Tecnologia para seleção

Tecnologia para seleção

A escolha adequada de tecnologia para seleção Patrícia Bispo

Novas tecnologias que otimizem os serviços e garantam uma melhor performance para a obtenção de resultados. Essa tem sido uma busca constante de vários segmentos profissionais e a área de Recursos Humanos não é uma exceção. Hoje, por exemplo, existem inúmeras ferramentas disponíveis no mercado para o RH aplicar no seu dia-a-dia. A questão é saber qual recurso deve ser utilizado e se o mesmo atenderá às necessidades da organização.

No ano passado, a AJESP (Associação dos Joalheiros de São Paulo) investiu na tecnologia e encontrou uma ferramenta que tem auxiliado a organização a encontrar novos talentos que façam a diferença para o negócio. De acordo com Denise Tassi, coordenadora da Bolsa de Empregos da AJESP, a necessidade de utilizar um software de apoio surgiu do objetivo de melhorar o processo seletivo de candidatos realizado junto às empresas associadas ao Sistema AJESP SINDIJÓIAS SINDICOM - órgão oficial que representa os interesses dos empresários ligados aos setores de jóias, relógios, gemas, metais precisos e afins.

“A primeira etapa, após a instalação do software na AJESP, foi realizar a digitalização dos currículos disponíveis na organização. Depois foi realizado o cadastramento dos clientes que utilizamos o recurso de importar do nosso banco de dados. Na seqüência, iniciamos o cadastramento das vagas. A partir desta etapa, o tempo entre a abertura e o fechamento das vagas foi reduzido acentuadamente”, explica Denise Tassi, ao acrescentar que o tempo para organização adaptar-se ao software foi de aproximadamente um mês – período em que a organização recebeu treinamento para aprender a utilizar todos os recursos da ferramenta.

A escolha do software utilizado pela AJESP foi o SPA (Seleção de Pessoal AncoraRh) – uma ferramenta destinada à área de Recursos Humanos e que foi desenvolvida pela AncoraRh. Em relação aos benefícios gerados pela escolha da tecnologia, além do ganho de tempo para o fechamento das vagas, houve um aumento de 100% na receita financeira gerada pelo departamento. “A agilidade obtida com a implantação do SPA foi surpreendente, os controles e os relatórios que o software oferece e a rapidez no gerenciamento das vagas refletiu diretamente nos resultados obtidos pelo departamento”, complementa a coordenadora da Bolsa de Empregos da AJESP.

O SPA - Além de suas características clássicas de gestão de currículos, que dispensa a digitação e gera a eliminação de 100% dos papéis, o software desenvolvido pela AncoraRh traz outros benefícios para as organizações que o adotam. Dentre as vantagens oriundas a partir da utilização da ferramenta está a redução de custos, uma vez que o software gera diminuição significativa no tempo operacional. Para se ter uma idéia, antes da aquisição desse sistema algumas empresas, que hoje utilizam o SPA, tinham uma limitação natural de performance. A saída para essas organizações melhorarem o desempenho das atividades da área de RH era aumentar o contingente de profissionais. Depois da utilização do software, as empresas otimizaram o tempo, os métodos, os procedimentos e, conseqüentemente, a rentabilidade.

Rogerio Leme, diretor da AncoraRh, explica que para usar essa ferramenta o cliente recebe treinamento personalizado para atender às suas necessidades específicas. Vale destacar que o SPA vem sendo atualizado constantemente para acompanhar as tendências do mercado. Foi justamente com essa visão de futuro que a AncoraRh incluiu um módulo de competências que hoje acompanha o software.

"As mudanças no mercado de Recursos Humanos e no processo de Gestão por Competências é uma realidade que as empresas não têm como evitar ou mesmo fechar os olhos. Devemos sempre lembrar que uma das exigências para quem deseja conquistar a Norma ISO é investir nas competências dos profissionais. Dessa forma, não é suficiente ter a melhor solução para a gestão de currículos, cliente e vagas. É necessário inovar. É exatamente nesse ponto que encontramos a grande questão e o desafio: como viabilizar que uma consultoria e uma agência de emprego, por exemplo, façam uma seleção por competências sem que o cliente tenha as competências mapeadas?", questiona Rogerio Leme.

A grande vantagem do módulo de competências do SPA é que o mesmo permite que as empresas, as consultorias e as agências de emprego façam a seleção por competências, uma vez que o software utiliza o princípio da Metodologia do Inventário Comportamental para Mapeamento de Competências que foi desenvolvido pela AncoraRh.

"Agora o SPA permite identificar as competências que a vaga exige, extraindo as necessidades de seu requisitante de uma forma simples, prática, clara e objetiva, sem que seja preciso falar obrigatoriamente em competências", ressalta Leme, ao acrescentar que o mapeamento das competências, para a área de RH, será cada vez mais utilizado. Ele lembra que com a quantidade de profissionais existentes, o mercado passou a buscar qualidades comportamentais que até então eram cogitadas como, por exemplo, flexibilidade, criatividade, foco em resultados e no cliente, capacidade empreendedora, entre outras. "As empresas não querem apenas colaboradores, mas sim empreendedores e isso tudo se traduz em investimento de competências comportamentais. Esse é o foco e o futuro das empresas", conclui Leme, que lançará no CONARH 2007, seu terceiro livro sobre competências, "Entrevista e Seleção por Competências com o Inventário Comportamental".

Matérias relacionadasSeleção: não esqueça das competênciasLivro aborda competências na práticaSoftware SPA traz novidades para o mercadoPrestadoras de serviços recorrem à tecnologiaEmpresas terceirizam serviços de RHO que a tecnologia pode fazer pelo profissional de RH?Informática ganha popularidade em RHGrupo Marpe adota software de R&SUtilizando a tecnologia para captar talentosUma empresa livre das pilhas de papel

Serviço:www.AncoraRh.com.br

Seleção: não esqueça das competências Patrícia Bispo

Se antes a habilidade técnica era considerada fator preponderante na contratação de um profissional, hoje os selecionadores procuram algo mais quando entrevistam o candidato e buscam identificar se o entrevistado possui as chamadas competências comportamentais. Para isso, as empresas e as consultorias têm recorrido cada vez mais à adoção da seleção por competências - metodologia que permite a realização do mapeamento do perfil de competências e identifica a presença ou a ausência dessas no repertório comportamental do candidato. Geralmente, a seleção por competências vem sendo aplicada em candidatos que possuem experiências anteriores, mas como os processos sempre podem ser adaptados às novas realidades, já há quem utilize essa metodologia até mesmo na seleção de estagiários e de trainees.

De acordo com Jussara Amâncio, da Ampliarh Consultoria e Desenvolvimento de Competências, atualmente as empresas estão mais interessadas em profissionais que tenham competências técnicas e comportamentais já internalizadas e que possuam potencial para desenvolver outras. "As empresas estão mais rigorosas na seleção dos talentos. Não adianta falarmos em reter talentos se erramos no processo de contratação. Muitos testes e avaliações psicológicas entraram em descrédito devido à falta evidente de acertos. A partir daí, os gestores de RH e as consultorias começaram a procurar ferramentas mais eficientes como a seleção por competências", justifica.

A seleção por competências, explica Jussara Amâncio, é prática, objetiva e trabalha com base em fatos e evidências, ao invés de se pautar em suposições ou interpretações. Na Ampliarh Consultoria, por exemplo, as entrevistas com os candidatos contam com perguntas abertas, focando a efetiva atuação do profissional em determinada área ou situação. "Na Ampliarh Consultoria, utilizamos a seleção por competências na divisão Executivos, onde trabalhamos fortemente o diagnóstico de competências técnicas e comportamentais. No caso dos estagiários e trainees, avançamos mais nas competências comportamentais", complementa.

Na prática, durante a seleção de estagiários e de trainees, a consultora afirma que são trabalhadas as experiências vividas no ambiente familiar, escolar e de amigos. A entrevista é estruturada com uma linguagem simples, onde o entrevistado tenha tranqüilidade para se expressar, um ambiente de confiança e de transparência. Quando questionada sobre as vantagens que essa metodologia traz à seleção de talentos, Jussara Amâncio lembra que hoje a maior causa de demissão nas empresas está relacionada a fatores comportamentais e a seleção por competências tem se mostrado um método mais eficiente para evitar problemas dessa natureza.

Tecnologia e competências - Se por um lado a seleção por competências é vista como uma metodologia que tende a ser muito utilizada pelos profissionais de Recursos Humanos, por outro lado ainda há quem mantenha certa "distância" desse recurso por acreditar que o mesmo é complicado. No entanto, a prática mostra o contrário. Segundo Rogerio Leme, autor do livro "Aplicação Prática de Gestão de Pessoas por Competências", Editora Qualitymark, e diretor da AncoraRh Informática - empresa que desenvolve softwares para a área de RH, infelizmente o mercado ainda vê a seleção por competências como um processo envolvido por "mistérios". Isso ocorre principalmente porque as pessoas tratam as competências como caixas pretas.

"Hoje, deseja-se que todos dentro das empresas falem em competências. Sendo que competências não são nossa linguagem do dia-a-dia. Nós não conseguimos compreender competências, exceto os especialistas. Mas, ao contrário, todos conseguem observar os indicadores de comportamentos que significam as competências. Esse é o ponto-chave: trabalhar como indicadores de competências, que nada mais são do que os comportamentos observáveis", explica.

Leme chama a atenção para o fato de que a seleção por competências tem tido um grande aliado que facilita a sua utilização: a tecnologia. A questão, por outro lado, é conseguir trazer essa mesma tecnologia em termos acessíveis à realidade das empresas brasileiras, principalmente ao setor de seleção que se encontra dentro da área de Recursos Humanos. É preciso transpor a barreira que muitos sistemas de RH possuem, ou seja, uma visão estritamente contábil do processo para um ângulo de gestão de pessoas. "Ter um sistema de RH não é apenas contar com uma folha de pagamento e registro histórico e burocrático das pessoas que realizam um treinamento, ou ainda um cadastro de candidatos. A diferença está em transformar e complementar essas informações em gestão de pessoas na essência. Essa é a grande revolução", alerta o diretor da AncoraRh Informática.

E como a proposta deve partir para a prática, Rogerio Leme desenvolveu softwares que têm facilitado a vida de quem utiliza a seleção por competências. Dentro desse trabalho, encontram-se o SPA - Seleção de Pessoal AncoraRh e o GCA-R&S, Gestão de Competências AncoraRh, módulo de Recrutamento e Seleção. Essas ferramentas trabalham com informações e técnicas específicas para cada realidade, porém ambas tratam situações em comum:- digitalização de currículos recebidos em papel;- recebimentos de currículos via Internet, com o diferencial de eliminar enormes formulários no site, permitindo, inclusive, anexar-se o currículo no formato do word;- recebimento de currículos anexos aos e-mails, sem que seja preciso imprimi-los ou redigitá-los;- eliminação de 100% dos papéis, tanto de vaga quanto de currículo.

Além de oferecer essas vantagens, os softwares também se tornam ferramentas auxiliares no processo de seleção por competências, pois possuem a capacidade de armazenar o perfil de competências comportamentais e técnicas necessárias para cada função. Tanto o SPA quanto o GCA-R&S também comparam as competências que o candidato apresentou durante o processo seletivo, gerando um relatório de Gap de Vaga, onde é possível analisar o melhor candidato e identificar as necessidades de treinamento que eventualmente serão necessárias.

Para auxiliar a captação dessas competências, os sistemas possuem um banco de dados das perguntas que podem ser feitas na entrevista comportamental, além de um banco de jogos e dinâmicas de grupo que permitem a visualização de competências. "Já está em versão beta uma ferramenta em que o selecionador lançará no sistema sua percepção em cada um dos indicadores de competências, o que apontará automaticamente o nível de competência do colaborador e ainda, quais os comportamentos que ele precisará desenvolver em caso de contratação, estabelecendo assim a prioridade de treinamento", conclui Rogerio Leme.

Livro aborda competências na prática Patrícia Bispo

Nessa semana, durante a realização do CONARH 2005 - 31º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, que acontece no período de 1º a 4 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP), a área de Gestão de Pessoas terá acesso ao que há de melhor em inovação e realizações para a área de RH. Dentro das programações do evento, encontram-se lançamentos de títulos que oferecerão ao público as mais variadas ferramentas que estão sendo utilizadas pelos profissionais de RH. Neste contexto, não poderia ficar de fora a Gestão por Competências, metodologia que vem sendo utilizada cada vez mais pelas organizações. Para assegurar espaço para esse tema, a Editora Qualitymark está lançando, em seu stand, o livro "Aplicação Prática de Gestão de Pessoas por Competências". Para conhecer um pouco sobre este trabalho e seus diferenciais em relação aos demais títulos que se encontram no mercado e abordam o assunto, o RH.com.br entrevistou o autor da obra, Rogerio Leme. Além de ser consultor, Leme traz em seu currículo a experiência de ser facilitador de treinamentos com especialização em Gestão de Pessoas por Competências. Confira a entrevista e aproveite a leitura!

RH.com.br - Como surgiu a proposta de lançar um livro voltado para a Gestão por Competências?Rogerio Leme - Surgiu da percepção que tive da ausência de literatura que trate temas de Mapeamento de Competências. No mercado, encontramos diversos "aventureiros" que dizem fazer gestão por competências e não fazem. Então, eu quis desmistificar que esse é um processo muito mais simples e acessível, apresentando um roteiro prático de como fazer o mapeamento, a avaliação, o treinamento, a seleção e ainda dar dicas ao leitor de como mensurar os resultados de treinamentos, sempre com foco em competências.

RH - Qual a principal proposta de sua obra?Rogerio Leme - Tenho uma meta ambiciosa, porém realista: fazer com que o leitor possa realmente implantar a Gestão por Competências utilizando os recursos da sua própria empresa, de forma simples, rápida, sem subjetividade e comprovada matematicamente.

RH - Qual o público-alvo que o Sr. pretende alcançar?Rogerio Leme - Profissionais de RH e gestores de pessoas. É importante ressaltar que atualmente todos dentro de uma organização são gestores de pessoas. Com a característica de acumularmos varias atividades dentro das empresas, todos temos que estar preparados para oferecer o melhor e extrair o melhor da equipe. Isso é gerir competências, logo não é uma atividade restrita ao profissional de RH. O RH tem um papel fundamental de orientar e facilitar os gestores de sua empresa. Portanto, o livro tem uma linguagem simples e acessível em todos os níveis.

RH - O Sr. realizou pesquisas para estruturar seu trabalho?Rogerio Leme - Tudo teve início analisando o princípio da avaliação 360 graus de trás para frente, ou seja, analisando o que deveria ser feito para construir o conteúdo de uma avaliação 360 graus com foco em competências. Partindo desse princípio e com o foco sempre em usar os recursos da própria empresa, foi criada a metodologia, que na teoria foi apresentada a consultores experientes e de renome no mercado e depois validada por diversas empresas, atestando a funcionalidade e praticidade do método.

RH - Qual o diferencial do seu trabalho em relação aos outros livros que já se encontram no mercado?Rogerio Leme - Existem vários livros sobre competências, alguns falam sobre mapeamento, mas quase nenhum explica como fazer e os que explicam usam metodologias que requerem grande experiência do condutor do projeto, sendo obrigatoriamente necessário recorrer a um consultor muito experiente. Utilizando o Inventário Comportamental para Mapeamento de Competências usamos "Indicadores de Comportamentos", uma linguagem simples e que todos da organização entendem, o que permite que seja uma implantação tranqüila e segura.

RH - Como o Sr. acabou de comentar, em determinado momento sua obra também abre espaço para o Inventário Comportamental para Mapeamento das Competências. Como essa ferramenta funciona?Rogerio Leme - Tentarei responder resumidamente como essa ferramenta é aplicada na prática. Uma amostragem dos colaboradores de cada função é escolhida para participar de uma atividade de coleta de indicadores, que é chamada "Gosto/Não Gosto/O Ideal Seria". Com a consolidação desses indicadores e os associando às competências, são identificados os indicadores de competências que a organização precisa, conseqüentemente, as competências organizacionais. Tudo de forma natural e com foco na realidade da organização.

RH - Quais as vantagens que o Inventário Comportamental para Mapeamento das Competências pode trazer às organizações?Rogerio Leme - Por ser baseado no conceito de Indicadores de Competências é fácil e tem rápida aplicação, o que reduz investimentos financeiros para a implantação. O inventário utiliza os recursos da própria empresa o que valoriza o papel de cada um na organização e caracteriza o processo como um método construtivo e participativo. É comprovado matematicamente, eliminando a subjetividade do processo tradicional de mapeamento de competências.

RH - O Sr. acredita que a Gestão por Competências tende a ser mais utilizada pelas organizações?Rogerio Leme - Não há duvidas, porque as competências comportamentais representam o diferencial competitivo do colaborador, que é a empresa. A competência técnica é possível ser treinada, mas a comportamental deve ser desenvolvida, o que leva mais tempo. E como as empresas precisam otimizar o seu tempo, logo é um caminho natural.

RH - Por que as empresas estão buscando cada vez mais mapear as competências dos colaboradores?Rogerio Leme - Porque é preciso ser mais objetivo ao treinar e desenvolver as pessoas. É preciso ter mais foco ao investir em treinamentos. A Gestão por Competências permite isso. Ela é o primeiro passo para ter um ROI (Retorno de Investimento) de treinamento adequado.

Software SPA traz novidades para o mercado Patrícia Bispo

O SPA (Seleção de Pessoal AncoraRh) - software voltado para a área de Recursos Humanos, além de suas características clássicas de gestão de currículos onde não é necessária digitação e acontece a eliminação de 100% dos papéis, a partir de agora traz uma grande novidade: a inclusão de um novo módulo de competências. "Estamos sempre atentos às necessidades do mercado de RH e Gestão por Competências é uma realidade que as empresas não têm como fechar os olhos para esse fato. Além disso, também é uma das exigências para quem deseja conquistar a Norma ISO. Para nós, não basta apenas ter a melhor solução para a gestão de currículos, cliente e vagas. Precisamos sempre inovar. Aí, entra a grande questão e o desafio: como viabilizar que uma consultoria e uma agência de emprego façam uma seleção por competências sem que o cliente tenha as competências mapeadas?", questiona Rogerio Leme, diretor da AncoraRh Informática empresa que idealizou o SPA.

A grande vantagem deste novo módulo é que ele possibilita que as consultorias e as agências de emprego possam fazer a seleção por competências de uma vaga mesmo que o cliente sequer saiba o que significa "competências", uma vez que o software utiliza o princípio da Metodologia do Inventário Comportamental - desenvolvida pela AncoraRh Informática - que está registrada num capítulo do novo livro da especialista Maria Odete Rabaglio, intitulado "Ferramentas de Avaliação de Performance com Foco em Competências".

"A nova facilidade acrescentada ao SPA permite identificar as competências que a vaga exige, extraindo as necessidades de seu requisitante de uma forma simples, prática, clara e objetiva, sem que precisemos falar obrigatoriamente em competências, afinal ele pode não ter sido treinado para dominar esse assunto", argumenta o diretor da AncoraRh Informática. Leme ressalta que o mapeamento das competências, para a área de RH, será cada vez mais utilizado. Para isso, ele argumenta que com a quantidade de profissionais existentes no mercado, passou-se a buscar qualidades comportamentais nos profissionais que até então eram cogitadas como, por exemplo, flexibilidade, criatividade, foco em resultados e no cliente, capacidade empreendedora, entre outras. "Hoje, o mercado não quer apenas que sejamos empregados, mas sim empreendedores e isso tudo se traduz em competências comportamentais. Esse é o foco e o futuro das empresas", destaca Rogerio Leme.

Outras vantagens - O SPA ainda traz outra vantagem para a organização como, por exemplo, redução de custos, uma vez que o recurso possibilita a diminuição significativa no tempo operacional. Antes da aquisição desse sistema, algumas empresas tinham uma limitação natural e a saída encontrada era que para melhorar a produtividade, seria preciso aumentar o contingente de profissionais. Depois da utilização do software, otimizou-se o tempo, os métodos, os procedimentos e conseqüentemente a rentabilidade.

Para quem passou a usar essa ferramenta, a migração dos papéis para a tecnologia não ocorreu da noite para o dia, uma vez que o processo sempre aconteceu de forma gradativa e a AncoraRh Informática oferece treinamento personalizado para atender às necessidades de cada cliente.

Segundo Leme, para o mercado corporativo a AncoraRh também disponibiliza outros recursos como o GCA - Gestão de Competências AncoraRh, composto pelos módulos de T&D, R&S, Mapeamento de Competências e Avaliação. "Todos esses módulos possuem foco em competências, onde as técnicas e as metodologias utilizadas estão baseadas no livro Seleção por Competências, também de Maria Odete Rabaglio", conclui o diretor da AncoraRh Informática.

Prestadoras de serviços recorrem à tecnologia Patrícia Bispo

A partir da década de 90, o mercado tecnológico abriu-se definitivamente para o mundo. As organizações ficaram frente a uma verdadeira revolução, pois o volume de informações aumentava todos os dias e surgia em todas as partes do planeta. Para as empresas, só restou uma opção: enquadrar-se a este novo cenário ou serem sufocadas pela concorrência.

Dentro dessa realidade, a área de RH também foi obrigada a acompanhar as mudanças e isso significou correr contra o tempo e assimilar novos conhecimentos, notadamente aqueles gerados pela tecnologia. Mas, isso não ficou apenas restrito às grandes corporações. As empresas do trabalho temporário também tiveram que acompanhar o ritmo globalizado e o resultado tem sido evidenciado através da adoção de novas ferramentas que facilitam o andamento dos processos relativos à área.

Para se ter uma idéia do que o mercado das empresas de trabalho temporário significa para o Brasil, segundo levantamento realizado pelo Ministério do Trabalho e do Emprego, até 2002 existiam no país cerca de 800 organizações deste segmento, com quase 1.200 escritórios distribuídos em todo o território nacional. Isto serve para se ter uma noção da contribuição que estas empresas representam em relação ao fornecimento de mão-de-obra.

Mas este universo de empresas de trabalho temporário tem buscado na tecnologia o respaldo necessário, para captar profissionais qualificados. "Poderia afirmar que todas as áreas foram beneficiadas com a informática. Os departamentos Pessoais e a área administrativa foram as mais fortalecidas com as novas tecnologias. Poderosos softwares foram desenvolvidos para processar folhas de pagamento, benefícios e todas a rotina que temos que enfrentar", destaca o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário - Asserttem, Necésio Tavares.

Ele destaca que nos processos de R&S, o uso dos anúncios eletrônicos de vagas e os softwares de mensuração psicológica têm facilitado o trabalho de seleção e adequado as pessoas às áreas disponíveis. Além disso, Tavares destaca que as empresas de trabalho temporário possuem condições de armazenar um grande volume de currículos, tendo inclusive um acesso mais rápido e eficiente quando é preciso recorrer aos bancos de dados. "Com isso, temos facilidade de interação com o cliente que solicita o profissional e através do e-mail podemos encaminhar os currículos para análise.

O presidente da Assertem comenta ainda que existem no mercado softwares, como o SPA da AncoraRH Informática que oferece benefícios significativos. "Por utilizar a tecnologia do Reconhecimento Ótico de Caracteres - OCR, esta ferramenta reduz de dez para um minuto e meio, o tempo necessário para introduzir um currículo no banco de dados. Assim, a constituição e a manutenção ficam facilitadas. Um outro recurso muito valioso desse sistema é a possibilidade de se administrar o relacionamento com os clientes, pois permite o monitoramento do processo como um todo. Pelo fato de estar em rede, o software possibilita ainda que todos dentro da empresa tenham acesso imediato a qualquer informação a respeito do cliente", resume Tavares.

Para o diretor da AncoraRh Informática, Rogerio Leme, para quase tudo existe um sistema disponível no mercado. Para as empresas de trabalho temporário, por exemplo, um dos destaques tem sido os sistemas de pagamento integrados com o faturamento financeiro e contábil, como os que são oferecidos pela Ginfor, além do SPA que elimina 100% dos papéis, sem que haja digitação. Esta ferramenta gerencia todo o relacionamento comercial com o cliente que inclui desde vagas, propostas, contratos, serviços, acompanhamentos, telemarketing, entre outros.

Quando menciona os benefícios trazidos pela tecnologia, Leme destaca principalmente a aquisição do conhecimento. "Não há nada mais amplo do que o conhecimento, pois somente com os recursos tecnológicos você poderá enxergar sua empresa e visualizar as vantagens e os pontos que precisam ser melhorados, com a rapidez que o mercado exige. Assim, você conseguirá atender melhor o cliente, conhecer suas necessidades, evitar erros, ganhar confiança e fidelidade do cliente", comenta o diretor da AncoraRH Informática.

Leme ressalta ainda que a tecnologia está presente para todas as empresas e estas, por sua vez, possuem peculiaridades e são diferentes. Cabe às organizações usar a criatividade, pois os recursos oferecidos pela informática são frios e precisam ser usados com inteligência. "Este será o diferencial. Ou as empresas recorrem à tecnologia ou estão fadadas a serem extintas do mercado. O volume de informações é muito grande, o tempo é mínimo, o custo operacional deve ser reduzido. O incrível é que algumas empresas ainda vêem na tecnologia um custo, enquanto deveriam considerá-la como a principal ferramenta para alavancar os negócios", conclui.

Empresas terceirizam serviços de RH Patrícia Bispo

Cada vez mais, as médias e as grandes empresas estão investindo em serviços considerados prioritários como marketing, propaganda e planejamento estratégico. Mas é importante lembrar que a área de Recursos Humanos também conquistou espaço no mundo empresarial, pois as organizações estão conscientes de que para se alcançar o sucesso é necessário contar com equipes formadas por profissionais de talento. Para isso, vale oferecer desde remunerações atraentes até programas que visam a motivação ou a melhoria da qualidade de vida dos colaboradores.

Por outro lado, como as micros e as pequenas empresas podem formar equipes competentes e comprometidas com o negócio, se elas não têm condições de criar um departamento de Recursos Humanos? A resposta para esta questão, pode ser encontrada em consultorias da área que oferecem serviços terceirizados.

"A grande empresa tem um departamento de RH que auxilia os líderes motivarem seus subordinados, cria campanhas que incentivam o lazer e a integração das pessoas, oferece assistência social, promove a comunicação interna, treina, seleciona e avalia o desempenho dos funcionários. Numa pequena empresa, o dono acaba fazendo isso sozinho, sem orientação ou conhecimentos necessários. Com isso, ele acaba se desgastando com essas questões e o resultado nem sempre é positivo", avalia a diretora da Arion Recursos Humanos - consultoria que presta serviços terceirizados na área, Cidália Martins.

Segundo ela, terceirizar o departamento de RH pode ser uma ótima solução para os micros e os pequenos empresários, visto que o investimento aplicado é baixo se comparado aos resultados que são alcançados. "Nossa equipe oferece um trabalho realizado com base nos objetivos da empresa. A partir disso, desenvolvemos um trabalho, por um período pré-determinado. Para cada organização, disponibilizamos oitohoras semanais, além de mais quatro horas mensais para treinamentos das equipes", destaca Martins.

Na prática, os serviços da consultoria incluem a realização de pesquisas de clima organizacional - identificação de possíveis conflitos e problemas no ambiente de trabalho; descrição de cargos - definição das responsabilidades de cada função e dos conhecimentos necessários para o desempenho das atividades; comunicação interna - criação de fatores motivadores; avaliação de desempenho - determinação de metas e de objetivos dos cargos e análise periódica dos resultados; levantamento das necessidades da empresa - elaboração de um programa que objetiva o desenvolvimento das equipes; treinamentos - desenvolvimento de potenciais para atender aos clientes, e assessoramento aos líderes.

Ela destaca ainda que antes de trabalhar cada uma dessas áreas, a consultoria realiza um diagnóstico para identificar de que forma as questões deverão ser trabalhadas, para que o resultado desejado seja alcançado.

"Também realizamos processos de R&S para cargos efetivos e estagiários. Nesse caso, utilizamos o software SPA que torna o processo seletivo mais rápido, eficiente e organizado", comenta a diretora da Arion Recursos Humanos, destacando ainda que esse sistema, desenvolvido pela AncoraRh Informática, oferece várias vantagens de operacionalização, uma vez que através da digitalização de documentos elimina 100% dos currículos recebidos em papel.

Por fim, Cidália Martins reforça a importância das micros e das pequenas empresas terem acesso à área de RH. "Essas organizações precisam desse recurso, da mesma forma que necessitam de um planejamento financeiro, de recursos tecnológicos e de uma boa divulgação do seu trabalho. Nenhuma destas questões são menos importantes. Todas elas formam a base para a evolução de um negócio", conclui.

O que a tecnologia pode fazer pelo profissional de RH? Patrícia Bispo

Nos últimos anos, o mercado evidenciou muitas mudanças decorrentes do fenômeno da Globalização. E foi diante desta realidade que as empresas constataram que era preciso acompanhar o processo de transformação mundial e que caso resistissem, seriam vencidas pela concorrência. Na área de Recursos Humanos não foi diferente. Hoje, os profissionais de RH buscam constante reciclagem e ferramentas que possam facilitar o dia-a-dia e melhorar a qualidade do atendimento aos clientes.

E um dos mecanismos que se tornou parceiro do RH foi o uso da tecnologia. No momento, é quase impossível imaginar uma empresa que não utilize os recursos e as facilidades oferecidas pela informática. Foi pensando justamente no futuro que, no início da década de 90, a Good Service Consulting - empresa paulista especializada em Recrutamento e Seleção, começou a investir na aquisição de softwares. "Foi em 1992, que a nossa organização adquiriu o SPA da AncoraRH Informática, uma ferramenta que nos livrou das pilhas de papel que eram formadas pela grande quantidade de currículos que recebíamos", explica o diretor financeiro da empresa, Vander Morales.

Segundo ele, a ferramenta criada para dar suporte aos processos de Recrutamento e Seleção utiliza a digitalização de papéis, ou seja, recorre ao scanner e assegura aproveitamento de 100% dos documentos existentes. Através do SPA a empresa passou a ter condições de otimizar seus serviços, uma vez que eliminou definitivamente o tradicional processo de digitação.

"No início, nossa equipe sentiu um pouco de dificuldade de acompanhar as mudanças. No entanto, a AncoraRh ofereceu suporte e treinamento e com o passar do tempo, conseguimos superar a etapa de adaptação. Antes da utilização deste sistema, todos os processos pertinentes a Recrutamento e Seleção eram realizados manualmente. Após a implantação do software, houve grande agilidade nos processos e como agora são realizados automaticamente, ganhamos tempo para a realização de outras tarefas", assegura Morales.

Através do SPA, os dados dos candidatos foram inclusos no sistema, com rapidez e passaram a ser localizados de forma mais ágil. Os currículos encaminhados por e-mail, que cada vez são mais constantes, foram incluídos sem que precisassem ser impressos ou redigitados. O software classificou as informações, reduziu o tempo e o custo com maior riqueza de detalhes, uma vez que a empresa teve condições de aproveitar os currículos originais.

"Como a utilização rápida do sistema, o tempo de preenchimento das vagas foi reduzido. Conseguimos aumentar a satisfação do cliente não apenas no fator tempo, mas também no volume de candidatos mais qualificados", finaliza o diretor financeiro da Good Service Consulting.

Informática ganha populariadade em RH Patrícia Bispo

A informática virou uma ferramenta auxiliar para muitos profissionais. E para o RH, esta realidade não poderia ser diferente. Hoje, cada vez mais, vemos os avanços tecnológicos otimizarem os serviços prestados pelas organizações e conseqüentemente, influenciarem o aumento da produtividade e o fortalecimento da competitividade. Atrelada às constantes transformações, o mercado começa a se convencer de que esses recursos não vieram apenas para beneficiar grandes organizações, uma vez que também são acessíveis às pequenas e médias empresas.

"Hoje, vejo a informática separada em duas camadas: a primeira oferece sistemas repletos de tecnologia de ponta, economicamente acessível apenas para uma elite. Porém, existe uma outra camada onde se encontra a maioria das organizações, inclusive muitas de grande porte. Para esta classe, existem soluções com custos mais baixos, mas com uma excelente tecnologia. Neste segundo exemplo, vale salientar, que os sistemas precisam ter como principal componente a criatividade técnica, para suprir alguns recursos tecnológicos", explica o diretor da AncoraRh Informática, Rogerio Leme.

Segundo Leme, infelizmente alguns profissionais de RH ainda acreditam que não precisam e nem necessitarão dos benefícios oferecidos pela tecnologia. "Alguns acham que devem se dedicar apenas às Ciências Humanas e que a informática está relacionada apenas às Exatas", complementa Rogerio ao salientar que isto é um grande engano, pois ótimos produtos estão atendendo às necessidades de vários departamentos de RH.

Para justificar a sua defesa, no que se refere à informatização do RH, Rogerio explica que todo o processo de informática possui duas etapas: o operacional e o gerencial. Na primeira, são observados a simplificação de metodologias, ganho de tempo e o aumento da eficiência e da eficácia. Já no gerencial, os resultados decorrentes ao processo implementado estarão disponíveis aos gestores de RH.

"Podemos resumir que as empresas com o RH informatizado certamente já evoluíram na conquista desses objetivos e isso possibilita que elas invistam ainda mais no RH, pois é necessário saber quantos colaboradores a empresa possui e seu perfil detalhado, quais as necessidades que eles possuem, quem são os líderes da empresa e qual o seu perfil. Com isso, é possível construir uma forte base de dados para aplicar na área de RH", complementa.

Além da redução de custo, outro fator também tem colaborado para a popularização da informática na área de Recursos Humanos: as grandes vantagens oferecidas por este recurso. Em termos operacionais, Leme cita os softwares que são destinados, por exemplo, às folhas de pagamento, que estão diretamente ligadas à saúde financeira da empresa e ao bolso do trabalhador.

"Ter também um sistema informatizado de R&S proporciona vários benefícios, como o poder de avaliar mais currículos em menor espaço de tempo, economizando inclusive recursos de captação. Um exemplo prático, são os produtos que desenvolvemos para R&S que eliminam 100% dos papéis e que trata os currículos recebidos por e-mail a um custo operacional extremamente acessível", afirma Rogerio.

Dentre os softwares desenvolvidos pela AncoraRh, ele destaca o SPA - Seleção de Pessoal AncoraRh, voltado para Agências de Emprego e Consultoriais de RH, onde os currículos digitados são substuídos pela digitalização dos documentos, através do scanner. "Nesse caso, nosso cliente ganha agilidade, pois com os currículos no banco de dados, qualquer palavra que conste no corpo do currículo pode ser localizada por função, o que facilita a identificação do candidato por perfil para o cargo.

De acordo com Leme, a informática também tem se popularizado no mercado, porque os consumidores têm recorrido a algumas alternativas interessantes, dentre elas, a locação de softwares.

"Quando uma empresa faz a aquisição de um veículo, por exemplo, há um valor a ser investido que na hora da venda é recuperado, claro que proporcionalmente à depreciação do veículo. Se a empresa comprar um software, ela não repassa esse produto para terceiros quando não tiver mais necessidade da prestação do serviço. Ou seja, a organização dispôs de um valor inicial que sequer poderá recuperar em parte. Digo na brincadeira, que o sotware é um ativo tão fixo que chega a ser permanente", finaliza o diretor da AncoraRh Informática, ao acrescentar que a locação é uma prática que ganhará força com o passar do tempo.

Grupo Marpe adota software de R&S Patrícia Bispo

Para uma empresa conseguir bons resultados, contar com uma equipe formada por profissionais competentes e dedicados nem sempre é o suficiente para se conquistar as metas almejadas. Em alguns casos, o grande volume de papel chega mesmo a comprometer o desempenho dos colaboradores, pois manusear uma considerável quantidade de documentos requer tempo. Imagine quando se trata de uma empresa que atua diretamente com processos de Recrutamento & Seleção. Neste caso, o problema pode tornar-se ainda mais sério.

Foi para evitar problemas semelhantes que o Grupo Marpe - empresa localizada em Fortaleza/CE, adotou há um ano, o software SPA da AncoraRh Informática - uma ferramenta de Recrutamento & Seleção que utiliza a digitalização de papéis, ou seja, recorre ao scanner e assegura o aproveitamento de 100% dos documentos existentes.

Graças ao SPA, a empresa teve condições de otimizar seus serviços, uma vez que eliminou definitivamente o tradicional processo de digitação. A equipe do Grupo Marpe passou a realizar trabalhos mais qualificados e menos operacionais. Os dados dos candidatos inscritos foram incluídos no sistema com mais rapidez, na hora do cadastramento e hoje são localizados em pouco tempo.

Os currículos encaminhados por e-mail, cada vez são mais constantes, foram incluídos no software, sem que precisassem ser imprissos ou redigitados. O SPA classificou as informações, reduziu o tempo e o custo com considerável riqueza de detalhes, uma vez que a organização também pôde disponibilizar os currículos originais.

"Resolvemos adotar o software SPA por se tratar de um sistema ágil na digitalização do banco de dados de grande porte, como o nosso. Já havíamos tentado utilizar dois outros sistemas, mas não tivemos sucesso, em virtude da necessidade de digitar todo o currículo. Tínhamos 40 mil currículos em papel e isso fazia a triagem extremamente lenta. Agora, em 15 segundos temos a triagem pronta", comenta a analista de RH, Valéria Mota.

Segundo ela, tanto a migração dos currículos do papel para o software foi rápida, quanto os colaboradores do Grupo Marpe não tiveram dificuldades de trabalhar com a nova ferramenta. "Tivemos uma semana de treinamento e a equipe foi capacitada a digitalizar os currículos, classificá-los e cadastrá-los por e-mail. O processo é super fácil", complementa a analista de RH, ao acrescentar que a AncoraRh Informática oferece todo o suporte necessário em relação às constantes inovações e atualizações do sistema.

O software também trouxe outras vantagens para a organização. Dentre elas, Valéria Mota cita o fato da empresa passar a localizar talentos com mais agilidade. "Com uma equipe 30% menor, conseguimos manter o mesmo patamar de contratações", ressalta. Além disso, complementa Mota, o relacionamento entre a empresa e o cliente ficou mais claro, preciso e organizado, uma vez que o Grupo Marpe passou a ter mais controle sobre o gerenciamento da vaga, do cliente e dos candidatos registrados.

Utilizando a tecnologia para captar talentos Patrícia Bispo

Otimizar o tempo disponível e garantir a manutenção de bons serviços são fatores que têm levado muitas empresas a buscarem soluções práticas para se manterem competitivas. E as organizações que trabalham com processos de Recrutamento & Seleção, não poderiam fugir desta realidade imposta pelo mercado globalizado.

Este foi o caso da Meta RH - empresa localizada em Joinville/SC, que desde maio de 2001, adotou o software SPA da AncoraRH Informática - uma ferramenta que recorre à digitalização de papéis e possibilita o aproveitamento de 100% dos documentos existentes.

"Nossa empresa é nova no mercado, tem dois anos de atividades e uma das nossas prioridades sempre foi a de termos tecnologia de ponta. Resolvemos implantar o SPA em nossa empresa, porque visualizamos nele a informatização completa da área de Recrutamento & Seleção", explica Iara Sandra Jahn, gerente de seleção da organização.

Segundo ela, todos os colaboradores da empresa passaram por um treinamento ministrado pela própria AncoraRH Informática, que visou facilitar a compreensão dos objetivos do sistema, bem como a correta utilização do mesmo. "Dentre as vantagens trazidas pelo SPA, poderia destacar o aumento da competitividade no mercado, satisfação dos clientes externos e internos, eliminação das pilhas de papel, agilidade na busca de candidatos, registro de todas as etapas da seleção e dos resultados dos contatos com os clientes", salienta Iara Jahn.

Além destes benefícios, a gerente de seleção da Meta RH destaca que também houve uma melhoria na integração entre os colaboradores que atuam nos departamentos de recepção, seleção, comercial, folha de pagamento e gerência.

"Nossos colaboradores estão em contato permanente com nossos clientes, temos a equipe comercial que em conjunto com a seleção fazem a linha de frente da empresa. Temos o departamento pessoal e a gerência responsáveis pelo suporte ao cliente. Todos esses contatos são registrados no SPA para facilitar o andamento dos processos", ela esclarece.

Como essa ferramenta elimina a digitação, pois utiliza o scanner para digitalizar os documentos, a equipe da Meta RH passou a fazer serviços mais qualificados e menos operacionais. Os dados dos candidatos foram incluídos no sistema, no momento do cadastramento e passaram a ser localizados com mais facilidade. O software classificou as informações, reduziu o tempo e o custo com riqueza de detalhes, uma vez que a empresa também disponibilizou os currículos originais.

"A forma de captar talentos através do sistema do SPA também é simples e rápida. Mantemos em dia o cadastramento de currículos/fichas e e-mails recebidos. Procuramos entrevistar os talentos que nos visitam e registrar suas competências, para agilizar a busca quando necessário, pois o cliente quando solicita um talento para sua empresa, quer vê-lo trabalhando o quanto antes", finaliza Iara Sandra Jahn.

Uma empresa livre das pilhas de papel Patrícia Bispo

Quem trabalha diretamente com pilhas de papel sobre a mesa e com um contingente considerável de profissionais que precisam de acompanhamento constante, sabe que conseguir bons resultados requer muita dedicação e paciência. Imagine quando essa situação ocorre num departamento de Recrutamento & Seleção de uma grande empresa? Para muitos profissionais de RH essa ainda é uma realidade que, muitas vezes, pode resultar em dores de cabeça ou alguns fios de cabelo branco. E o pior, é que muitos talentos podem deixar de ser descobertos e aproveitados.

Felizmente, algumas organizações já buscam alternativas práticas para problemas desta ordem. Essa pelo menos, foi a medida adotada pela agência de empregos Arbeiten, que desde 2000, resolveu otimizar o seu departamento de R&S. Em vez dos inúmeros arquivos que guardavam currículos e outros documentos que se empilhavam pelas estantes, a empresa optou pela utilização da tecnologia. Na prática, isso significou a aquisição do software SPA – da AncoraRh Informática, que recorre à digitalização dos papéis, ou seja, utilização do scanner que permite o aproveitamento de 100% dos documentos existentes.

Inicialmente, quando a proposta de implantação do sistema foi apresentada, a empresa observou que a ferramenta poderia ajudar na organização do departamento de R&S, inclusive, trazendo agilidade. Segundo o diretor geral do Grupo Arbeiten, Vlademir Jurask Cândido, as vantagens do software foram várias, mas foi na parte operacional que os resultados foram bem acentuados.

Com essa ferramenta, a empresa eliminou a digitação. A equipe passou a fazer trabalhos mais qualificados e menos operacionais. Os dados dos candidatos foram inclusos no sistema, com mais rapidez, na hora do cadastramento e passaram a ser localizados de forma mais ágil. Até os currículos encaminhados por e-mail, que cada vez são mais constantes, foram incluídos no SPA, sem que precisassem ser imprimidos ou redigitados. O software classificou as informações, reduziu o tempo e o custo com maior riqueza de detalhes, uma vez que a empresa também pôde disponibilizar os currículos originais.

Por outro lado, o SPA ainda trouxe outra vantagem para a organização: redução de custos, uma vez que houve diminuição significativa no tempo operacional. Antes da aquisição do sistema, a empresa tinha uma limitação natural e a saída encontrada era que para melhorar a produtividade, seria preciso aumentar o contingente de profissionais. Depois da utilização do software, otimizou-se o tempo, os métodos, os procedimentos e conseqüentemente a rentabilidade.

A migração dos papéis para a tecnologia não ocorreu da noite para o dia. Vlademir explica que o processo aconteceu de forma gradativa, pois o banco de dados da empresa era muito extenso. Apesar da digitalização ter sido lenta, as metas foram cumpridas no prazo determinado.

A transição não foi difícil, pois o processo é simples e pode ser operacionalizado por qualquer pessoa, confessa Jurask. Para isso, a empresa recebeu um treinamento, pois se tratou de uma revolução na forma de inclusão, organização e manutenção, bem como na apresentação do banco de dados.

"Num mundo em que vivemos e na competição desenfreada que sofremos em virtude do mercado globalizado, precisamos de ferramentas cada vez mais aperfeiçoadas e em constante evolução que minimizem nossos dispêndios de tempo, que nos tragam mais rentabilidade e que agilizem nossos procedimentos. Isto é o que veio oferecer e continua oferecendo a utilização deste software", finaliza o diretor geral do Grupo Arbeiten.

Comentários