A biblia do treinamento de ombro

A biblia do treinamento de ombro

(Parte 1 de 2)

A BÍBLIA DO TREINAMENTO DE OMBROS - Parte I

 

Autor: Christian Thibaudeau

Tradução:

Artigo publicado em 21 de Maio de 2007 na revista online TESTOSTERONE NATION

 

Ganhar os músculos que você quer e onde você quer depende muito da escolha dos exercícios que você fizer. Enquanto é verdade que qualquer exercício, quando feito de forma adequada e com resistência progressiva, irá te levar a adicionar massa muscular, não é verdade que todo exercício foi criado igual. E o mais importante, nem todos os exercícios foram criados iguais para todos!

Os ganhos que você conseguir com um exercício irão depender da sua força, tipo físico, constituição muscular, e outros fatores. Então é realmente impossível dizer exatamente qual exercício você deve usar no seu programa. Ao invés disso eu darei a você uma lista que eu considero ser os melhores exercícios para deltóides e irei lhe dizer as particularidades de cada um pra você ser capaz de determinar quais deles se encaixam melhor no seu programa.

 

Nós iremos dividir os exercícios para deltóides em vários grupos:

1. Exercícios Básicos: Geralmente, estes exercícios terão um efeito mais profundo em toda a massa muscular assim como em ganhos de força. Mesmo assim, eles tenderão a desenvolver certas partes dos deltóides mais do que outras pelo motivo de que o corpo irá usar a porção do músculo adequada para o trabalho.

Na maioria dos casos, estes exercícios básicos darão mais estímulos na cabeça anterior dos deltóides. A cabeça lateral virá em segundo e a cabeça posterior virá por último. Então enquanto estes movimentos são os melhores construtores de massa generalizada, eles não são suficientes para desenvolverem ombros saudáveis.

2. Exercícios secundários: Estes são exercícios intermediários – não são os movimentos básicos, mas também não são exercícios isoladores. Eles são muito bons construtores de massa generalizada, mas podem ser usados para enfatizar certas porções dos deltóides mais do que outras.

3. Auxiliares/exercícios isoladores: Estes movimentos são usados para provocar um stress na parte específica de um músculo. Eles só devem ser usados se uma parte específica dos ombros estiver subdesenvolvida comparada com outra porção, ou se um indivíduo tiver uma das cabeças dos deltóides muito dominante (normalmente a cabeça anterior).

Um trabalho isolador na porção anterior dos deltóides geralmente não será necessário, pois esta parte é totalmente estimulada com os exercícios básicos e secundários. De qualquer forma, movimentos isoladores para as cabeças laterais e posteriores serão necessários para a maioria dos indivíduos.

4. Curativos/preventivos: Estes movimentos são usados para prevenir ou “curar” contusões nos ombros. Na maioria das vezes, estamos falando do trabalho do maguito rotador.

 

Exercícios Básicos para Deltóides

1. O Exercício muscle clean e push press: (arremesso e desenvolvimento) Com este exercício, você simplesmente não consegue evitar o crescimento muscular dos deltóides!

Mas não é um exercício pra qualquer um. Mesmo sendo uma simples variação de um levantamento olímpico, ele continua requerendo alguma coordenação. Mas se você não tiver nenhuma lesão séria e for bem coordenado, não terá problema nenhum em executá-lo.

Este exercício é bi-partido. Primeiramente você arremessa o peso começando da posição pendente (barra pendendo levemente abaixo dos joelhos) movendo-se para cima dos ombros. Em francês, o arremesso é chamado de épaulé que pode ser traduzido como “assumindo” ou “trazendo para os ombros”.

A diferença entre um muscle clean e um power clean é como a diferença entre um push press e um push jerk. Em ambos os exercícios push press e push jerk você usa uma ação simultânea de ambas as pernas e braços para elevar o peso sobre a cabeça. A diferença é que no push press você usa somente um pouco das pernas para alavancar a barra, mas a maioria do trabalho é desempenhada pelos braços.

Em um push jerk os movimentos de pernas e braços são ao contrário: você usa uma impulsão potente que faz a maior parte do trabalho; os braços são secundários a impulsão das pernas.

Então, enquanto em um power clean você usará a força dos membros inferiores do corpo para alavancar o peso até os ombors, , em um muscle clean você usa pouco impulso das pernas para mover a barra, fazendo a maior parte do movimento com a força dos braços. Aqui você pode ver a diferença entre os dois exercícios.

Então no muscle clean e push press você começa trazendo a barra aos ombros, puxando ela dos joelhos para os ombros usando uma pequena ajuda das pernas e uma grande impulsão dos braços. Mantendo a barra perto do seu corpo; sem confundir este movimento com o da rosca direta!

Este é o melhor exercício para adicionar tamanho geral aos seus deltóides. Ele também estimula seus trapézios, então é um completo exercício “transformador de aparência”! Obviamente, ele é um deltóide anterior dominante. Então, mesmo sendo este o melhor exercício geral, ele quase sempre será insuficiente para desenvolver seus ombros por completo. Mas se você só tiver tempo para realizar um exercício, faça este!

2. O desenvolvimento: A primeira parte do muscle clean e desenvolvimento pode ser dura para as juntas dos ombros de alguns indivíduos (como uma puxada vertical), então se você não puder fazer este exercício sem sentir dor, você pode simplesmente fazer a segunda parte do movimento: o desenvolvimento de ombros.

Esta opção é também viável para aqueles que tem um muslce clean bem fraco. Por exemplo, se você puder fazer muscle clean com apenas 60 quilos mas pode fazer desenvolvimento de ombros com 90 quilos por 5 reps, você será limitado pelo estímulo que você puder por nos seus ombros se você escolher o muscle clean e o desenvolvimento de ombros. Neste caso, será muito mais sensato fazer somente o desenvolvimento de ombros.

3. O desenvolvimento militar: vamos ser sinceros: você não pode fazer desenvolvimento militar sentado. É impossível! Um soldado não se senta enquanto está atento, senta?

O termo “militar” se refere a postura tomada durante a execução deste exercício: porte-se como um soldado atento: peito estufado, calcanhares próximos, pernas esticadas, queixo paralelo ao horizonte e ombro para trás.

Depois que a barra tenha sido empurrada para os ombros, execute a segunda parte do movimento: O push press (desenvolvimento). Empurrando a barra dos ombros para cima da cabeça usando uma pequena ajuda das pernas e uma forte ação dos braços. Abaixe a barra pra baixo dos seus ombros, até seus joelhos e comece a próxima rep.

Então o desenvolvimento militar é um levantamento de ombros em pé feito sem nenhuma maneira de roubar ou impulsionar com o corpo: você mantém a postura militar por todo tempo de execução do exercício. Este exercício é um tremendo construtor de ombros e também irá fortalecer a musculatura do tronco, dos serrátils, assim como dos glúteos e da musculatura do quadril.

4. O desenvolviento com barra: Fazer o desenvolvimento de ombros sentando tem algmas vantagens comparado a variação em pé... e algumas desvantagens, também.

A maioria das pessoas irá conseguir usar mais peso sentando do que em pé. Usar mais peso pode gerar um estímulo maior de crescimento nos ombros. Em contrapartida, o desenvolvimento sentado diminui o envolvimento do tronco, glúteos e quadril.

Além disso, fazer este exercício sentado almentará drasticamente o stress na lombar aumentando a compressão da espinha. Quando sentado, a lombar é “comprimida” diretamene entre o peso e o assento. Quando você está em pé, o peso continua lá, mas a força da gravidade é parcialmente “absorvida” pelas pernas e quadris, reduzindo a pressão na lombar.

5. O desenvolvimento militar com halteres: Este exercício é basicamente uma variação do desenvolvimento com halteres. Eu gosto de halteres, pois eles permitem uma pegada mais natural e mais variável na execução. Os halteres também requerem mais estabilização das juntas dos ombros (as quais podem tanto se beneficiarem quanto se prejudicarem).

O principal problema com os halteres é que a medida que você vai se fortalecendo, vai se tornando mais difícil (e também mais perigoso) trazer os halteres para a posição inicial pois é necessário arremessá-los. Descer os halteres no chão ao final da série também põe os ombros e os cotovelos em risco.

6. O desenvolvimento com halteres, sentado: Este exercício é similar tanto nos prós como nos contras, tendo uma característica adicional sobre o desenvolvimento militar com halteres (estabilização dos ombros e mais controle do movimento). O problema de trazer os halteres até a posição inicial é menos pronunciada do que na versão em pé (e um parceiro pode te ajudar mais facilmente), mas será mais problemático quando você alcançar cargas acima de 35 quilos.

Colocar os pesos de volta no chão ao final da série será uma tarefa mais difícil que na versão em pé por que você não poderá usar seus membros inferiores para absorver o choque. As variações com halteres são muito efetivas, até mais que as variações com barra em alguns casos. Mas a medida que um indivíduo vai ganhando força, o uso de halteres poderá atrapalhar mais do que ajudar.

A BÍBLIA DO TREINAMENTO DE OMBROS - Parte II

 

Autor: Christian Thibaudeau
Tradução: v-shape
Artigo publicado em 21 de Maio de 2007 na revista online TESTOSTERONE NATION
 
Exercícios Secundários para Deltóides
7. Desenvolvimento Scott: Este exercício é bem similar ao desenvolvimento Arnold. Assim como nele, começa-se segurando os halteres a sua frente. No desenvolvimento Arnold voe simplesmente empurra os pesos enquanto rotaciona os halteres. No desenvolvimento Scott, você rotaciona os pesos enquanto se move acima da cabeça parecendo com uma elevação lateral exagerada.
Este exercício faz um movimento bem forçado que leva muito stress à porção lateral dos deltóides. Ele também trabalha um pouco a porção posterior. Quando executado corretamente, se torna um dos meus construtores de ombros favoritos.
8. O desenvolvimento em pé unilateral: A vantagem de se fazer este exercício unilateral é que você pode usar a mão livre para ajudar a trazer o peso ao ponto inicial e então colocá-lo no chão terminando assim a série.
Existem também algumas evidências de que os exercícios unilaterais podem ser mais efetivos por recrutarem mais feixes de unidades motoras que darão maior potencial de crescimento.
Um trabalho unilateral também trará um importante componente postural (desde que você trabalhe duro para manter a postura correta usando peso em apenas um lado do corpo) isto pode ser bastante efetivo para quem tiver algum desequilíbrio proporcional ou postural - seu lado mais forte tende a ser mais ativo nos movimentos com barra, deixando a parte mais fraca sub estimulada.
9. O desenvolvimento unilateral no canto: Eu gosto de usar esse exercício para atletas assim como para indivíduos comuns com pequenas lesões nos ombros. (ele pode ser usado no lugar de um desenvolvimento com halteres.) Ele também é mais epecífico para atletas do que para pessoas normais por causa do seu ângulo de execução, ele põe muito menos pressão sobre o maguito rotador do que o desenvolvimento de ombros sobre a cabeça, tornando este movimento relativamente livre de dor para aqueles que tem os ombros lesionados.
Simplesmente coloque o final da barra em algum canto e levante o peso até o final. Comece com a barra a poucos centímetros do seu ombro e empurre para cima e para frente num ângulo de 45 graus. Você pode também fazer este exercício com o auxílio dos membros inferiores, colocando os joelhos em 135 graus para empurrar com as pernas e braços ao mesmo tempo.
10. O desenvolvimento no canto: Este é o mesmo exercício descrito anteriormente, mas feito com os dois braços. Mesmo sendo mais efetivo, eu acho esse exercício um pouco mais problemático do que o unilateral por que conforme você for se fortalecendo, trazer a barra par o ponto inicial poderá se tornar uma tarefa árdua, se não perigosa.
Porém, você pode tornar esta tarefa fácil apoiando as anilhas em algum banquinho, fique na posição de agachamento, então vá sumindo e empurrando a barra.
11. Elevação frontal com barra: Quando nós pensamos em elevação frontal, nós pensamos em movimento isolado para a porção anterior dos deltóides, a qual é muito eficaz, especialmente se feito com halteres com uma pegada em martelo (pegada neutra um pouco mais girada para dentro. Mesmo assim, se feito com barra, com os cotovelos virados para fora (sempre tente apontá-los para o teto) ele é bem efetivo para o ombro todo. Os pontos chaves são:
• Guie o movimento pelos cotovelos. Imagine que você está empurrando os cotovelos, e não a barra.
• Vire seus cotovelos para fora o máximo possível. Isto irá aumentar o envolvimento da cabeça lateral dos deltóides.
• Mantenha o tronco ligeiramente inclinado para frente. Isto irá reduzir a contribuição da porção frontal dos deltóides.
• No final do movimento, tente usar mais a cabeça lateral dos deltóides girando os cotovelos um pouco mais para cima.

(Parte 1 de 2)

Comentários