Seminário de biodiesel

Seminário de biodiesel

Em 1895 o Dr. Rudolf Diesel desenvolveu o motor Diesel com o objetivo de fazer com que rodasse com vários tipos de óleos vegetais. Após a sua morte, a indústria do petróleo criou um tipo de óleo que denominou de "Óleo Diesel" que, por ser mais barato que os demais combustíveis, passou a ser largamente utilizado.

  • Em 1895 o Dr. Rudolf Diesel desenvolveu o motor Diesel com o objetivo de fazer com que rodasse com vários tipos de óleos vegetais. Após a sua morte, a indústria do petróleo criou um tipo de óleo que denominou de "Óleo Diesel" que, por ser mais barato que os demais combustíveis, passou a ser largamente utilizado.

  • Foi esquecido, desta forma, o princípio básico que levou à sua invenção, ou seja, um motor que funcionasse com óleo vegetal e que pudesse ajudar de forma substancial no desenvolvimento da agricultura dos diferentes países.

  • A abundância de petróleo aliada aos baixos custos dos seus derivados fez com que o uso dos óleos vegetais caísse no esquecimento. Mas os conflitos entre países e o efeito estufa foram elementos que marcaram de forma definitiva a consciência do Desenvolvimento Auto-sustentável pelos ambientalistas.

É um combustível obtido a partir de óleos vegetais como o de girassol, nabo, forrageiro, algodão, mamona, soja, canola, dentre outras oleaginosas.É queima limpa, derivado de fontes naturais e renováveis como os vegetais. Tal qual o diesel derivado de petróleo, o biodiesel opera em motores de ignição-combustão. O uso do biodiesel em motores convencionais a diesel resulta na redução substancial de hidrocarbonetos, monóxido de carbono e matéria particulada.

  • É um combustível obtido a partir de óleos vegetais como o de girassol, nabo, forrageiro, algodão, mamona, soja, canola, dentre outras oleaginosas.É queima limpa, derivado de fontes naturais e renováveis como os vegetais. Tal qual o diesel derivado de petróleo, o biodiesel opera em motores de ignição-combustão. O uso do biodiesel em motores convencionais a diesel resulta na redução substancial de hidrocarbonetos, monóxido de carbono e matéria particulada.

É feito a partir de óleos vegetais ou de gordura animal, ou seja, recursos renováveis. É biodegradável e pode ser misturado a outros combustíveis. Os óleos vegetais podem reagir quimicamente com um álcool para produzir ésteres. Atualmente, o biodiesel é produzido por um processo chamado transesterificação. O óleo vegetal é filtrado e processado com materiais alcalinos para remover gorduras ácidas. É, então, misturado com álcool e um catalisador. As reações formam ésteres e glicerol, que são separados.

  • É feito a partir de óleos vegetais ou de gordura animal, ou seja, recursos renováveis. É biodegradável e pode ser misturado a outros combustíveis. Os óleos vegetais podem reagir quimicamente com um álcool para produzir ésteres. Atualmente, o biodiesel é produzido por um processo chamado transesterificação. O óleo vegetal é filtrado e processado com materiais alcalinos para remover gorduras ácidas. É, então, misturado com álcool e um catalisador. As reações formam ésteres e glicerol, que são separados.

Baixo custo

  • Baixo custo

  • Não contribui para o efeito estufa,pois não eleva o nível de dióxido de carbono na atmosfera

  • É energia renovável

  • Constituído de carbono neutro

  • Geração de empregos no setor primário

  • Reduz a importação de divisas e a redução de custos

Apesar de ser um combustível renovável, a sua capacidade de produção é limitada, pois depende das áreas agrícolas disponíveis que terão, também, de ser usadas para fins alimentares. Portanto, só poderá substituir, parcialmente, o gasóleo.

  • Apesar de ser um combustível renovável, a sua capacidade de produção é limitada, pois depende das áreas agrícolas disponíveis que terão, também, de ser usadas para fins alimentares. Portanto, só poderá substituir, parcialmente, o gasóleo.

  • O biodiesel causa um ressecamento nas mangueiras de combustível, já que resseca as borrachas. No entanto, a despesa extra com a troca de mangueiras é compensada pela economia na troca de filtros, já que o biodiesel não forma tanta borra quanto o diesel comum.

  • COMPARAÇÃO ENTRE O BIODIESEL

  • E O

  • ÓLEO DIESEL CONVENCIONAL:

Potencial para ser um grande produtor mundial

Potencialidades das matérias-primas brasileiras

O biodiesel contribuirá para melhorar a qualidade do ar nos grandes centros urbanos a partir da redução da emissão de gases poluentes. Isto porque substituirá parcialmente o óleo diesel, derivado de petróleo.

  • O biodiesel contribuirá para melhorar a qualidade do ar nos grandes centros urbanos a partir da redução da emissão de gases poluentes. Isto porque substituirá parcialmente o óleo diesel, derivado de petróleo.

  • Além de reduzir a dependência das importações de óleo diesel, o uso do biodiesel contribui para a redução da emissão de gases poluentes pelo menor uso de combustíveis poluentes proporciona a obtenção de créditos de carbono, sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), no âmbito do Protocolo de Quioto.

Cadeia de produção do biodiesel

Enviar mensalmente à ANP resultados de ensaios de qualidade, volumes comercializados e matéria-prima utilizada e, trimestralmente enviar dados das análises específicas referenciadas;

  • Enviar mensalmente à ANP resultados de ensaios de qualidade, volumes comercializados e matéria-prima utilizada e, trimestralmente enviar dados das análises específicas referenciadas;

  • A comercialização de B2 (2% de biodiesel misturado) deve atender à especificação de óleo diesel (Aditivo da Portaria ANP n° 310/2001);

  • Regulamento Técnico:

  • Certificação do produto = 15 características

  • Análise trimestral = 10 características

  • Referência: método de análise desenvolvido pelo CENPES para glicerina, mono-, di-, triglicerídeos específico para mamona

Brasil Ecodiesel, no Piauí (mamona)

  • Brasil Ecodiesel, no Piauí (mamona)

  • Agropalma, em Belém (dendê)

  • Biobrás, em MG, SP, MT e PR (soja,

  • mamona e girassol)

  • Ecomat, no MT (soja)

  • “ O que todos esperam, de alguma maneira, é que a matriz energética brasileira continue a se diversificar cada vez mais, utilizando combustíveis “tradicionais” – como o carvão, o gás natural e a energia nuclear -, e, ao mesmo tempo, incorpore outras fontes – como a biomassa, em especial o etanol e o biodiesel, e as energias solar e eólica”.

Referências BiBliográficas

Comentários