Instalações elétricas de baixa tensão

Instalações elétricas de baixa tensão

(Parte 1 de 24)

Sumário Prefácio 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Determinação das características gerais 5 Proteção para garantir segurança 6 Seleção e instalação dos componentes 7 Verificação final 8 Manutenção 9 Requisitos para Instalações ou locais especiais ANEXOS AFaixas de tensão

BMétodo de ensaio para medição da resistência elétrica de pisos e paredes

CVerificação da operação de dispositivos a corrente diferencial-residual (dispositivos DR)

DMedição da resistência de aterramento

EMedição da impedância do percurso da corrente de falta

FEnsaio de tensão aplicada ÍNDICE

Prefácio

A ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (CB) e dos Organismos de Normalização Setorial (ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, de-

Copyright © 1997, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Fax: (021) 240-8249/532-2143 Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

NBR 5410NOV 1997 Instalações elétricas de baixa tensão

128 páginas las fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito dos CB e ONS, circulam para Votação Nacional entre os associados da ABNT e demais interessados.

Esta Norma foi eleborada pela CE-03:064.01 - Comissão de Estudo de Instalações Elétricas de Baixa Tensão, do CB-03 - Comitê Brasileiro de Eletricidade.

Esta Norma foi baseada nas normas IEC da série IEC 364 - Electrical installations of buildings.

Os anexos A a F têm caráter normativo. 1 Objetivo

1.1 Esta Norma fixa as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas aqui estabelecidas, a fim de garantir seu funcionamento adequado, a segurança de pessoas e animais domésticos e a conservação dos bens.

1.2 Esta Norma aplica-se às instalações elétricas alimentadas sob uma tensão nominal igual ou inferior a 1 0 V em corrente alternada, com freqüências inferiores a 400 Hz, ou a 1 500 V em corrente contínua. Sua aplicação é considerada a partir da origem da instalação, observando-se que:

a) a origem de instalações alimentadas diretamente por rede de distribuição pública em baixa tensão corresponde aos terminais de saída do dispositivo

Palavra-chave: Instalação elétrica em edificação

Origem: Projeto NBR 5410:1997 CB-03 - Comitê Brasileiro de Eletricidade CE-03:064.01 - Comissão de Estudo de Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 - Electrical installations of buildings - Low voltage Descriptor: Electrical installation of building Esta Norma substitui a NBR 5410:1990 Válida a partir de 29.12.1997 Incorporada Errata nº 1 de Março de 1998

2NBR 5410:1997 geral de comando e proteção; no caso excepcional em que tal dispositivo se encontre antes do medidor, a origem corresponde aos terminais de saída do medidor; b) a origem de instalações alimentadas por subestação de transformação corresponde aos terminais de saída do transformador; se a subestação possuir vários transformadores não ligados em paralelo, a cada transformador corresponderá uma origem, havendo tantas instalações quantos forem os transformadores; c) nas instalações alimentadas por fonte própria de energia em baixa tensão, a origem é considerada de forma a incluir a fonte como parte da instalação.

1.2.1 Esta Norma aplica-se às instalações elétricas de: a) edificações residenciais; b) edificações comerciais; c) estabelecimentos de uso público; d) estabelecimentos industriais; e) estabelecimentos agropecuários e hortigranjeiros; f) edificações pré-fabricadas; g) reboques de acampamento (trailers), locais de acampamento (campings), marinas e instalações análogas; h) canteiros de obra, feiras, exposições e outras instalações temporárias.

1.2.2 Esta Norma aplica-se a instalações novas e a reformas em instalações existentes.

NOTA - Modificações destinadas a, por exemplo, acomodar novos equipamentos ou substituir os existentes não implicam necessariamente reforma total da instalação.

1.2.3 Esta Norma aplica-se:

a) aos circuitos, que não os internos aos equipamentos, funcionando sob uma tensão superior a 1 0 V e alimentados através de uma instalação de tensão igual ou inferior a 1 0 V em corrente alternada, por exemplo circuitos de lâmpadas a descarga, precipitadores eletrostáticos, etc.; b) a qualquer fiação e a qualquer linha elétrica que não seja especificamente coberta pelas normas relativas aos equipamentos de utilização; c) às linhas elétricas fixas de sinal (com exceção dos circuitos internos dos equipamentos).

1 Por “linhas elétricas de sinal” são entendidos os circuitos de telecomunicação, comunicação de dados, informática, controle, automação, etc.

2 A aplicação às linhas de sinal limita-se à prevenção dos riscos devido às influências mútuas entre essas linhas e as demais linhas elétricas da instalação, sob o ponto de vista da segurança contra choques elétricos, incêndios e efeitos térmicos e sob o ponto vista da compatibilidade eletromagnética, por exemplo:

- separação das linhas de sinal das outras linhas elétricas;

- aterramento;

- seleção e instalação da fiação e dos componentes fixos.

A aplicação às linhas de sinal deve ser considerada a partir do ponto de terminação de rede (PTR), definido na NBR 13300.

3 A referência à compatibilidade eletromagnética tem por objetivo indicar os cuidados a serem tomados contra interferência mútua entre linhas de sinais e outras instalações, que não as perturbações radioelétricas. A seleção e a instalação dos componentes de circuitos de sinais devem ser consideradas unicamente do ponto de vista de sua segurança e de sua compatibilidade em relação às outras instalações.

1.2.4 Esta Norma não se aplica a: a) instalações de tração elétrica; b) instalações elétricas de veículos automotores; c) instalações elétricas de embarcações e aeronaves; d) equipamentos para supressão de perturbações radioelétricas, na medida em que eles não comprometam a segurança das instalações; e) instalações de iluminação pública; f) redes públicas de distribuição de energia elétrica; g) instalações de proteção contra quedas diretas de raios; no entanto, esta Norma considera as conseqüências dos fenômenos atmosféricos sobre as instalações (por exemplo, escolha de dispositivos de proteção contra sobretensões); h) instalações em minas; i) instalações de cercas eletrificadas.

1.2.5 Os componentes da instalação são considerados apenas no que concerne à sua seleção e suas condições de instalação. Isto é igualmente válido para conjuntos préfabricados de componentes que tenham sido submetidos aos ensaios de tipo aplicáveis.

1.2.6 A aplicação desta Norma não dispensa o respeito aos regulamentos de órgãos públicos aos quais a instalação deva satisfazer.

1.3 Prescrições fundamentais

A seguir são indicadas as prescrições fundamentais destinadas a garantir a segurança de pessoas, de animais domésticos e de bens, contra os perigos e danos que possam resultar da utilização das instalações elétricas, em condições que possam ser previstas.

NBR 5410:19973

1.3.1 Proteção contra choques elétricos 1.3.1.1 Proteção contra contatos diretos

As pessoas e os animais devem ser protegidos contra os perigos quepossam resultar de um contato com partes vivas da instalação.

1.3.1.2 Proteção contra contatos indiretos

As pessoas e os animais devem ser protegidos contra os perigos quepossam resultar de um contato com massas colocadas acidentalmente sob tensão.

1.3.2 Proteção contra efeitos térmicos

A instalação elétrica deve estar disposta de maneira a excluir qualquer risco de incêndio de materiais inflamáveis devido a temperaturas elevadas ou arcos elétricos. Além disso, em serviço normal, as pessoas e os animais domésticos não devem correr riscos de queimaduras.

1.3.3 Proteção contra sobrecorrentes 1.3.3.1 Proteção contra correntes de sobrecarga

Qualquer circuito deve ser protegido por dispositivos que interrompama corrente nesse circuito quando esta, em pelo menos um de seus condutores, ultrapassar o valor da capacidade de condução de corrente e, em caso de passagem prolongada, possa provocar uma deterioração da isolação dos condutores.

1.3.3.2 Proteção contra correntes de curto-circuito

(Parte 1 de 24)

Comentários