ERGONOMIA - Aula 02 Apresentação do FEB. Requisitos do Projeto. Ações de Manejo e Controle. Aplicar os conceitos da aula em um objeto/produto utilizado com as mãos.

É a ferramenta com a qual se pode contar para a melhoria do padrão de qualidade dos objetos em geral. Nele, as qualidades desejadas são planejadas, concebidas, especificadas e determinadas para o objeto.

1ª ETAPA Tripé para o desenvolvimento de projetos: FUNÇÃO • ESTRUTURA • FORMA Devemos pensar na adequação e coerência das soluções dadas a partir desses 3 pontos básicos.

2ª ETAPA ELABORAÇÃO • CONFECÇÃO • FABRICAÇÃO Depende de recursos humanos, técnicos, tecnológicos, métodos adequados e suficientes para o alcance da qualidade final.

OBJETO Termo utilizado para designar todo e qualquer ambiente, produto e sistemas de informação que Mantém com o homem efetiva relação de utilização em nível intelectual, físico ou sensorial.

REFLEXÕES ERGONÔMICAS Referem-se às características de configuração física e às qualidades de uso funcionais e perceptíveis.

Para realizar a leitura ergonômica, foram adotados os seguintes critérios e definições: FEB | Fatores Ergonômicos Básicos

Requisitos do Projeto • tarefa

• segurança

• conforto

• estereótipo popular

• envoltórios de alcances físicos

• postura

• aplicação de força

• materiais

Ações de Manejo • manuseio operacional

• limpeza

• manutenção

• arranjo espacial

Ações de Percepção • visual

• auditivo

• tátil

• cinestésico

• vibração códigos visuais • cromático

• tipográfico

• morfológico

• tecnológico

REQUISITOS DO PROJETO São informações que devem fazer parte do repertório do designer, com relação à sua natureza, especificações de uso e estético-formais. Podem ir da concepção até a confecção do produto final.

AÇÕES DE MANEJO Ações de movimento realizados pelo uso, envolvendo o corpo (braços, mãos, pés e pernas). Manutenção operacional, limpeza, manutenção e arranjo espacial.

AÇÕES DE PERCEPÇÃO/CÓDIGOS VISUAIS Ações relativas aos sistemas de comunicação e informação. São os FEBs relativos aos sentidos e canais de percepção (visual, auditivo, tátil, cinestésico e de vibração) e a conceituação e definição dos signos e dos códigos visuais identificados nos fatores cromáticos, tipográficos, morfológicos, tecnológicos entre outros.

TAREFA É um conjunto de ações humanas que torna possível um sistema atingir seu objetivo. …o que faz funcionar o sistema. FUNÇÕES DE USO - tanto na análise passo-a-passo para fazer funcionar quanto para usufruir suas vantagens práticas, estéticas, psicológicas, envolvendo mais o estudo das ações do que a descrição do procedimento de uso.

Problemas Ergonômicos • são os que contribuem ou trazem dificuldades de utilização (características antropométricas) e também às ações que fazem a interface usuário-objeto em termos de informações e controles. A partir do fator TAREFA que se define o projeto do objeto ou sistema de objetos em termos funcionais, operacionais e ergonômicos.

SEGURANÇA Condição daquilo em que se pode confiar. …a utilização segura e confiável dos objetos em relação às suas características funcionais, operacionais, perceptíveis, de montagem, fixação, sustentação e outras, fundamentalmente contra riscos e acidentes eventuais que possam envolver o usuário ou um grupo.

Problemas Ergonômicos • proteção que o usuário deve ter das características formais dos objetos e seus dispositivos.

• aspectos do projeto mal resolvido que induzem ao erro humano em relação ao comportamento de uso e/ou operacionalidade do objeto • segurança depende do tipo e da natureza do objeto

• pode ser crucial ou relativa, ou até inexistente.

CONFORTO Condição ou sensação de comodidade, bem-estar e segurança percebida pelo usuário nos níveis físicos e sensorial.

Problemas Ergonômicos • condições ou situações de uso, principalmente quando podem provocar fadiga, doenças, constrangimentos • atrelado à segurança e às percepções subjetivas do usuário. Por isso é difícil medi-la.

ESTEREÓTIPO POPULAR São as práticas de uso consagradas como, por exemplo, o botão deslizante para aumentar o volume de um aparelho de som ou ainda a leitura de um jornal da esquerda para a direita horizontalmente. São os chamados movimentos compatíveis (quando obedecem o estereótipo). Estes são apreendidos mais rapidamente e são executados com mais confiabilidade.

Problemas Ergonômicos • desconforto e insegurança do usuário causados por indução a erros na inversão de uso no manejo ou operacionalidade dos objetos • apresenta certo grau de subjetividade já que se liga, se subordina, às questões de ordem cultural.

ENVOLTÓRIOS DE ALCANCES FÍSICOS Volume espacial em que devem estar contidos, e ao alcance do usuário, os instrumentos de ação, essenciais ao funcionamento do produto agregado ao conceito de conforto, de maneira que se evite que os movimentos executados pelo usuário o obriguem a dispender energias desnecessárias ou esforços extenuantes.

Problemas Ergonômicos • dificuldades de alcance em termos de operacionalidade de elementos, como instrumentos de controle, comando, de ajustes etc. Do tipo alavancas, botões, pedais, volantes e outros dispositivos.

POSTURA Organização dos segmentos do corpo no espaço. A postura submete-se às características anatômicas e fisiológicas do corpo humano, ligando-se às limitações do equilíbrio e obedecendo às leis da Física e da Biomecânica. Mantém um estreito relacionamento com a atividade do indivíduo que pode, em diferentes atividades, adotar posturas diferentes. Pode ser as mais variadas do corpo como um todo e de partes do corpo.

Problemas Ergonômicos • dizem respeito ao conforto, à segurança e à facilidade de acomodação e/ou operacionalidade de determinados objetos. • mas posturas geram à médio ou longo prazo problemas de fadiga muscular com numerosos efeitos danosos e constrangimentos físicos.

APLICAÇÃO DE FORÇA Energia física ou esforço necessário para fazer alguma coisa. As forças humanas são o resultado de contrações musculares.

Problemas Ergonômicos: • projeto inadequado de peças e componentes de manejo que exijam esforços físicos incompatíveis com a capacidade física do usuário.

MATERIAIS Conceitua-se materiais como todo e qualquer componente do objeto. A escolha do tipo e natureza dos materiais deve ser pensada com relação à adequação de características de uso, funcionais, técnicas, tecnológicos, econômicas, perceptivas e estético-formais do objeto. Problemas Ergonômicos • não-especificação e utilização correta de materiais adequados em termos de compatibilidade com as diversas exigências técnicas • relação de segurança no que diz respeito à proteção da saúde do usuário como aspectos de inflamabilidade, toxidade e outros.

AÇÕES DE MANEJO • pode ser definido como um ato ou uma ação física que se relaciona com o manuseio ou operacionalidade de qualquer produto, por parte do usuário através de seu corpo; • diz respeito a tudo que se relaciona com o manuseio das coisas;

• associada ao manejo existe também a ação de controle;

• pois dificilmente se maneja algo sem uma determinada ação de controle;

• está mais relacionada aos sistemas de produção na indústria, máquinas, equipamentos, ferramentas, instrumentos etc;

• ações mais simples . amarrar o cadarço do tênis; . vestir uma roupa; . prender o relógio no pulso; . folhear um jornal; . virar uma página de livro;

• ações mais complexas . digitar um texto longo; . andar de bicicleta; . pilotar um avião; . operar um programa de computação gráfica (manejo virtual)

ATRIBUTOS DO USUÁRIO • habilidade: facilidade e agilidade de manipulação do objeto;

• sensibilidade: propriedade de sentir e perceber ações;

• força: compatível com as necessidades exigidas para manipular algo;

• precisão: capacidade de agir, reagir e interagir com exatidão;

• compatibilidade: coerência em relação as ações a serem desenvolvidas;

• sincronismo: capacidade de agir, reagir e interagir em atos operacionais que exijam simultaneidade de ações;

• treinamento: tempo de uso em relação à utilização ou trabalho ou determinado produto;

• experiência: conhecimentos adquiridos ao longo do tempo.

NÍVEL DE QUALIFICAÇÃO DOS MANEJOS E CONTROLES Manejo geralmente associado a uma ação que exige habilidade, precisão e sensibilidade: • muito fino - manipulação de instrumentos cirúrgicos;

• fino - dar nó em cadarço, enfiar linha na agulha;

• médio - rosquear parafuso, dirigir;

• grosseiro - bater prego, serrar tábua;

• muito grosseiro - trabalho com britadeira.

CARACTERÍSTICAS DO USUÁRIO Fatores que influenciam decisivamente a interface do usuário:

• raças: diferenças dimensionais significativas, entre brancos, negros e amarelos e suas misturas; • biótipo: classificação é dada por etnia, sexo, hábitos alimentares;

• endomorfos: que possuem formas arredondadas e macias, braços curtos e flácidos, muita gordura;

• mesomorfos: são do tipo musculoso, formas angulosas, ombros e peitos largos, pouca gordura;

• ectomorfos: que possuem corpo e membros longos e finos, mínimo de gordura;

• mescla dos três biótipos: que na verdade constituem a maioria dos indivíduos;

• sexo: fator importante em termos de proporcionalidade, o homem possui mais força em relação a mulher, por isso os produtos ou dispositivos que exigem força, deve-se dimensiona-los adequadamente às mulheres; • faixa etária: a idade influencia as ações, as percepções e os diversos atributos de força, habilidade, sensibilidade, precisão, treinamento, experiência etc, no sentido de pior ou melhor desempenho e eficácia operacional na utilização do produto; • instrução: o grau de instrução do usuário influencia sua menor ou maior capacidade intelectual, cognitiva, psicológica, emocional etc., para lidar com o uso adequado dos produtos.

CONCEITOS PROJETUAIS – ELEMENTOS FÍSICOS DE MANEJO • configuração física do elemento de manejo: os dispositivos de manejo podem ser configurados fisicamente por meio de formatos geométricos, orgânicos ou da mistura dos dois; • características superficiais dos elementos de manejo: podem possuir, ou não, texturas em seu todo ou em partes, geralmente elementos orgânicos e texturizados proporcionam maior conforto e segurança de pega e de manuseio; • postura corporal: diz respeito às partes do corpo utilizadas para o manuseio ou a operacionalidade do produto.

Ato de pegar ou movimentar. Puxar, empurrar, girar, esfregarPôr em funcionamento, manter e cessar.

Problemas Ergonômicos • dizem respeito aos aspectos inadequados de pega, empunhadura e manipulação. Alças, cabos, encaixes..., além de botões, teclas, pedais... • características de adequação anatômica, em termos de configuração física desses elementos.

LIMPEZA Aspecto desejável em qualquer objeto, para efeito de proteção ao usuário, razões de higiene, saúde e até segurança;

Problemas Ergonômicos • acúmulo ou aderência de sujeira em frestas, juntas, reentrâncias, texturas, superfícies, que causam transferência para o usuário no contato por uso ou que possam interferir no funcionamento eficaz do objeto. Ex.: mouse

MANUTENÇÃO Define-se como a execução de serviços de reparo de qualquer natureza eventualmente para consertar algo.

Problemas Ergonômicos • dificuldades para realizar a manutenção por problemas de manuseio, manipulação, desmontagem, acesso às partes do objeto, posterior fixação e montagem do conjunto do objeto.

ARRANJO ESPACIAL Define-se como a melhor organização espacial possível dos elementos que fazem parte ou constituem um ambiente ou determinado objeto; de modo coerente, funcional e equilibrado visualmente. Refere-se à importância de uso, freqüência de uso e agrupamento funcional.

Problemas Ergonômicos • má distribuição espacial

• problemas de uso, de operacionalidade e de percepção de informação.

UNIP 2006 • 7º módulo • Ergonomia Professora Haydée Martins haydee.hay@gmail.com

Comentários