A Níveis Macroscópicos o atleta parte,

  • A Níveis Macroscópicos o atleta parte,

  • corre e corta

  • a meta.

  • E a Nível

  • Microscópico

  • o que é que

  • acontece?

- Todas as células para gerar o seu metabolismo precisam

  • - Todas as células para gerar o seu metabolismo precisam

  • de energia. Há células

  • em que o consumo

  • energético é moderado,

  • como o caso das células

  • do cérebro, no entanto,

  • células como os glóbulos vermelhos,

  • por não possuírem mitocôndrias, apresentam

  • necessidades energéticas elevadas.

A energia é necessária e é nos

  • A energia é necessária e é nos

  • alimentos que ela se encontra.

  • Cabe-nos a nós, Seres

  • Heterotróficos Obtê-la.

  • A Glicólise, funciona assim

  • Como o primeiro e principal

  • Processo de degradação da

  • glicose, uma molécula

  • potencialmente energética.

- A Glicólise divide-se em duas partes principais:

  • - A Glicólise divide-se em duas partes principais:

Feita por organismos anaeróbicos (o O2 é tóxico e mortal para eles).

  • Feita por organismos anaeróbicos (o O2 é tóxico e mortal para eles).

  • Os anaeróbios não possuem as enzimas responsáveis pelas reações químicas do ciclo de Krebs e da cadeia respiratória.

  • Outros organismos, como o levedo da cerveja ou a célula muscular possuem esse aparato enzimático, mas na falta de O2 podem realizar a fermentação. São os anaeróbicos facultativos.

Aqui, a quebra da glicose termina na glicólise. Não havendo O2 ou não sendo possível utilizá-lo, outra molécula terá de receber os átomos de hidrogênio.

  • Aqui, a quebra da glicose termina na glicólise. Não havendo O2 ou não sendo possível utilizá-lo, outra molécula terá de receber os átomos de hidrogênio.

  • Esta molécula pode ser o ácido pirúvico ou outro fragmento da glicose que, recebendo os átomos de hidrogênio, forma um produto final, terminando o processo.

  • O produto final depende do aparato enzimático da célula e pode ser: álcool etílico, ácido acético, ácido lático ou ácido butírico.

Aqui, a glicose não é totalmente oxidada a gás carbônico e água e a fermentação só libera 5% da molécula de glicose, produzindo apenas 2ATPs.

  • Aqui, a glicose não é totalmente oxidada a gás carbônico e água e a fermentação só libera 5% da molécula de glicose, produzindo apenas 2ATPs.

Os lactobacilos fermentam a glicose a ácido láctico, que coagula o leite, formando uma coalhada ou iogurte.

  • Os lactobacilos fermentam a glicose a ácido láctico, que coagula o leite, formando uma coalhada ou iogurte.

  • Esse ácido é formado quando os hidrogênios retirados da glicose são recebidos pelo ácido pirúvico.

Se a célula muscular estiver em exercício rigoroso, mais fermentação láctica será realizada;

  • Se a célula muscular estiver em exercício rigoroso, mais fermentação láctica será realizada;

  • O produto final é o ácido láctico, que causa dor e fadiga muscular;

  • Este ácido láctico é depois conduzido pela corrente sanguínea até o fígado, onde será transformada em ácido pirúvico e este é transformado em glicose (gliconeogênese).

Realizado pelo Saccharomyces cerevisae;

  • Realizado pelo Saccharomyces cerevisae;

  • Aqui, o ácido pirúvico é descarboxilado antes de receber os hidrogênios do NADH + H+;

  • Assim, são produzidos gas carbônico e álcool etílico;

  • Se houver muito oxigênio, no entanto, a bactéria não realizará fermentação e não haverá formação de álcool para a cerveja e o champagne.

Comentários