Apostila Pascal

Apostila Pascal

(Parte 1 de 46)

Prefácio

Este curso destina-se a todos aqueles que desejam aprender a linguagem Pascal, através do seu mais famoso compilador para a linha IBM/PC, o Turbo Pascal. O Turbo Pascal é muito mais que um compilador, pois ele é uma associação entre um compilador, um editor de textos e um linkeditor. Desta forma, o Turbo Pascal facilita sobremaneira o ato de programar. Além de tudo isto, o Turbo permite muitas facilidades e atividades que, com certeza, não estavam planejadas por Niklaus Wirth, o criador da linguagem Pascal. Levando-se em conta todas essas considerações, podemos até mesmo dizer que o Turbo Pascal seria uma nova linguagem, mais poderosa que a Pascal.

Gostaria de salientar que a melhor forma de aprender uma linguagem é programando, assim como a melhor forma de aprender a dirigir é entrar num automóvel e sair com ele por aí, ou seja, o simples fato de ler este pequeno e simples curso de linguagem Pascal, não basta para aprender a programar em Pascal.

Por fim, estou a disposição de todos, que se aventurem a acompanhar este curso, para tirar dúvidas, assim como para receber críticas.

I – INTRODUÇÃO

I.1 - A LINGUAGEM PASCAL

Considero que a programação deve ser entendida como uma arte ou técnica de se construir algoritmos, sendo que estes são métodos ou "receitas" para se resolver problemas. Existem diversas linguagens para se programar, umas mais adequadas a certos tipos de algoritmos, outras a outros tipos. No entanto, uma linguagem de programação não deve ser um fim em si mesma, mas um meio, uma ferramenta para se traduzir os algoritmos em programas a serem executados por computadores. Desta forma, é importante que os cursos de programação não tenham como objetivo primordial, a perfeição do conhecimento de uma linguagem específica. A linguagem deve tão somente, refletir de maneira clara e facilmente compreensível os aspectos principais dos algoritmos.

Por tudo isso, devemos ter a preocupação de ensinarmos aos estudantes a formulação sistemática e metódica de algoritmos, através de técnicas que são características da programação.

Como já disse, existem diversas linguagens de programação, podemos aprender e utilizar quantas desejarmos. Dizer qual a melhor é muito relativo. Há os que defendem o Basic, o Cobol, a C, o Pascal e tantas outras. Bom, mas a pergunta crucial que faço aqui é: Qual a primeira linguagem a ser aprendida? Neste ponto, defendo a linguagem Pascal.

De acordo com observações feitas por diversos professores, inclusive por mim, a maior parte das pessoas ficam ligadas para sempre à primeira linguagem que aprenderam, e quando aprendem uma nova linguagem, têm uma certa tendência em desenvolver os algoritmos segundo o vocabulário e regras sintáticas da primeira linguagem, só que escritas na nova.

Por este motivo, acho que a escolha da primeira linguagem a ser ensinada deve ser feita de forma judiciosa.

A primeira linguagem deve, desta forma, ser tal que forneça ao aprendiz a possibilidade de desenvolver algoritmos lógicos, sistemáticos, facilmente compreensíveis segundo os métodos modernos de programação e deve até possibilitá-lo a "dar asas à sua imaginação".

I.2 - Por que Turbo Pascal?

Um computador não pode entender nem tão pouco executar instruções em linguagens de alto nível. Ele só entende linguagem de máquina. Desta forma, os programas em linguagens de alto nível devem ser traduzidos antes de serem executados pelo computador. Quem faz essa tradução são os programas tradutores.

Existem basicamente 2 tipos de programa tradutor: o interpretador; e o compilador; Os dois aceitam como entrada um programa em linguagem de alto nível (fonte) e produzem como saída um programa em linguagem de máquina (objeto). A diferença entre eles está na forma de executar a tarefa de tradução. O interpretador traduz para a linguagem de máquina e roda uma linha por vez, até que todo programa seja executado. Já o compilador traduz para a linguagem de máquina todo o programa fonte e só então ele é executado.

Existem linguagens de programaçäo interpretadas e compiladas. O Cobol é compilado, o Basic pode ser tanto compilado como interpretado e assim por diante. A linguagem Pascal é tradicionalmente compilada.

Por outro lado, o processo de compilação é de certa forma, moroso, pois deve seguir as seguintes etapas:

1-) Devemos utilizar um editor de textos para escrever e armazenar em disco o nosso programa fonte.

2-) Utilizar um compilador para traduzir o programa fonte para um programa em linguagem de máquina.

3-) Finalmente, devemos juntar ao programa compilado as diversas rotinas necessárias que, normalmente, ficam armazenadas numa biblioteca.

Após todo esse processo, suponha que você chegue à conclusão de que o programa tenha que sofrer modificações, pois bem, você terá que repetir os três passos descritos, e assim sucessivamente até que o programa fique ao seu gosto.

O compilador Turbo Pascal facilita todo esse processo, pois ele possui numa forma integrada, um editor de textos compatível com o Wordstar, um compilador e um linkeditor. O processo de compilação pode ser feito tanto em disco como em memória, o que faz com que ele seja muito rápido. Além disso, o Turbo Pascal atende aos padrões da linguagem Pascal definidos por Niklaus Wirth, "o pai da linguagem".

Na realidade, o Turbo Pascal vai muito além, pois ele possui inúmeras procedures e funções a mais do que as existentes no padrão da linguagem Pascal.

I.3 - Equipamento necessário.

Todos os exemplos e programas contidos neste curso, foram escritos num compatível 486DX 50 com dois acionadores de discos de dupla face e alta densidade, um winchester de 340 megabytes, um monitor monocromático e 640 Kbytes de memória RAM. No entanto, a configuração mínima poderia ser um IBM/PC-XT com um winchester de 40M.

II - Um programa em Pascal

II.1 - O primeiro programa

Bom, acho que aqueles que nunca tiveram a oportunidade de fazer um programa em Pascal, devem estar muito curiosos para saber como deve ser o seu aspecto. Por isso, antes de prosseguir com os meandros da linguagem Pascal, eu mostrarei um pequeno programa devidamente comentado.

PROGRAMA EXEMPLO.PAS -> Pequeno exemplo de um programa em Pascal. Tem a finalidade única e exclusiva de mostrar os diversos componentes de um programa em Pascal.

{Tudo que estiver entre chaves são comentários e não são levados em conta pelo compilador.}

Program Primeiro_Exemplo; { este e o cabeçalho do programa }

USES Crt;

{ Aqui estou utilizando uma UNIT, chamada CRT, existem várias, e inclusive você pode criar as suas. Nestas units temos procedures e functions previamente compiladas. }

Label

fim; { a partir deste instante posso utilizar o label fim }

Const

Meu_Nome = 'Thelmo'; { nesta área podemos definir todas as constantes que quisermos utilizar no programa }

Type n = (BRASILEIRA, PORTUGUESA, INGLESA, FRANCESA, ALEMÃ, AMERICANA);

{o Turbo Pascal possui diversos tipos de variáveis predefinidas, mas também permite definir novos tipos na subárea type }

Var idade :integer;

altura :real;

nome :string[30];

sexo :char;

nacionalidade :n;

{ todas as variáveis que forem utilizadas no corpo do programa deverão ser declaradas na subárea Var }

Procedure Linha;

{a procedure equivale ao conceito de sub-rotina. Sua estrutura pode se tornar tão complexa como de um programa. Esta procedure, traça uma linha

na posição atual do cursor }

Var i:integer;

Begin

For i:=1 to 80 do Write('-');

end;

Function Soma(x,y:integer):integer;

{o Turbo Pascal possui diversas funções pré-definidas, mas o programador também pode definir as suas próprias }

Begin

Soma:=x+y;

end;

{ Podemos definir quantas procedures e functions quisermos }

{ Aqui começa o programa propriamente dito }

Begin

ClrScr; { apaga a tela }

Linha; { Executa a procedure linha }

Writeln('Meu nome e -------> ',Meu_Nome);

Linha;

Write('Qual o seu nome ----> ');

Readln(Nome);

Linha;

Write('Qual a sua idade ---> ');

Readln(idade);

(Parte 1 de 46)

Comentários