(Parte 1 de 8)

1 FUNDAMENTOS

0.0Conceitos Básicos.
1.0Sentido da Corrente.
2.0Resistência Elétrica.
3.0Materiais Condutores, Isolantes.
4.0Resistores.
5.0Resistência Equivalente.
6.0Lei de Ohm.
7.0Resistividade.
8.0Divisor de Tensão e Corrente.
9.0Circuito Elétrico.

SUMÁRIO: Capítulo sobre corrente contínua. 10.0 Circuito Série.

1.0 Circuito Paralelo. 12.0 Potência Elétrica.

13.0 Pilhas e Bateria. 14.0 Instrumentos de Medida.

15.0 Ponte Resistiva .

16.0 Lei de Kirchhoff para Tensão. 17.0 Lei de Kirchhoff para corrente

18.0 Lei dos Nós 19.0 Lei das Malhas

20.0 Tensão Contínua 21.0 Tensão Alternada.

Capítulos sobre corrente alternada 2.0 Materiais Elétricos

23.0 Transformadores.

24.0 Motores. 25.0 Geradores.

26.0 Geração e Distribuição de Energia Elétrica. 27.0 Técnicas de Solda.

28.0 Bibliografia 29.0 Anexos

3 CONCEITOS BÁSICOS

1- Matéria e Substância

Matéria é tudo que existe no universo. A madeira, o vidro, a água são exemplos de matéria. No entanto podemos perceber diferenças nessas matérias:

O vidro é transparente, a madeira não. A água não tem forma própria.

Essas diferenças ocorrem porque cada tipo particular de matéria é uma substância com características próprias.

2- Moléculas e átomos Molécula é a menor parte que pode existir de uma substância. São partes tão pequenas, que não podem ser vistas mesmo com o auxílio aos microscópios.

Pôr exemplo, uma molécula de água é a menor quantidade de água que pode existir.

As moléculas são constituídas de átomos.

O que caracteriza uma molécula é o tipo de átomo, a quantidade deles e o modo como são combinados para constituí-la. Atualmente são conhecidos 103 tipos diferentes de átomos. Cada tipo recebeu um nome e tem características próprias.

3- Prótons, Nêutrons e Elétrons Durante muito tempo se acreditou que o átomo fosse a menor parte da matéria. Tanto assim que o seu próprio nome( do grego a = sem e tomo = dividir) significa “o que não se pode dividir”. Atualmente, sabe-se que o átomo se compõe de Prótons, Nêutrons e Elétrons.

A estrutura do átomo consiste em um núcleo central, formado pôr dois tipos de partículas simples e indivisíveis: os prótons e os nêutrons. Os prótons têm carga elétrica positiva, e os nêutrons não têm carga.

4 CONCEITOS BÁSICOS.

Em volta desse núcleo gira um número variável de partículas de carga elétrica negativa- os elétrons – que realizam milhões de rotações pôr segundo.

O núcleo positivo – prótons – atrai os elementos negativos, impedindo que eles saiam de sua órbita (fig.4)

Nota O hidrogênio é o único elemento que tem apenas um próton no núcleo e um elétron em órbita.

4- Equilíbrio de cargas elétricas importante saber que, em condições normais, o número de elétrons em torno de um núcleo é sempre igual ao número de prótons desse núcleo (figs.5,6,7), havendo, portanto, equilíbrio de cargas elétricas.

5 CONCEITOS BÁSICOS

É possível, porém,retirar ou acrescentar elétrons aos átomos de um corpo. Quando isso acontece, passa a existir uma diferença de cargas elétricas no átomo. Dizemos, então, que o átomo está eletrizado ou ionizado.

Quando um átomo perde ou recebe elétrons, transforma-se num Íon.

Se ficar com falta de elétrons, será um Íon positivo ou cátion. Se ficar com excesso de elétrons, será um Íon negativo ou Ânion.

Para esclarecimento, vejamos os seguintes exemplos: Um átomo de ferro tem 26 prótons e 26 elétrons. Se ele perder 3 elétrons, ficará com 26 prótons (carga positiva) e 23 elétrons (carga negativa) e será um Íon positivo ou Cátion. Se o átomo de ferro receber 3 elétrons, ficará com 26 prótons (carga positiva) e 29 elétrons (carga negativa) e será Íon negativo ou Ânion.

5 - Há vários Processos para desequilibrar as cargas elétricas dos átomos de um corpo, criando uma diferença de potencial cuja tensão elétrica será tanto maior quanto maior for a diferença das cargas. No decorrer do curso, analisaremos os processos industriais, porém podemos estudar agora o primeiro processo de que se tem notícia: o de Eletrização Pôr Fricção .

Sabe-se, quando um corpo é friccionado com outro, ambos adquirem cargas elétricas: um pôr perder elétrons e o outro pôr recebê-lo. Podemos constatar esse processo, fazendo a experiência que se segue:

A Cortamos papel fino em partículas do menor tamanho possível.

B Friccionamos o lado de um pente num pedaço de flanela, seda ou lã, sempre no mesmo sentido.

C Aproximamos o pente das partículas de papel. Conclusão: As partículas de papel são atraídas pelo pente.

6 CONCEITOS BÁSICOS

6.0 Tensão Elétrica Sempre que há uma diferença de potencial (d.d.p.), existe uma tensão tendendo a restabelecer o equilíbrio. Podemos demonstrar isso facilmente, pôr meio de duas vasilhas com água, ligadas pôr um tubo com registro.

Na fig.2, a água das vasilhas está no mesmo nível, não havendo diferença de potencial entre as mesmas.

Se abrirmos o registro, não haverá fluxo de água de uma para a outra.

Na fig.3, o nível da água na vasilha A é superior ao da vasilha B, existindo uma diferença de potencial entre os Se abrirmos o registro, haverá fluxo de água de A para B, até que a água fique no mesmo nível nas duas vasilhas.

Do exposto podemos verificar que a diferença de potencial hidráulico (da água) provocou uma tensão hidráulica.

Para entendermos a tensão elétrica, é necessário aprendermos alguma coisa sobre Constituição da matéria.

7 7.0 Medida da Tensão Elétrica Vimos que sempre se modifica a estrutura dos átomos de um corpo, este fica eletrizado. Se tivermos dois corpos com cargas elétricas diferentes, haverá entre eles uma diferença de potencial (d.d.p.) elétrico, da mesma forma que houve uma diferença de potencial hidráulico no caso das vasilhas. É importante, em todos os campos de aplicação da eletricidade, sabermos o valor da tensão da d.d.p. Para isso, existe uma unidade de medida,que é o Volt, e um instrumento para medi-la, que é o voltímetro.

8.0 A Corrente Elétrica

Quando um átomo está ionizado, sua tendência é voltar ao estado de equilíbrio. Evidentemente, um corpo eletrizado tende a perder sua carga, libertando-se dos elétrons em excesso, ou procurando adquirir os elétrons que lhe faltam. Concluímos, então, que basta unir corpos com cargas elétricas diferentes para que se estabeleça um fluxo de elétrons, que chamamos CORRENTE ELÉTRICA.

Para se ter uma idéia exata da grandeza (INTENSIDADE) de uma corrente elétrica, tornou-se necessário estabelecer uma unidade padrão.

(Parte 1 de 8)

Comentários