Elétrica Predial - Universidade Campina Grande

Elétrica Predial - Universidade Campina Grande

(Parte 1 de 5)

Autores:

Ronimack Trajano de Souza (Mestrado CAPES/DEE/UFCG)

Edson Guedes da Costa (Coordenador do Laboratório de Instalações Elétricas)

Revisão maio de 2004.

SIMBOLOGIA GRÁFICA UTILIZADA NAS TAREFAS3
1 EMENDA DE CONDUTORES EM PROSSEGUIMENTO4
1.1 MATERIAL UTILIZADO:4
1.2 INTRODUÇÃO4
1.3 PROCEDIMENTOS:4
INTERRUPTOR DE UMA SEÇÃO6
2.1 MATERIAL UTILIZADO:6
2.2 INTRODUÇÃO6
2.3 PROCEDIMENTOS:7
INTERRUPTOR DE UMA SEÇÃO CONJUGADO COM UMA TOMADA8
3.1 MATERIAL UTILIZADO:8
3.2 INTRODUÇÃO9
3.3 PROCEDIMENTOS:9
INTERRUPTOR DE DUAS SEÇÕES10
4.1 MATERIAL UTILIZADO:10
4.2 INTRODUÇÃO10
4.3 PROCEDIMENTOS:1
INTERRUPTOR DE UMA SEÇÃO1
5.1 MATERIAL UTILIZADO:1
5.2 INTRODUÇÃO12
5.3 PROCEDIMENTOS:12
INTERRUPTOR DE DUAS SEÇÕES CONJUGADO COM UMA TOMADA13
6.1 MATERIAL UTILIZADO:13
6.2 INTRODUÇÃO13
6.3 PROCEDIMENTOS:14
INTERRUPTORES PARALELO OU “TREE-WAY”14
7.1 MATERIAL UTILIZADO:14
7.2 INTRODUÇÃO15
7.3 PROCEDIMENTOS:15
INTERRUPTORES TREE-WAY E FOUR-WAY16
8.1 MATERIAL UTILIZADO:16
8.2 INTRODUÇÃO16
8.3 PROCEDIMENTOS:17
9 INSTALAÇÃO DE UMA CAMPAINHA OU CIGARRA18
9.1 MATERIAL UTILIZADO:18
9.2 INTRODUÇÃO18
9.3 PROCEDIMENTOS:18
10 INSTALAÇÃO DE TOMADA COM CONDUTOR DE PROTEÇÃO19
10.1 MATERIAL UTILIZADO:19
10.2 INTRODUÇÃO19
10.3 PROCEDIMENTOS:20
1 INSTALAÇÃO DE LÂMPADA ACIONADA POR FOTOCÉLULA21
1.2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA:21
1.3 PROCEDIMENTOS21
TIPO COMUM2
12.1 MATERIAL UTILIZADO:2
12.2 INTRODUÇÃO23
12.3 FUNCIONAMENTO23
12.4 PROCEDIMENTOS:24

2 12 INSTALAÇÃO DE UMA LÂMPADA FLUORESCENTE DE 40W COM REATOR DO 13 INSTALAÇÃO DE DUAS LÂMPADAS FLUORESCENTES DE 40W COM REATORES DO TIPO COMUM, ACIONADAS POR UM INTERRUPTOR DE UMA SEÇÃO 25

13.1 MATERIAL UTILIZADO:25
13.2 INTRODUÇÃO25
13.3 PROCEDIMENTOS26
DUPLO DO TIPO PARTIDA RÁPIDA27
14.1 MATERIAL UTILIZADO:27
14.2 INTRODUÇÃO27
14.3 PROCEDIMENTO27

Para uma melhor compreensão, e como forma de facilitar a identificação dos componentes, equipamentos e outros elementos que possam ser utilizados nas instalações elétricas é utilizada uma simbologia gráfica que representa cada elemento da instalação. Com isso, o projetista pode dar início ao desenho do projeto elétrico na planta residencial ou industrial, utilizando-se de uma simbologia gráfica.

Neste guia, a simbologia apresentada é a usualmente empregada pelos projetistas.

Como ainda não existe um acordo comum a respeito delas, o projetista pode adotar uma simbologia própria identificando-a no projeto, através de uma legenda.

Para as tarefas que serão desenvolvidas com o auxilio deste guia, será utilizada a simbologia apresentada a seguir.

Campainha Condutores retorno, fase e neutro

respectivamente

Fotocélula

Interruptor de campainha Interruptor four-way

Interruptor simples

Interruptor three-way

Lâmpada fluorescente Lâmpada incandescente

Reator Starter

Tomada 3P

Tomada universal

1 EMENDA DE CONDUTORES EM PROSSEGUIMENTO

1.1 MATERIAL UTILIZADO:

1.2 INTRODUÇÃO

Comumente o eletricista se depara com um problema: o percurso da instalação em linha é maior que o fio condutor disponível. Que fazer então? Ele deverá executar uma ou mais emendas. Essas emendas, entretanto, poderão se transformar mais tarde fontes de mau contato, produzindo aquecimento e, portanto, perigos de incêndio ou de falhas no funcionamento da instalação, se forem mal executadas. A função de um engenheiro é saber fazer, fiscalizar e identificar as possíveis falhas. Assim, estes são bons motivos para se aprender as técnicas e recomendações indicadas na execução de uma boa instalação.

1.3 PROCEDIMENTOS:

1º Passo:

Desencape as pontas dos condutores, retirando com um canivete ou estilete a cobertura isolante em PVC. Execute sempre cortando em direção à ponta, como se estivesse apontando um lápis, com o cuidado de não “ferir” o condutor. O procedimento correto pode ser visualizado na Figura 1(a).

Obs.: o comprimento de cada ponta deve ser suficiente para aproximadamente umas 06 (seis) voltas em torno da ponta do outro condutor.

Figura 1, (a) e (b) - Desencapando as pontas dos condutores. 2º Passo:

Limpe os condutores, retirando os restos do isolamento. Caso o condutor apresente oxidação na região da emenda, raspe o condutor com as costas da lâmina, a fim de eliminar a oxidação. O procedimento que pode ser visualizado na Figura 1(b).

Obs.: Caso o condutor seja estanhado, não há necessidade da raspagem do mesmo.

Figura 1, (c) e (d) - Emenda dos condutores.

3º Passo:

Emende os condutores, cruzando as pontas dos mesmos, conforme mostrado na

Figura 1(c) e em seguida torça uma sobre a outra em sentido oposto. Cada ponta deve dar aproximadamente seis voltas sobre o condutor, no mínimo. Complete a torção das pontas com ajuda de um alicate, como mostrado na Figura 1(d). As pontas devem ficar completamente enroladas e apertadas no condutor, evitando-se assim que estas pontas perfurem o isolamento de acordo com a Figura 1(e).

Figura 1(e) - Emenda típica. 4º Passo:

O isolamento da emenda deve ser iniciado pela extremidade mais cômoda. Prenda a ponta da fita e, em seguida, dê três ou mais voltas sobre a mesma, continue enrolando a fita, de modo que cada volta se sobreponha à anterior. Continue enrolando a fita isolante sobre a camada isolante de PVC do condutor. A execução de uma emenda bem feita deve garantir que a camada isolante do condutor seja ultrapassada por uns dois centímetros. Corte a fita isolante, seguindo o procedimento de acordo com as Figura 1(f) e 1(g).

Figura 1, (f) e (g) – Isolalando os condutores.

2 INSTALAÇÃO DE UMA LÂMPADA INCANDESCENTE ACIONADA POR UM INTERRUPTOR DE UMA SEÇÃO

Observações: Leia o guia com toda atenção. Você irá trabalhar com instalações elétricas energizadas. Tome bastante cuidado para não sofrer choques elétricos, pois eles podem até matar. Retire o fusível do quadro quando for realizar qualquer manuseio na instalação. A retirada do fusível evita uma energização indevida. Antes de colocar a mão em partes metálicas dos condutores, certifique-se que o circuito se encontra totalmente desenergizado.

Lembrete: Você está aqui para aprender, portanto, não hesite consultar o professor, monitor ou técnicos caso lhe ocorra alguma dúvida no decorrer da aula.

2.1 MATERIAL UTILIZADO:

fios; 01 lâmpada incandescente;

2.2 INTRODUÇÃO

Uma das instalações mais elementares na iluminação de um ambiente é a energização de uma lâmpada através do acionamento à distância. Um exemplo típico seria a iluminação de um quarto. Uma maneira cômoda e segura é realizar o acionamento (ligar e desligar) da lâmpada sem que seja necessário o manuseio direto da lâmpada no próprio receptáculo. Para isso, inclui-se um interruptor, que geralmente se localiza junto à porta de entrada do ambiente.

O interruptor unipolar ou de uma seção é responsável pelo seccionamento de um único condutor. As normas exigem que o mesmo tenha mecanismo operado por mola, sob tensão mecânica, de modo que o circuito seja aberto ou fechado rapidamente, em intervalo de tempo muito curto, evitando a formação do arco entre os contatos ou minimizando os seus efeitos.

Uma lâmpada incandescente apresenta dois terminais. Um em forma de rosca metálica e o outro na forma de um pequeno disco. O encaixe das lâmpadas será realizado através de um receptáculo. O receptáculo apresenta-se isolado externamente, com um contato na parte superior interna e com um cilindro metálico rosqueado. Assim, O receptáculo permite o contato elétrico na face superior com o pequeno disco metálico da lâmpada e entre as partes rosquedas. Então, para energizar a lâmpada, basta conectar aos dois terminais os condutores fase e neutro. O condutor fase está submetido ao maior potencial, no nosso caso, 220 volts. O condutor neutro deve está submetido ao potencial de 0 Volts. Lembre-se de verificar o nível de tensão da rede quando na instalação de qualquer equipamento elétrico.

Como forma de segurança, é recomendável que se introduza a lâmpada no receptáculo com o circuito desenergizado. Além disso, para se evitar possíveis choques ao se trocar em partes metálicas da lâmpada com o circuito energizado, é recomendável que o fio neutro seja conectado à parte metálica rosqueável do receptáculo.

Além dos componentes acima citados, utilizar-se-ão eletrodutos e caixas. As caixas servem tanto de isolamento como de suporte para os componentes: fiação, interruptores, luminárias, tomadas, entre outros. Para auxiliar na passagem da fiação pelo interior do eletroduto será utilizado um cabo-guia. Ele facilita o arrasto da fiação por dentro do eletroduto, pois apresenta em uma de suas extremidades uma espécie de mola que facilita o deslocamento do guia dentro do eletroduto. Assim, para passar os condutores de um ponto a outro da instalação, basta fixar os condutores na outra extremidade do cabo-guia.

2.3 PROCEDIMENTOS:

1º Passo:

(Parte 1 de 5)

Comentários