As Aves e o seu comportamento social

As Aves e o seu comportamento social

As Aves e o seu comportamento social

Álvaro Pereira n.º 26306, Carlos Rodrigues n.º 25351 Biologia e Geologia (1º Ciclo)

Resumo: Existem sobre o planeta Terra vários animais que possuem comportamentos variados mediante o tipo de vida social que vive bem como o local onde vive. Neste trabalho vamos ter em conta e estudar apenas as aves.

As aves são seres que possuem variadíssimas cores, alimentação, comportamento, etc. mediante o meio onde vivem. O nosso trabalho incidirá principalmente sobre o comportamento mediante o tipo de vida, ou seja, como se comportam as aves quando vivem em grupo ou individualmente.

Podemos concluir que as aves adoptam estes comportamentos de grupismo ou individualismo devido a factores internos como a protecção ou a factores externos como a escassez ou excesso de alimento.

Todos os locais onde haja um pequeno pedaço de terra são vítima da exploração por parte de seres vivos terrestres ou aéreos, podendo os aéreos deslocar-se mesmo sobre o oceano.

Neste nosso trabalho, os seres que nos vão interessar são as aves que formam um grande grupo. Este grande grupo possui elementos dos mais diversos tamanhos, cores, feitios e produzem os mais variados sons. Para dividirmos e facilitarmos o estudo sobre as aves dividimo-las em duas ordens, os passeriformes e os não passerifomes.

Os passeriformes distinguem-se dos não passeriformes por serem a maior das ordens e engloba a metade da totalidade das aves, são de dimensões pequenas e possuem uma alimentação baseada em sementes, frutos e pequenos invertebrados, ou seja, são insectívoros ou granívoros. Os não passeriformes são as restantes aves, possuem tamanhos maiores e a sua alimentação é à base de animais ou vegetais. São exemplo as aves de rapina e os pombos.

Existem vários grupos funcionais de aves ou guildas, predadoras, piscívoras, insetívoras, nectarívoras, frugívoras, granívoras, carnívoras e omnívoras (cinegética, 2008), que se devem ao tipo de alimentação que a ave tem. No caso das aves predadoras elas caça, as piscívoras alimentam-se à base de peixe, as insectívoras à base de insectos, as nectarívoras alimentam-se à base de néctares, as frugivoras à base de frutos, as granívoras alimentam-se à base de grãos, as carnívoras comem carne e as omnívoras alimentam-se de praticamente todo o tipo de alimentos.

As aves têm uma vida social que varia de espécie para espécie e o comportamento da ave também muda se vive em grupo ou individualmente.

Os materiais utilizados para este estudo foram, além da vestimenta apropriada, os binóculos, o livro “Aves de Portugal e da Europa” e os materiais adequados para tirar apontamentos acerca das espécies encontradas.

Na aula falamos como focar os binóculos, e vimos que em primeiro lugar focase com o olho esquerdo e depois com o olho direito. Deve-se andar sempre com os binóculos ao pescoço para o caso de se ocorrer um acidente e cairmos a probabilidade de danificar os binóculos é menor.

O método utilizado foi um método simples chamado Transecto que se baseia num traçado de uma linha sobre um mapa (MMSU, 2008) e essa linha será seguida tendo sempre em conta as espécies de aves que se forem encontrando tendo em atenção que não devemos olhar para trás pois poderíamos estar a contar duas vezes as mesmas aves encontradas.

Quando se está a caminhar pelo campo deve-se ter o cuidado para não fazer demasiado barulho pois isso afugentaria as aves.

Começamos a nossa caminhada à procura das mais variadas espécies de aves por uma área descampada e encontramos vários exemplares e o primeiro exemplar que nos apareceu foi um chapim rabilongo, mas apesar de só termos visualizado um elemento naquele momento, quase de certeza que existiriam mais naquele local pois esta é uma espécie que vive em grupo devido às vantagens que esse tipo de vida lhe traz.

Posteriormente e devido ao nosso avanço, os restantes elementos do bando saíram do seu esconderijo e acabaram por se mostrar nove elementos. Estas aves encontravam-se junto ao medronheiro pois aí existia um maior número de insectos pequenos que são o seu tipo de alimento.

A ave visualizada de seguida foi um pardal doméstico que tem um tipo de vida um pouco peculiar. Estas aves têm um elemento que faz vigia, designando-se sentinela, e o seu posto de vigia é a beirada de um telhado. A ave sentinela mantém-se no seu posto enquanto as outras aves do bando se alimentam. Se existir perigo, a ave sentinela faz soar o alarme para que os outros elementos abandonem o local de alimentação.

Mais à frente na caminhada pudemos visualizar um papa-moscas cinzento que é um passeriforme que vive isolado, tem um comportamento cíclico, pois ele encontravase pousado sobre um fio eléctrico à procura de insectos para se alimentar. Assim que encontrava um insecto saia do seu pouso, comia-o e voltava à posição inicial sobre o fio.

De seguida seguimos para uma área mais protegida, para o interior da floresta.

Aqui é necessário ter mais atenção pois a falta de luminosidade torna mais difícil encontrar as aves, e elas aqui encontram-se mais camufladas devido às cores escuras que apresentam. Deve-se também redobrar a atenção aos barulhos que se possam fazer e que se ouvem.

Neste ambiente as aves são mais isoladas e mais protegidas, daí a sua técnica de caça é a emboscada. Os sons produzidos pelas aves são mais agudos para não serem abafados, que seria o que aconteceria caso fossem mais graves.

Uma das aves visualizadas foi a estrelinha de cabeça listada que é a mais pequena ave de Portugal medindo apenas 9 cm desde a ponta do bico até à ponta da cauda.

A ave visualizada de seguida foi a trepadeira, que tem um comportamento um pouco invulgar. Esta ave é um passeriforme e alimenta-se de insectos que se encontram nas cascas dos troncos das árvores. A trepadeira agarra-se ao tronco com as suas patas em forma de garra e a cauda ajuda a segurar pois dispõe-se como um travão que bloqueia a queda da ave e roda sobre o tronco da árvore de forma ascendente à procura de alimento.

De seguida vimos um casal de cartaxinhos que tem uma vida a dois e defendem um território. Esta é uma ave territorial que se alimenta de insectos e aguenta-se no mesmo local o ano todo.

As últimas aves a serem visualizadas foram as pombas. São aves que vivem em grupo e competem entre elas, mas adquiriram este modo de vida porque lhes trás vantagens, como por exemplo a protecção, uma vez que enquanto umas aves se alimentam, outras vigiam e vão alternando e nunca se encontram todas a comer ou todas em vigia.

Mediante a análise dos dados, pudemos verificar que existem espécies de aves que preferem o individualismo pois será nesse meio que essa espécie sobrevive melhor, e esta escolha pode-se dever a melhor capacidade de escape no caso da predação ou melhor capacidade de alimentação. Outras há que preferem o tipo de vida de grupismo pois neste caso elas podem-se proteger umas às outras apesar de por vezes haver conflitos internos dentro do bando.

Cinegética, 2008. http://www.cinegetica.com/artigo_17.htm como está na data de 09/10/2008;

MMSU, 2008. http://ddl.nmsu.edu/kids/explore/chihuahua_study/transect.html como está na data de 09/10/2008;

Teses USP, 2008. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde- 14082007-120424/ como está na data 09/10/2008;

Bruun, B. et al, 1995. Aves de Portugal e da Europa, 2ª edição. Câmara Municipal do Porto – Pelouro do Ambiente, Edição FAPAS. Porto.

Comentários