Artigo Contabilidade

Artigo Contabilidade

Contabilidade: como pode algo tão antigo como o fogo ser útil hoje?

Dalvi Brunoro Junior

Universidade Federal do Espírito Santo

Departamento de Ciências Contábeis

Raphael Patrício Gonçalves

Universidade Federal do Espírito Santo

Departamento de Ciências Contábeis

Resumo:

Quão antiga é a contabilidade? Essa pergunta muitos se tem feito no decorrer dos anos. Este artigo, dentre muitas coisas abordadas, mostra desde quando se tem uma menção de contabilidade na humanidade. Neste momento você pode estar imaginando que a contabilidade só foi “inventada” há poucos séculos atrás. Você se surpreenderá ao ler este artigo e observar quão antiga é a contabilidade.

Palavras-chave:

Contabilidade. Contabilidade e suas áreas.

1. Introdução

Podemos dizer que a contabilidade é a ciência que conta. A palavra “contar” pode significar várias coisas, mas em especial agora podemos destacar: “mensurar algo em números, contar algo a alguém de confiança e ter alguém como ajuda (poder contar com alguém)”.

Deste modo observamos que a contabilidade é importante. Como ela começou?

2. Historia e ramos contábeis

A contabilidade é tão antiga como o fogo. Sim, desde eras passadas, nas quais os “homens das cavernas” existiam, podemos ver que a contabilidade estava presente. Desde esse tempo os homens eram obrigados a ter uma contagem de todos os seus bens (manadas, cereais, metais e outros bens) que este possuía ou até mesmo conquistava. Uns 6.000 AEC (Antes da Era Comum) egípcios usavam as paredes para contabilizar a quantidade de cereais que estes colhiam, até mesmo usando este meio para controlar o pagamento de tributos. Cerca de 2.000 AEC, os Sumeriamos – um povo que habitou a região sul da Mesopotâmia, entres os rios Eufrates e Tigre – também usavam a contabilidade para se ter uma noção de quanto alguém possuía de uma determinada mercadoria e o valor de troca que esta tinha.

Até mesmo na Bíblia se faz referência a pessoas que utilizavam a contabilidade para se estar ciente de todos os seus bens. O patriarca Jó, no livro no qual leva o seu nome, no capítulo 1, versículo 3, faz menção da quantidade de bens que ele possuía. Além de Jó, podemos lembrar-nos do Rei Salomão que em Eclesiastes capitulo 2 versículos 3 ao 9, onde passa a contabilizar as coisas que este tinha acumulado em seu reinado.

No Brasil a contabilidade chegou com o descobrimento. Mas o desenvolvimento apenas ocorreu com a chegada da família real, que fugia de Portugal, em nosso país. Com este acontecimento ocorreram grandes aumentos, tanto nos gastos como na renda do Estado. Com isso houve a necessidade de se efetuar uma melhor fiscalização

Logo após esta breve descrição de quão antiga é a contabilidade, e que ela era utilizada por povos que, se estivessem vivos hoje, seriam considerados antiquados, surge uma pergunta muito importante: Será que algo tão antigo, que era usado pelos “homens das cavernas” e outros que viveram há milênios atrás, é ainda válido hoje num mundo onde temos um grande avanço tecnológico? A resposta a esta pergunta pode lhe surpreender.

Por que você trabalha o mês todo? Será que trabalha por hobby? Dificilmente responderia isso de maneira positiva. A maioria das pessoas que trabalham faz isso com o objetivo de conquistar algumas coisas em sua vida, seja ela os meios de subsistência ou até mesmo a conquista de objetivos. Para isso estes têm de aumentar seu patrimônio pessoal.

A contabilidade tem como o objeto de estudo o patrimônio, tudo que o possa aumentar e diminuir, os fenômenos que o afetam. Como toda pessoa sensata que deseja ter uma vida confortável e equilibrada com certeza desejará que seu patrimônio não seja perdido e que se possível, aumente.

Para este fim pode-se usar a contabilidade para fiscalizar o seu patrimônio. Além do mais, pode-se observar o uso da contabilidade em diversas áreas, onde ninguém no passado pensaria que a contabilidade ela estaria presente.

2.1 Contabilidade Ambiental

No período que vivemos fala-se muito sobre a preservação do meio ambiente. Países se juntam para achar soluções que sejam plausíveis e sensatas. A cada dia empresas de pequeno e grande porte tem se interessado na responsabilidade ambiental. Sendo a contabilidade um excelente instrumento de identificação, registro, acumulação, análise, interpretação e informação das operações empresariais aos sócios, acionistas e investidores em geral; além dos administradores, obviamente, ela se configura, conforme citado por QUEIROZ (2000; p. 81), como uma ótima aliada da preservação ambiental.

Quem um dia imaginou que a arte de contar e mesura contábil seria usada na preservação do meio ambiente? Bem, se falássemos isso há algumas décadas, seria motivo de troça. Mas hoje, quebrando paradigmas, a contabilidade ambiental chegou pra ficar. No que consiste a contabilidade ambiental?

Consiste em registrar o patrimônio ambiental – bens, direitos e obrigações ambientais - de uma determinada entidade, seu desenvolvimento, seja ele um crescimento ou diminuição. A contabilidade ambiental tem como objetivo mostrar aos usuários ,assim como outros tipos de contabilidade, informações regulares e confiáveis tanto aos externos como aos internos. Ela contabiliza tudo o que modifica o patrimônio ambiental (treinamento de pessoas para a adequação das leis ambientais na produção; investimento na área tecnológica visando à diminuição da emissão de resíduos; Obtenção de renda em ocorrência da venda de materiais que antes eram jogados na natureza) e expressa isso de maneira monetária. Além de tudo isso ela mostra de maneira clara o impacto do funcionamento da entidade no meio ambiente, e mais ainda, ela avalia os possíveis riscos que a atividade exercida pela a entidade pode causa sobre as pessoas, afetando assim a qualidade de vida da população em volta dela. Existe vantagem neste processo?

Podemos dizer que sim, existem vantagens no processo de contabilização. Num mundo onde os recursos naturais estão se esgotando é preciso tomar decisões rápidas e precisas, sendo assim, escriturações contábeis tornam muito mais fácil as tomadas de decisão. A contabilidade ambiental gera relatórios e informações sobre a eficiência das decisões tomadas anteriormente e ajuda na escolha de alternativas. Com a publicação do balanço patrimonial (demonstração contábil que tem por finalidade apresentar a posição contábil, financeira e econômica de uma entidade em determinada data) há uma maior transparência e se dá maior credibilidade a entidade que a faz.

Com este mesmo balanço a empresa pode formar estratégias tanto de melhoras como de continuidade do programa ambiental que pratica. Como observamos mesmo questões tão importantes e bastante comentadas nos dias de hoje como o meio ambiente, há espaço para a contabilidade, espaço este que tende gradativamente aumentar, devido ao agravamento de questões ambientais. Porém é apenas nesta área que a contabilidade está envolvida? Categoricamente ressoa um profundo não. Existem varias outras áreas em que a contabilidade se envolve. Vejamos mais algumas.

2.2 Contabilidade na perícia

Uma área onde a contabilidade também está presente é a judicial. A perícia contábil deve ser feita por um contador registrado no Conselho Regional de Contabilidade de capacidade técnica e de idoneidade moral, visto que sua analise irá afetar uma das partes envolvidas no caso, sendo assim é primordial a ética, e por conseqüência a imparcialidade e honestidade em sua atividade.

Pela definição da Norma Brasileira de Contabilidade, a perícia contábil é o “conjunto de procedimentos técnicos, que tem por objetivo a emissão de laudo sobre questões contábeis, mediante exame, vistoria, indagação, investigação, arbitramento, avaliação ou certificado.”

Isso significa que uma ciência tão antiga como a contabilidade ainda tem papel fundamental em nosso meio, no caso da perícia contábil judicial, ela tem papel fundamental na decisão que o Juiz toma em favor ou não de uma pessoa física ou jurídica.

Para entender um pouco mais como tal área da contabilidade atua, imaginemos uma situação em que o Ministério Público acusa certa empresa de sonegação de impostos, o papel da contabilidade é dar um parecer técnico ao Juiz que tem pouca ou quase nenhum entendimento sobre este assunto. Sendo assim, o perito contador irá fornecer dados exatos para o Juiz, se tal empresa está realmente sonegando ou não. Se não houvesse a perícia contábil, o poder judiciário não teria acesso, ou mesmo, conseguiria interpretar dados técnicos essenciais para tomadas de decisões e sentenças.

Este ramo da contabilidade, assim como a própria contabilidade não é recente, pelo contrario, desde o inicio da civilização essa área da contabilidade existe, por mais que fosse rudimentar.

Há registros, na Índia de que o papel exercido pelo perito contador era feito por uma pessoa que era tanto o árbitro como o Juiz. Os livros de história também relatam a perícia tanto na Grécia como no Egito, em tais lugares buscavam o parecer de um profissional especializado.

2.3 Contabilidade de Custo

Qual é o objetivo de um grupo de pessoas ou de apenas uma pessoa quando abrem uma empresa ou mesmo indústria? Seria para ter apenas despesas e prejuízo? Com certeza a resposta a estas perguntas seria um não. Qualquer empreendimento visa dar lucro. Qualquer coisa que se desperdiça, ou não possui utilidade seria prejudicial para as finanças da empresa, gerando despesas adicionais que se tornariam gastos desnecessários.

A contabilidade de custo teve um impulsionamento muito grande logo após a Revolução Industrial, quando houve um aumento das indústrias. Hoje em nossos dias devido à alta competitividade entre as empresas, despesas podem significar duas coisas: primeiro aumento do preço do produto final – isso poderia constituir uma diminuição das vendas do produto – ou prejuízo – coisa que podemos afirmar com todas as letras que está fora de cogitação para os empresários.

Por esses e outros motivos a contabilidade de custo existe. Ela é responsável pela coleta, registro dos dados das diversas partes da entidade contabilizada. Com isso os administradores ficam a par da situação de produção. Imaginemos uma situação hipotética. Suponhamos que uma grande indústria de sapatos, com alguns funcionários, tem tidos em repetidos meses prejuízo. A primeira vista pode ser que para que se tenha uma melhora poderia se dispensar alguns funcionários e forçar os que ficaram a produzir mais. Bem, mas a contabilidade de custo possibilita que os diretores dessa empresa possam observar o que realmente tem feito que sua empresa tenha estes consecutivos prejuízos. Ao analisarem os relatórios contábeis, observam que o preço que eles estão pagando por determinada matéria prima é algo muito custoso que se poderia diminuir bastante, ou que a empresa poderia deixar de comprar um pouco de matéria prima visto que esta tem um grande estoque de sobra. Tudo isso, por exemplo, evitaria que pessoas, trabalhadores que têm família, fossem dispensadas.

Com esta contabilização fica mais fácil uma tomada de decisão, visto que os diretores podem tomar uma ação pautada em fatos concretos que se está escriturado em livros contábeis.

2.4 Contabilidade Tributária

Como um país tem recursos financeiros para fazer obras de infra-estrutura, saúde moradia, investimento na educação e assim por diante? De varias maneiras, porém, a arrecadação de impostos tem um papel fundamental neste sentido. Todos nós pagamos impostos, nas contas, nas compras e em outras situações. Agora surge uma pergunta: quem gosta de pagar impostos? Talvez poucas pessoas ou mesmo nenhuma, responderia esta pergunta de maneira positiva. Agora se mudássemos a pergunta para quem não gostaria de pagar impostos ou pelo menos diminuir a carga tributaria sobre si, a resposta talvez a grande maioria, ou mesmo a unanimidade, responderia que sim que gostaria.

Uma das grandes “colaboradoras” em pagamento de impostos são as empresas. Há uma grande carga tributaria em cima delas. Pois bem a contabilidade tributária tem esse objetivo de ver como a entidade tem se saído no assunto de tributos. Temos uma definição segundo o Professor Láudio Fabretti1 de contabilidade tributária como sendo: “O ramo da Contabilidade que tem por objetivo aplicar, na prática, conceitos, princípios e normas básicas da contabilidade e da legislação tributária, de forma simultânea e adequada”.

Nos últimos anos se te aumentado às discussões sobre quão alta é a carga tributaria de nosso país, uma das mais elevadas do mundo. Devido a elas muitas empresas decretam falência devido a não agüentarem não uma carga tributária, mas um fardo tributário imposto pelo governo que as impõe. Os mais prejudicados nesta historia como sempre são pessoas que não tem nada haver com essa história, ou seja, os consumidores, que são obrigados a pagar estes impostos embutidos no preço dos produtos.

Alem disso a contabilidade tributária serve de base para se calcular quanto de impostos a entidade contabilizada devera pagar. Isso de maneira clara e visível para os donos ou acionistas da entidade. Até uma forma de fiscalização que o próprio Governo tem de apurar se o valor que a entidade pagou e o real valor dos impostos a recolher.

Com o passar dos anos várias entidades têm procurado se aperfeiçoar na contabilidade tributária com o objetivo de minimizar os ônus com impostos visto que significa duas coisas, já comentadas anteriormente, que estão fora do vocabulário dos diretores e executivos de uma empresa que é prejuízo e aumento do preço final do produto ou serviço. Com isso em mãos, as escriturações contábeis, podem-se fazer vários planos futuros com o objetivo de se pagar menos impostos e assim aumentar os lucros.

Além destas áreas abortadas a contabilidade ela se adentra em muitas outras como: financeira, governamental, pericial, investigador, consultoria e muitas outras áreas que muitos no passado duvidariam.

3. Considerações finais

Contabilidade – essencial num mundo globalizado

Num mundo tão globalizado que vivemos, não podemos perder nada, seja tempo, dinheiro ou qualquer outra coisa. A contabilidade tem se mostrado fundamental para as entidades, que querem ter um lucro e ter um diferencial das outras. Errou quem pensou que a contabilidade seria uma coisa que ficaria obsoleta, que ela deixaria de existir. Acharam que por algumas facilidades alcançadas pelas pessoas comuns, que antes eram apenas dos contadores, que isso significaria o fim do trabalho dos contadores. Pensaram errados – deixaram o melhor do trabalho só pra eles – a cada dia eles são profissionais mais requisitados.

Entidades que estão cada vez mais interessadas em contabilizar seu patrimônio – não somente elas, mas também pessoas físicas que querem ajuda para as finanças – e aumentá-lo - procuram por esses profissionais.

De uma ciência apenas de escrituração, a contabilidade hoje tem um papel fundamental hoje, para as tomadas de decisão da vida de uma entidade, podemos afirmar que entre uma entidade contabilizada e uma não, a possibilidade de prejuízo, despesas desnecessárias, ônus tributários, e até falência a probabilidade da não contabilizada é muito maior que a da contabilizada.

Por tanto uma coisa tão antiga como o fogo, hoje está sendo tão importante no cenário mundial. Agora fazemos novamente a pergunta: Pode algo tão antigo como o fogo ainda ser útil hoje? A resposta irrefutável é sim. A contabilidade.

Referências bibliográficas

http://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade. Acesso em 20 de julho de 2009

http://www.cfc.org.br/ Acesso em 24 de julho de 2009

FOLHA DE SÃO PAULO. Respeito ao Meio Ambiente dá lucro. Caderno Sua Vez, 22 de agosto de 1999.

FABRETTI, Láudio Camargo. Contabilidade Tributária. 9. ed. – São Paulo: Atlas, 2005

IUDÍCIBUS, Sérgio & Outros. Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações – Aplicável também às demais sociedades. 4ª ed. rev. at., São Paulo: Atlas, 1995.

1 FABRETTI, Láudio Camargo. Contabilidade Tributária. 9. ed. – São Paulo: Atlas, 2005

Comentários