Drenagem Linfática Manual

Drenagem Linfática Manual

Anatomofisiologia doSistema LinfáticoRevisão

Definição Sistema vascular de apoio ao sistemacirculatório sangüíneo que capta líquidose macromoléculas que não conseguiramser captados pelo sistema sangüíneo.

Sistema Linfático♦Estruturas componentes:–Capilares linfáticos–Vasos linfáticos–Ductos linfáticos–Linfonodos

Capilares linfáticos ♦Nascem em fundo cego e convergempara formar os vasos linfáticos.

♦ São formados por paredesconstituídas de células endoteliaissuperpostas cujas paredes internasfuncionam como válvulas.

Capilar linfático(ou linfático inicial)♦LI – Linfático Inicial♦CE – Célula endotelial♦FA – Filamentos deancoragem♦JF – Junção fechada♦FA – Junção aberta

Pré Coletores Linfáticos♦São os vasos intermediários entre oscapilares e os coletores linfáticos. ♦Possuem válvulas para impedir o refluxogarantindo, assim, o fluxo unidirecional dalinfa.

Linfângion♦Linfângion é o espaço compreendido entre duasformações de válvulas.♦É considerado a unidade morfofuncional dosistema linfático por possuir as estruturas quegarantem o fluxo unidirecional da linfa:– musculatura lisa– válvulas. Coletores linfáticos♦São a continuação dos pré-coletores etambém conduzem a linfa em sentidocentrípeto. Também possuem válvulas esão um mais calibrosos do que os pré-coletores.♦Sua parede é formada por musculatura lisa,além de tecido endotelial.

Ductos linfáticos (coletoreslinfáticos principais) ♦A linfa é transportada dos linfonodos porductos eferentes até os dois grandescoletores principais, que são os ductoslinfáticos.

Ductos linfáticosSão os vasos linfáticos de maior calibre docorpo e dividem-se em dois ramos:♦O ducto torácico♦Ducto linfático direito

•Ductos linfáticos♦Veia jugular internadireita♦Ducto linfático direito ♦Veia jugular internadireita♦Veia subclávia direita♦Ducto torácico♦Cisterna do Quilo

Ducto torácico♦O ducto torácico: é o mais calibroso e é otronco comum de todos os vasos linfáticoscorpóreos, EXCETO: a região drenada peloducto linfático direito.♦Assim drena: a linfa dos MI, abdômen,hemitórax esquerdo, hemicrânio esquerdoe MSE.

Ducto linfático direito♦Repousa sobre o músculoescaleno anterior e drena alinfa que o ducto torácico nãodrena.Ou seja: MSD,hemicrânio direito, abdomene hemitórax direitos. Linfonodos♦São corpos ovais encontrados nosintervalos do curso dos vasos linfáticos.♦Respondem pela “quebra” dasmacromoléculas e proteínas da linfa eauxiliam no funcionamento do sistemaimunológico. São assim, compostos por linfócitos,macrófagos e plasmócitos.

Cisterna do Quilo♦Localizada entre aartéria aortaabdominal e a veiacava inferior. Recebea linfa dos troncoslombares esquerdo edireito e dos troncosintestinais. Drena alinfa de todos ossegmentos corporaisabaixo do diafragma. Linfonodos

LinfonodosMMSS♦ Vasoslinfáticos elinfonodosprofundos. MS♦ A – Correnteslinfáticassuperficiais(vista anterior)♦ B – correnteslinfáticassuperficiais(vistaposterior)

MS♦Esquema dosgrupos delinfonodos daregião axilar. MS♦ Esquema doslinfonodos dascadeiasbraquial ebraquialprofunda.

LinfonodosMMII♦Esquema da regiãopoplítea mostrando oslinfonodos profundos. LinfonodosMMII♦ A- Vasoslinfáticossuperficiaisanteriores.♦ B – Vasoslinfáticossuperficiaisposteriores.

LinfonodosMMII♦ Corrente linfáticada safena magnae linfonodosinguinaissuperficiais. Pelve e Abdômen♦Vasos linfáticos elinfonodos dasregiões pélvica eabdominal.(Hollinshead,WH & Rosse, C. Anatomia.1991.)

Abdômen♦Desenhoesquemático dosvasos linfáticos elinfonodosrelacionados coma artériamesentéricasuperior e seusramos.(Hollinshead,WH & Rosse, C. Anatomia.1991.) Abdômen♦Desenhoesquemático dosvasos linfáticos elinfonodosrelacionados coma artériamesentéricainferior e seusramos.(Hollinshead,WH & Rosse, C. Anatomia.1991.)

Formação da linfaA linfa é formada basicamente pela diferençade pressão entre o interstício e oscapilares linfáticos.Vale definirmos o que é Pressão Oncótica ePressão Hidrostática. Pressão Hidrostática♦É a pressão exercida pela presença delíquido em determinado compartimento.Por exemplo: a Pressão hidrostáticasangüínea é a pressão exercida pelacorrente sangüínea “expulsando” o plasmapara o interstício, a partir do capilar arterial.

Pressão Oncótica♦É originada pela presença de moléculasprotéicas no sangue e/ou no fluidointersticial. Linfa♦O líquido do espaço intersticial, ao penetrarno sistema linfático, passa a se chamar linfa.

Formação da linfa♦ A linfa é formada basicamente pela diferença depressão entre o espaço intersticial e o capilarlinfático.–1) A pressão hidrostática do capilar sangüíneo, força asaída do plasma em direção ao interstício e/ou ascélulas desta região;–2) A sístole cardíaca provoca uma pressão hidrostáticapositiva arterial, provocando um excesso de líquidointersticial, além do acúmulo de proteínas no espaçointersticial que faz aumentar a pressão oncótica nestaregião. Formação da linfa

Formação da linfa–3) As pressões assim formadas (hidrostática docapilar e oncótica intersticial), acabam por formarum excesso de líquido e proteína no espaçointersticial.–4) O excesso de líquido e proteínas que nãoconseguem adentrar na circulação sangüínea, éempurrado para os capilares linfáticosformando, assim a linfa. Fatores que Influenciam noFluxo Linfático.♦Os fatores que influenciam no fluxo linfático são:–Presença de válvulas: impede o refluxo da linfa;–A contratilidade dos vasos: os vasos linfáticosapresentam musculatura lisa em sua túnicamédia.–Vias acessórias de fluxo: em situaçõesespeciais, estas vias se abrem permitindo umamaior absorção do excesso de líquidointersticial.

Fatores que Influenciam noFluxo Linfático. –A respiração: ao aumentar a pressão intratorácica,impulsionando a linfa através dos ductos torácico elinfático direito;–A musculatura esquelética, que com sua ação ajuda nobombeamento dos vasos linfáticos;–As alterações térmicas que podem aumentar oudiminuir o fluxo linfático;–As pressões hidrostática e oncótica: que promovem aentrada da linfa para os capilares linfáticos;

Fatores que Influenciam noFluxo Linfático.–A compressão externa dos tecidos que pode serexercida por faixas, meias, luvas elásticas,ataduras, aparelhos ou mesmo as mãos doterapeuta.– A gravidade: se a região a ser drenada(MS,MI ou a cabeça) for colocada nosentido do fluxo linfático, isto ajudará aaumentar o fluxo da linfa.

Fatores que Influenciam noFluxo Linfático.–Exercícios físicos: que mantém em bom estadofuncional a musculatura esqueléticaauxiliando, assim, o sistema linfático. –A drenagem linfática manual que atuacomprimindo os vasos no sentido da captaçãoda linfa, aumentando, assim o fluxo linfático.

Drenagem Linfática Manual Técnica: facilitar ofuncionamento do SistemaLinfático através do estímulomanual.

Drenagem Linfática Manual♦Fatores associados:–Gravidade–Temperatura–Respiração–Compressão externa dos tecidos Drenagem Linfática Manual♦Procedimentos:•Evacuação: massagem em movimentoscirculares sobre os linfonodos da região aser tratada, por 2 a 3 minutos, de formasuave.•Captação: técnica do “bracelete”promovendo deslizamento de distal paraproximal.OBS. O drenagem em si se inicia na regiãomais proximal aos grandes ductos.

21 Drenagem Linfática Manual♦Procedimentos:•A região a ser tratada deve estar liberada devestimentas. OBS. Uma pressão acima de40mmHg já é suficiente para bloquear alinfa superficial.•Os movimentos devem ser lentos e suaves•O terapeuta deve ter sempre atenção ao seuposicionamento para evitar lesõesocupacionais.

Comentários