apostila de refino de petroleo

apostila de refino de petroleo

(Parte 1 de 3)

RefinoRefino dede PetróleoPetróleo

1. INTRODUÇÃO: PETRÓLEO-do latim Petra(pedra) e Oleum(óleo)

⇒⇒⇒⇒O petróleoé mistura complexa de compostos orgânicos e inorgânicos onde predominam hidrocarbonetos;

⇒Para aproveitar seu potencial energéticoe sua utilização como matéria-prima, é necessário desmembrá-lo em cortes, denominados frações;

⇒Suas principais famílias de hidrocarbonetos são: paraníficos, naftênicose aromáticos;

2. OBJETIVOS DO REFINO:

A)Produção de combustíveis e matérias-primas petroquímicas:

⇒a maioria dos casos, uma vez que a demanda por combustíveis é muitíssimo maior que a de outros produtos. Produção em larga escala de frações destinadas à obtenção de GLP, gasolina, diesel, querosene e óleo combustível, dentre outros. Todas as refinarias brasileiras, sem exceção, encontram-se neste grupo.

B) Produção de lubrificantes básicos e parafinas

⇒grupo minoritário onde o objetivo é a maximização de frações básicas lubrificantes e parafinas. Estes produtos, de valores agregados muito maiores que os combustíveis, cerca de duas a três vezes mais, conferem alta rentabilidade aos refinadores, embora os investimentos sejam também de muito maior porte. (REDUC-RJ e RLAM-BA)

3. DERIVADOS:

São muitas as aplicações dos derivados do petróleo.

Alguns já saem da refinaria prontos para serem “consumidos”, sendo comercializados diretamente para distribuidores e consumidores;

Outros derivados servirão ainda como matérias-primas de várias indústrias, para a produção de outros artigos (os produtos finais).

Além dos derivados combustíveis, existem outros derivados, com aplicações não-energéticas. São eles:

Naftae Gasóleospetroquímicos além de matérias-primas específicas para a indústria;

Solventesdomésticos e industriais, como querosene, etc;

Parafinas, utilizadas na indústria alimentícia, na fabricação de velas, ceras, cosméticos etc;

Lubrificantesbásicos, matérias-primas para indústrias fabricantes de óleos para veículos e máquinas industriais;

Asfalto, usado na pavimentação de ruas e estradas;

Coque, utilizadas por indústrias metalúrgicas para a fabricação de alumínio e titânio, por exemplo.

Normalmente, os derivados Combustíveis são classificados em Leves,Médios ouPesados, conforme o comprimento, a complexidade das cadeias carbônicas existentes nas suas moléculas:

⇒⇒⇒⇒Assim, por apresentarem as menores cadeias carbônicas, são considerados Leves os seguintes derivados combustíveis;

*A Nafta, mesmo não sendo combustível, é considerada leve

Nos demais derivados combustíveis, há muitas misturas de hidrocarbonetos, ficando difícil classificá-los por faixas de comprimento e complexidade das cadeias carbônicas:

⇒⇒⇒⇒Apesar disso, por apresentarem cadeias de comprimentos “intermediários”, os seguintes derivados são considerados Médios: Querosenee Óleo Diesel;

⇒⇒⇒⇒Finalmente, por serem constituídos pelas cadeias carbônicas maiores ou mais complexas, os seguintes derivados são considerados Pesados: Óleo Combustível, Asfaltoe Coque;

⇒⇒⇒⇒Embora os Contaminantesdo petróleo possam estar presentes em todos os derivados, é justamente nos Pesadosque eles mais se concentram.

Principais Derivados de Petróleo e seus Usos:

Produção de Derivados de Petróleo nas Refinarias Nacionais:

1-gasolina aviação, querosene iluminação,óleos lubrificantes, solventes, parafinas e asfaltos.

6 Esquema de Refino e Tipos de Processos

4. TIPOS DE PROCESSOS:

-Processos de Separação(Destilação, em suas várias formas,

Desasfaltaçãoa Propano, Desaromatizaçãoa Furíurale Desparafínação/Desoleificação a solvente);

-Processos de Conversão(Craqueamento, Hidrocraqueamento,

Alcoilação, Reformação e Isomerização, todos estes catalíticos. Dentre os não catalíticos podemos citar o CraqueamentoTérmico, a Viscorredução, o CoqueamentoRetardado ou Fluido);

-Processos de Tratamento(Tratamento cáustico simples e o regenerativo (Merox), Tratamento com Etanol-Aminas(MEA/DEA), e o Tratamento Bender);

-Processos Auxiliares(Geração de Hidrogénio, Recuperação de Enxofre e as Utilidades).

4.1 PROCESSOS DE SEPARAÇÃO:

São sempre de natureza físicae desdobram o petróleo em suas frações básicas;

Os agentes responsáveis por estas operações são físicos pela ação de energia(na forma de modificações de temperatura e/ou pressão) ou de massa(na forma de relações de solubilidade a solventes) sobre o petróleo ou suas frações;

São processos normalmente de alto investimento e nem sempre de baixo tempo de retomo sobre o capital investido, podendo em muitos casos ser superior a cinco anos.

4.2 PROCESSOS DE CONVERSÃO:

São sempre de natureza químicae visam transformar uma fração em outra(s) ou alterar profundamente a constituição molecular de uma dada fração;

As reações específicas são conseguidas por ação conjugada de temperaturae pressãosobre os cortes, sendo bastante freqüente também a presença de um agente promotor reacional, que denominamos catalisador.

Processos de conversão normalmente são de elevada rentabilidade, principalmente quando transformam frações de baixo valor comercial (gasóleos, resíduos) em outras de maiores valores (GLP, naftas, querosene e diesel).

4.3 PROCESSOS DE TRATAMENTO:

Processos de acabamento, de natureza química, porém seus objetivos não são de provocar profundas modificações nas frações e sim causar a melhoria de qualidade de cortes semi-acabados, eliminando ou reduzindo impurezas presentes em suas constituições.

São bastante utilizados em frações leves (gases, GLP e naftas), não requerendo condições operacionais severas nem de grandes investimentos para suas implantações.

(Parte 1 de 3)

Comentários