(Parte 1 de 14)

44

CONTABILIDADE II

PROF. SIRLEY DE AZEVEDO

  • MESTRE EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE.

  • ESPECIALISTA EM ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA.

  • BACHAREL EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS.

Contato

Email: Siraz@uninove.br

Site: www.siraz.hpg.com.br

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

_ RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Comercial Fácil. São Paulo. 1996. Saraiva.

_ Equipe de Prof. da F.E.A./U.S.P. Contabilidade Introdutória. São Paulo. 1996. Atlas.

_ MOTT, Graham. Contabilidade para Não-Contadores. São Paulo. 1994 Makron Books .

_ MARION, Luiz Carlos Marion . Contabilidade Empresarial . 8a ed. São Paulo.1998. Atlas.

_ IUDICIBUS , Sérgio . Teoria da Contabilidade . São Paulo. 2000 Atlas.

_ IUDICIBUS, Sérgio; MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto R. . Manual de Contabilidade

de Sociedades por Ações. São Paulo. 1996. Atlas

_ RIBEIRO, Osni M. . Análise de Balanço Fácil . São Paulo. 1996 Saraiva.

_RIBEIRO, Osni M. . Contabilidade Geral Fácil . S.P. 1998 . Saraiva.

_IUDÍCIBUS, Sérgio ; MARION, José C.. Manual de Contabilidade para Não Contadores.

4a ed. S.P. 1999 . Atlas.

CONTEÚDO

ITEM

CONTEÚDO

PAGINA

1.

AMORTIZAÇÃO

17

2

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS

19

2.1

Fatos que alteram as compras e vendas de mercadorias

19

2.2

Impostos incidentes sobre faturamento

20

3.

ESTOQUE DE MERCADORIAS

22

3.1

Critérios de Avaliação dos Estoques

23

3.1.1

PEPS

23

3.1.2

UEPS

23

3.1.3

Custo Médio

24

4.1

Resultado Operacional Bruto (ROB)

24

4.1.1

C.M.V.

25

4.1.2

R.C.M.

25

5.

PROVISÕES

26

5.1

Conceito

26

5.2

Tipos

26

6.

DEPRECIAÇÃO

31

6.1

Tempo de Vida Útil e Taxa

31

6.2

Calculo de Depreciação

31

7

OPERAÇÕES FINANCEIRAS USUAIS

33

7.1

Juros sobre duplicatas

33

7.2

Desconto sobre duplicatas

34

R E V I S Ã O

ESCRITURAÇÃO

6.

PLANO DE CONTAS1

É um elenco de todas as contas previstas pelo setor contábil da empresa como necessárias aos seus registros contábeis.

6.1

Sua Estrutura

_Sua estrutura é baseada através da legislação pertinente . Atualmente obedece às disposições contidas na lei 6404, de 15 de dezembro de 1.976 ( Lei das Sociedades Anônimas ), contendo a seguinte distribuição:

6.2

Sua aplicação e manuseio

Para facilitar a identificação das contas, adota-se um código numérico para cada uma. Esse código é composto de, no máximo, seis números e através dele se pode saber de imediato a que grupo a conta pertence:

  • Primeiro Número - indica o grupo ( 1- ativo; 2- passivo; 3- despesas; 4- receitas ).

  • Segundo Número - Indica a divisão de cada grupo principal:

1- Ativo

2 - Passivo

1.1 – Circulante

2.1 - Circulante

1.2 – Realizável L.P.

2.2 - Exigível L.P.

1.3 – Permanente

2.3 - Patrimônio Liq.

3 – Despesas

4 - Receitas

3.1 – Operacionais

4.1 - Operacionais

3.2 – Não Operac.

4.2 - Não Operac.

  • Terceiro Número - Indica a subdivisão dos grupos patrimoniais citados acima:

1 - ATIVO

2 - PASSIVO

1.1 - Circulante

2.1 - Circulante

1.1.1 - Disponível

2.1.1 – E.C.P.

1.1.2 - Créditos

1.1.3 - Estoques

1.2 - Realizável a Longo Prazo

2.2 - Exigível a Longo Prazo

1.2.1 - Créditos

2.2.1 - Empréstimos/ Financiamento

1.3 - Permanente

2.3 - Resultado de Exercícios Futuros

1.3.1 - Investimentos

2.3.1 - Receitas Futuras

1.3.2 - Imobilizados

2.4 - Patrimônio Líquido

1.3.3 - Diferido

  1. - Capital

2.4.2 - Reservas

2.4.3 - Lucros e Prejuízos

*Quarto Número em Diante - Indica mais uma subdivisão e/ ou o número da conta propriamente dita, as quais consta no plano de contas anexo a esta matéria.

FONTE: Adaptação sobre RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Geral. 1a ed. 1997. 69 p.

Adaptação sobre Equipe de Profs. da FEA/USP. Manual de Contabilidade de Soc,. Por Ações. 4a ed. 1995. P 45 – 56 .

Adaptação sobre PALHARES, Antonio ; RODRIGUES, Laércio de Castro. Introdução à Contabilidade . 2a ed. 1991. P 68–72.

9.

CONSTITUIÇÃO DO CAPITAL DE UMA EMPRESA 2

Na fase de constituição de uma empresa pode-se considerar dois momentos:

9.1

- Da Constituição

É o momento em que o proprietário providencia o registro da empresa nos órgãos competentes, visando dotá-la de personalidade jurídica.

Exemplificando:

1) Constituição uma sociedade comercial, com capital de R$ 10.000, , subscrito (dividido) entre dois sócios, da seguinte maneira: R$ 5.000, para João e para José R$ 5.000,

contabilizando :

Razão

2.3.1.01.001 2.3.1.02.001

CAPITAL SOCIAL CAPITAL SOCIAL A INTEGRALIZAR

10.000, (1) (1) 10.000,

9.2

Da Realização

É o momento em que o proprietário entrega para empresa, como pagamento do capital que constituiu, dinheiro ou bens e direitos (podendo acontecer o inverso, onde a empresa a partir do momentos que um dos sócios desista da sociedade, ela terá que pagar o capital incluso por aquele sócio ), onde o dinheiro, bens e direitos pode estar mutuamente ligados ou não na realização do capital. A Realização pode acontecer de duas maneiras:

  • Integral ( Total do capital )

Exemplificando:

1) Constituição uma sociedade comercial, com capital de R$ 10.000, , subscrito (dividido) entre dois sócios, da seguinte maneira: R$ 5.000, para João e para José R$ 5.000,

2) Realizaram total Capital em dinheiro ;

contabilizando : Razão

2.3.1.02.001 2.3.1.01.001

CAPITAL SOCIAL CAPITAL SOCIAL A INTEGRALIZAR

(1) 10.000, 10.000, (2) 10.000, (1)

1.1.1.01.001

CAIXA

(2) 10.000,

  • Parcial ( Parte do capital )

Exemplificando:

1) Constituição uma sociedade comercial, com capital de R$ 10.000, , subscrito (dividido ) entre dois sócios, da seguinte maneira: R$ 5.000, para João e para José R$ 5.000,

(Parte 1 de 14)

Comentários