paisagismo Memo1 - completo

paisagismo Memo1 - completo

Raul Pereira

Arquitetos Associados SC Ltda.

Rua Paulistânia, 574 - Sumarezinho - S. Paulo

Fone: 3812-0185 Telefax: 3032-9304

rauper@uol.com.br

MEMORIAL TÉCNICO DE PLANTIO

Cliente:

1- CUIDADOS PRÉVIOS

  • Antes do início das obras civis, caso ocorram cortes e/ou aterros no terreno, remover a terra vegetal de superfície, separá-la e armazená -la para uso futuro no jardim. Evitar construir sobre ela uma vez que é uma terra rica em nutrientes, fruto de centenas de anos de formação.

  • Transplantar as árvores e arbustos necessários de acordo com instruções anexas.

  • Proteger as árvores e arbustos existentes com tapumes ou gradis.

  • Em jardins muito próximos às obras de construção civil, o ideal é iniciar os serviços de plantio com a obra totalmente finalizada. Em áreas mais afastadas e independentes da obra os serviços podem ser feitos por etapas e simultaneamente à construção.Em ambos os casos porém , a terra vegetal pode ser colocada durante a fase final da obra a fim de evitar que o movimento de terra suje e danifique as áreas já acabadas.

  • Mapear todas as interferências subterrâneas de instalações elétricas, hidráulicas, etc. a fim de evitar danificações posteriores, durante a execução do jardim.

Transplante de árvores ou palmeiras

As árvores adultas podem ser replantadas em qualquer época do ano, mas é preferível que seja após floração e frutificação e se procede da seguinte maneira:

1- Fazer uma escavação em volta da árvore com as seguintes dimensões:

- Diâmetro do torrão: 6x D. A. P.

- Profundidade do torrão: 8x D. A. P.

D.A.P. - Diâmetro da árvore à altura do peito de uma pessoa adulta (!,30m).

Preencher a vala com partes iguais de terra e composto orgânico.

2- Podar 1/3 dos ramos da copa.

- Aguardar no mínimo 3 meses a recuperação das raízes laterais. Após esse prazo, marcar os galhos do lado Norte e mantê-los na mesma posição durante o transplante para não alterar as condições de insolação e ventilação originais.

3- Cavar uma vala maior que a primeira e cortar a raiz principal, deixando o torrão totalmente liberado.

4- Envolver o torrão cuidadosamente com sacos de estopa que deverá ser colocado, inclinando o torrão para os dois lados opostos sucessivamente.

5- Amarre bem o torrão com sizal ou outra fibra vegetal ou orgânica.

6- Retirar a árvore com muito cuidado, manualmente ou com máquina e plantá-la de acordo com as instruções anexas. Caso utilize munck para a remoção, optar por fita flexível metálica em vez de cabos de aço cilíndricos, evitando deste modo a danificação do torrão.

2- FORNECIMENTO E QUALIDADE DAS MUDAS

  • As mudas devem ser sadias, livres de doenças e pragas, sem amarelamento ou manchas, não apresentando formas raquíticas ou sub-desenvolvidas. Não devem ser acompanhadas de ervas estranhas, quer em batatas, sementes ou sob qualquer outra forma.

  • Não devem ter os galhos, ramos, ou troncos danificados: quebrados, lascados ou machucados

  • As árvores e arvoretas devem possuir troncos retos e não retorcidos, sem estrangulamentos, a não ser quando esta conformação for inerente ao desenho e natureza da espécie.

  • As árvores não devem ter brotação lateral no tronco.

  • Os torrões devem estar sólidos, coesos e úmidos.

  • As folhas não devem ser menores do que as apresentadas normalmente em sua espécie.

  • As árvores aqui denominadas enraizadas, devem ser fornecidas em vasilhames de 20 a 30 litros no mínimo, onde estejam crescendo há no mínimo 2 meses.

  • A altura das árvores e arbustos são medidos sem incluir o torrão.

  • Os arbustos aqui denominados enraizados, devem ser fornecidos em vasilhames de no mínimo 5 a 10 litros, onde estejam crescendo há pelo menos 2 meses.

  • As mudas fornecidas em torrão, devem ter o torrão firme, de forma cilíndrica, recobertos por saco de estopa ou outro produto similar, rapidamente degradável, amarrados com sisal e armazenados à sombra.

  • A grama em placas devem ser retangulares, o mais uniforme possível, com dimensões básicas de 30X40X5 cm e devem ser plantadas no período máximo de 36 horas, durante o qual serão protegidos do sol.

  • Seu descarregamento deve ser feito com cuidado, pousando no chão suavemente.

  • As forrações e herbáceas plantadas em estacas ou raízes nuas devem ser plantadas no período máximo de 24 horas, durante o qual serão armazenados à sombra, sem formar montes e mantendo as raízes úmidas.

  • As mudas de raiz nua deverão ter 70% de raízes e folhas podadas.

3-PREPARO GERAL DO SOLO

Em terreno natural

  • A limpeza do terreno deverá ser feita eliminando-se: entulhos, lixo, pedras, raízes, ervas estranhas e detritos em geral.

  • Em solo de terra vegetal, já existente, revolvê - lo até uma profundidade de 30 cm, desfazendo todos os torrões.

  • Regularizar o terreno, de acordo com o projeto.

Jardim sobre laje

Providenciar a drenagem com argila expandida ( cinasita) ou brita 3 e bidim, de acordo com

desenho anexo.

4-PLANTIO

Etapas

O procedimento mais racional e usual é o de iniciar o plantio pelas espécies de maior porte (árvores, arvoretas, palmeiras) até as menores ( arbustos, herbáceas e forrações) podendo eventualmente variar em situações especiais, de acordo com a possibilidade de fornecimento das mudas ou exigências da obra.

Plantio de árvores, arvoretas e palmeiras

1- Abrir a cova de no mínimo 80x80x80 cm , independentemente do tamanho da muda. Se o solo for muito ruim e compactado, recomenda-se no mínimo de 1,00x1,00x1,00 m.

2- Encher o fundo da cova com terra vegetal adubada.

3- Retirar a embalagem ( saco plástico, lata, etc.) a menos que a muda seja fornecida em torrão, embalada em saco de estopa. Se estiver na lata, cortá-la com tesoura.

4- Cortar as raízes que eventualmente estiveram emaranhadas ou enroladas no torrão.

5- Colocar a árvore na cova, segurando pelo torrão e não pelo tronco, deixando-a vertical, a prumo.

Um sarrafo colocado sobre a cova, ajuda a nivelar o torrão com o nível do solo.

6- Colocar o tutor , sem atingir o torrão e amarrar em forma de oito deitado com um fio de sizal, borracha ou outro fio degradável. Não usar arame ou fio de nylon.

7- Preencher o restante da cova até 10 cm abaixo do nível final e socar com os pés ou um pedaço de madeira, sem tocar no torrão. Regar abundantemente até a terra ficar empapada. Deste modo o torrão se acomoda no nível definitivo eliminando todo o ar da cova que prejudica as raízes.

8- Esperar um pouco a água drenar e encher o restante da cova até o nível do torrão tomando cuidado para não enterrar o tronco da árvore.

9-Deixar um rebaixamento ( coroa) de aproximadamente 5 cm ao redor do tronco a fim de que a água se acumule durante a rega.

10- Coloque o gradil, se a árvore estiver em local de muito movimento suscetível à depredação. Regue novamente.

Plantio de arbustos e trepadeiras

  • Abrir cova de 40x40x40 cm. Se o solo for muito ruim, impermeável e empedrado, fazê-la com 60x60x60 cm.

  • Preencher a cova com terra vegetal adubada ( ver tabela)

  • Retirar a embalagem e colocar a muda, segurando pelo torrão.

  • Regar abundantemente atingindo no mínimo 40 cm de profundida

5-ADUBAÇÃO

Nutrientes Árvores e palmeiras / Arbustos / Herbáceas

Quantidade por cova / Quant. por cova / Quant.. por m2

__________________________________________________________________________

Esterco bovino curtido de curral 40 litros 5 litros 10 litros

__________________________________________________________________________

Farinha de osso 100 gramas 50 gramas 100 gramas

__________________________________________________________________________

Torta de mamona 100 gramas 50 gramas 50 gramas

__________________________________________________________________________

NPK ( 10-10-10) 250 gramas 50 gramas 50 gramas

__________________________________________________________________________

Calcário dolomítico 100 gramas 50 gramas 50 gramas

__________________________________________________________________________

* Os adubos , corretivos e nutrientes em geral devem ser entregues na obra separadamente e misturadas com a terra vegetal na presença de um técnico responsável.

6-ALGUNS CUIDADOS POSTERIORES

Rega

A quantidade de água da rega varia de espécie para espécie e de estação para estação. O exesso de água pode ser tão prejudicial quanto a falta.

De uma maneira geral , durante o primeiro ano , fase de consolidação do jardim, é aconselhável a rega diária, de preferência nas primeiras horas das manhã ou no final da tarde quando o sol é menos intenso.A periodicidade da rega, é claro, varia de acordo com a época do ano, sendo suspensa nos dias de chuva e intensificada no período de seca.Se as condições de abastecimento de água não permitirem ou por falta de tempo ou outro motivo , é preferível regar menos vezes por semana, porém mais intensa e profundamente do que superficialmente e com mais frequência .

As regas devem ser feitas com bico pulverizador da mangueira ou com a pressão dos dedos mas nunca com jato direto e forte.

Poda

Árvores

As árvores devem ter o crescimento livre e espontâneo e as podas só deverão ser feitas em casos muito especiais como:

  • Poda de formação: retirada dos brotos laterais dos troncos da árvores a fim de priorizar e fortalecer o desenvolvimento da copa.

  • Limpeza : limpeza de ramos e folhas secas e doentes

Arbustos , trepadeiras e forrações

A poda só deve ser feita para limpeza de folhas secas e/ou doentes

Gramados

As podas deverão ser feitas no minimo 8 vezes por ano, toda vez que atingir mais que 5 cm de altura.

7- CONSIDERAÇÕES GERAIS

O jardim deverá ser entregue em perfeito estado.

A empresa de jardinagem deverá se responsabilizar pela integridade do jardim até o final dos serviços: retirada de ervas estranhas ao projeto, rega, controle fitossanitário ( controle e combate de pragas e doenças) e poda.

A empresa não se responsabilizará em casos de danos que independam de sua atribuição: choques mecânicos ,utilização incorreto de produtos químicos , acidentes meteorológicos, etc.

6

Raul Pereira Arq. Rua Paulistânia, 574 Vila Madalena São Paulo cep:05440-000 F:3812-0185/ 3032-9304 rauper@uol.com.br

Comentários