Caderno Universitário

Caderno Universitário

(Parte 1 de 9)

CADERNO UNIVERSITÁRIO DISCIPLINA MÓDULO DE FISIOTERAPIA PNEUMOFUNCIONAL I Código 405581 PROFESSORA AGNES IVANA KOETZ ALOISIO SUMÁRIO

Introdução02
Plano de Ensino03
Anatomia e Fisiologia06
Mecânica Ventilatória08
Relação Ventilação/ Perfusão1
Avaliação Fisioterapêutica Respiratória14
Testes de Função Respiratória24
Peak flow24
Manovacuometria24
Espirometria28
Ventilometria36
Exames Complementares37
Gasometria37
Radiologia Torácica39
Objetivos do Tratamento Fisioterapêutico43
Desobstrução43
Reexpansão43
Recursos Terapêuticos Manuais4
Padrões Ventilatórios46
Terapias por Pressão Positiva52
Oscilação Oral de Alta Freqüência (OOAF)57
Aspiração de Vias Aéreas60
Inaloterapia60
Cuidados no Manuseio com o Paciente61
Referências Bibliográficas61

Leitura Complementar 62

A disciplina Módulo em Fisioterapia Pneumofuncional I tem por objetivo iniciar o acadêmico no entendimento da fisioterapia respiratória, reconhecendo os padrões de normalidade da função ventilo-respiratória, identificando alterações patológicas e, principalmente, elegendo formas de tratamentos fisioterapêuticos nas diferentes situações.

Esta etapa é de suma importância para o desenvolvimento de outras disciplinas afins e mais aprofundadas, onde a identificação e entendimento das necessidades terapêuticas de cada paciente, bem como a aplicação correta e eficaz das técnicas fisioterapêuticas, trarão melhores resultados na função respiratória e por conseqüência na qualidade de vida dos pacientes, e porque não, satisfação ao acadêmico e futuro profissional por ter desempenhado seu papel na comunidade científica e na sociedade.

Este material tem a finalidade de servir como roteiro para o acompanhamento e desenvolvimento das aulas regulares na disciplina. Salienta-se que cada autor citado como referência tem repercussão no meio científico e profissional, buscando sempre a manutenção de conceitos atualizados.

1. EMENTA Estudo da fisiologia e mecânica do sistema respiratório. Abordagem teórico-prática da avaliação pneumofuncional, dos procedimentos e técnicas de Fisioterapia Respiratória, utilizados em crianças e adultos.

2. OBJETIVOS DA DISCIPLINA:

2.1 GERAL: Conhecer a fisiologia e a mecânica do sistema respiratório, analisar as possíveis alterações funcionais e planejar a conduta fisioterapêutica.

2.2 ESPECÍFICO(S): Identificar os principais aspectos da avaliação fisioterapêutica pneumofuncional; Conhecer os objetivos e a forma de utilização de manovacuometria, medidas de pico de fluxo expiratório e espirometria; Planejar o tratamento fisioterapêutico de acordo com as alterações funcionais que envolvem o tórax e o sistema respiratório; Conhecer as indicações a as contra-indicações dos recursos fisioterapêuticos; Utilizar adequadamente os recursos fisioterapêuticos disponíveis.

3. ABORDAGENS TEMÁTICAS

- Avaliação Fisioterapêutica Pneumofuncional; - Fisiologia e fisiopatologia respiratória;

- Mecânica Ventilatória;

- Efeitos do posicionamento;

- Testes Complementares: Manovacuometria, Peak Flow;

- Exames complementares: Espirometria, Gasometria arterial e Rx tórax;

- Recursos Fisioterapêuticos Manuais;

- Desenvolvimento Torácico;

- Padrões ventilatórios;

- Recursos com PEP;

- Técnicas de OOAF.

4. Desenvolvimento: Desenvolvimento refere-se ao desdobramento das aulas, conforme o calendário do semestre. Expressa o desdobramento das abordagens temáticas, aula por aula.

AULA Aulas teóricas

1 Apresentação da Disciplina e Avaliação Fisioterapêutica Pneumofuncional

2 Avaliação Fisioterapêutica Pneumofuncional 3 Avaliação Fisioterapêutica Pneumofuncional 4 Exames Complementares: Rx Tórax, Manovacuometria, Peak Flow 5 Espirometria e Gasometria Arterial 6 Fisiologia e fisiopatologia respiratória 7 Atividade Semi-presencial teórica (pesquisa) 8 Fisiologia e fisiopatologia respiratória 9 Avaliação teórica de G1 10 Mecânica Ventilatória 1 Efeitos do Posicionamento (relação V/Q) 12 Recursos Fisioterapêuticos Manuais 13 Recursos Fisioterapêuticos Manuais 14 Padrões Ventilatórios 15 Recursos com Pressão Positiva (PEP e PEEP) 16 Atividade Semi-presencial teórica (resenha) 17 Recursos com a OOAF 18 EPAP e CPAP 19 Avaliação teórica de G2 20 Substituição de Grau teórica e prática

AULA Aulas práticas

1 Apresentação da Disciplina e Revisão Estrutura da Avaliação

2 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 3 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 4 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 5 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 6 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula)

7 Atividade Semi-presencial prática (montar caso de paciente) 8 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 9 Avaliação prática de G1 10 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 1 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 12 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 13 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 14 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 15 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 16 Atividade Semi-presencial prática ( estudo de caso) 17 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 18 Aula Prática (demonstração do conteúdo desenvolvido em aula) 19 Avaliação prática de G2 20 Substituição de Grau teórica e prática

5.ORGANIZAÇÃO METODOLÓGICA A disciplina se desenvolve da seguinte forma:

- Aulas teóricas: dialogadas (com recursos áudio-visuais diversos, como por exemplo, retroprojetor, slides, apresentações em PowerPoint). Desenvolvidas em sala de aula.

- Aulas práticas: atividades com demonstração de avaliação fisioterapêutica pneumofuncional, bem como dos recursos fisioterapêuticos feitas pelo professor, junto ao paciente e pelo próprio aluno, sob supervisão e acompanhamento docente. Desenvolvidas em sala de aula e na Clínica- Escola de Fisioterapia.

- Atividade semi-presencial: pesquisa científica e resenha de artigo científico no cronograma teórico e acompanhamento de caso clínico no cronograma prático.

É constituída de 50% de aulas teóricas e 50 % de aulas práticas.

ANATOMIA e FISIOLOGIA

A base de qualquer terapêutica está no conhecimento das estruturas e funções normais. Sem isto, não será possível identificarmos as alterações. Iniciamos com o reconhecimento da anatomia normal dos pulmões, vias aéreas, caixa torácica e tronco. Começaremos relembrando alguns conceitos.

Zona de Condução: Traquéia, brônquios principais, brônquios lobares, bronquíolos terminais (BT).

• “espaço morto” anatômico (150ml);

• Conduzem o ar até as áreas de troca gasosa; • Não contém alvéolos.

Zona Respiratória:

BT→ Bronquíolos respiratórios→ Ductos alveolares ⇓

• Trocas gasosas ( difusão ) IMPORTANTE LEMBRAR as vias aéreas inferiores estão submersas no parênquima pulmonar, iniciando pela traquéia e terminando nos alvéolos; as unidades respiratórias (alvéolo-capilar) só estão presentes a partir dos bronquíolos terminais, na sua porção final, e em maior número e função nos bronquíolos respiratórios, daí o nome; os brônquios mais próximos da traquéia (zona central) são mais calibrosos, enquanto os que estão mais próximos dos alvéolos (zona periférica) têm diâmetro menor.

Formada por estrutura óssea, tecido conjuntivo, fáscia, músculos da parede torácica e elementos vasculares e neurais. As costelas desempenham papéis importantes como proteger os órgãos da caixa torácica e fornece um sistema dinâmico de alavanca óssea para a ventilação. A parte cartilaginosa das costelas que se unem ao esterno garante uma articulação, contribuindo para o movimento anterior e lateral (alça de balde) das costelas e caixa torácica. A região do tronco também é importante, pois nela estão as origens e inserções dos músculos abdominais anteriormente e dos músculos responsáveis pela postura na face posterior. Estas estruturas participam ativamente na mecânica ventilatória, que será vista mais adiante.

• Pressão Alveolar: pressão existente dentro dos alvéolos. Em repouso é igual a zero. No início da inspiração torna-se negativa. No início da expiração é positiva.

• Pressão Intra pleural: pressão existente entre as pleuras parietal e visceral. Resultado da soma das forças elásticas. Tem valor negativo.

• Surfactante: substância tenso-ativa que reveste o alvéolo. Responsável pela diminuição da tensão superficial, adequando a pressão intra-alveolar.

MECÂNICA VENTILATÓRIA Músculos da Ventilação

- mais importante músculo da respiração - camada muscular em forma de cúpula

- composto pelos hemidiafragmas D e E

- inervação = nervo frênico (C3-C5)

- inserção costal ( no apêndice xifóide e na borda superior das últimas 6 costelas) e crural (L1,L2, L3)

- Vascularização = artérias mamárias internas artérias intercostais artérias frênicas inferiores e superiores

(Parte 1 de 9)

Comentários