O RUP tem duas dimensões:

•o eixo horizontal representa o tempo e mostra os aspectos do ciclo de vida do

processo à medida que se desenvolve.

•o eixo vertical representa as disciplinas, que agrupam as atividades de maneira

lógica.

1.Concepção

Fase de compreensão do problema e da tecnologia através da definição dos casos de uso mais críticos. No final desta fase deve-se ter definido o escopo do produto e ter demonstrado que o projeto é viável do ponto de vista do negócio da organização

2. Elaboração

Fase de descrição da arquitetura do software na qual os requisitos que mais impactam na arquitetura são capturados em forma de casos de uso.

Identificação dos riscos do projeto (requisitos tecnológicos, especialização e políticos)

3. Construção

Fase na qual o software é construído e preparado para a transição para os usuários. Além do código, propriamente dito, também são produzidos os casos de teste e a documentação.

4. Transição

É a transição entre o sistema antigo e o novo.

Fase de treinamento dos usuários e transição do produto para utilização.

disciplinas

O RUP é um processo de engenharia de software Oferece uma abordagem organizada em disciplinas para atribuir tarefas e responsabilidades dentro de uma organização de desenvolvimento.

Melhores praticas

1. Desenvolver Iterativamente

Desenvolver iterativamente significa desenvolver em ciclos. Cada ciclo contém um objetivo que deve ser alcançado (ex:.correção de um bug).

Esta prática favorece ao RUP algumas vantagens, como:

  • Modificar requerimentos com mais facilidade;

  • Integração progressiva (quase continua) de elementos ao software;

2. Gerenciar Requerimentos

Provê uma maneira prática de produzir, comunicar e organizar os requerimentos de um projeto. Adicionalmente, os casos de uso e cenários descritos nos processo são uma excelente forma de capturar e assegurar requisitos.

O RUP é uma metodologia dirigida-a-casos-de-uso, de modo que é possível utilizar os mesmos casos definidos no sistema como base para o resto do processo.

3. Utilizar Arquiteturas Baseadas em Componentes

Foca o desenvolvimento na modularização, através do uso de componentes, de modo a criar um sistema flexível, adaptável, intuitivamente entendível e reutilizável. O RUP entende componentes como módulos não triviais e/ou subsistemas com uma função clara e específica.

4. Modelar Visualmente

A modelagem visual permite melhor entender não só a concepção e a complexidade do sistema, mas também “dimensionar” (no sentido de qual a forma do sistema), além de facilitar a identificação e solução de problemas.

5. Verificação Continua de Qualidade

O RUP não toma a qualidade como responsabilidade de apenas uma pessoa ou grupo, mas como uma responsabilidade de todos os integrantes do projeto.

A qualidade é focada especialmente em duas áreas:

  • Qualidade de produto

  • Qualidade de processo

6. Controle de Mudanças

Como resultado de um processo de desenvolvimento iterativo, muitas são as mudanças ocorridas no projeto. Controlar as mudanças durante todo o processo é prática fundamental para manter a qualidade.

Comentários