente e embora não tenha se ferido fisicamente, tudo indica que este acontecimento provocou uma grande mudança em seu modo de ser. A partir daí começou a publicar diversos trabalhos anônimos sobre tópicos religiosos e filosóficos, dentre os quais o mais famoso é Pensées que consiste em pensamentos sobre o sofrimento humano e a fé em Deus. Pascal diz então que acreditar em Deus é um ato racional.

Pensamentos

Em 1658, iniciou seu último trabalho, Traité des sinus du quart de cercle , no qual, determinou volumes, áreas e centros de gravidade relacionados a uma ciclóide, sendo uma das obras que ajudou Leibniz a determinar a tangente a uma curva.

Tratado sobre os senos no quarto de um círculo.

Pascal ainda inventou o relógio de pulso, deu origem ao barômetro, foi o primeiro a pensar em um sistema de ônibus e a organizar uma companhia de transporte público. Dono de uma saúde delicada, Pascal passou boa parte de sua vida sofrendo de enxaqueca e, aos 39 anos, faleceu em Paris.

Comentários