Acidentes por Serpentes Peçonhentas

Acidentes por Serpentes Peçonhentas

Acidentes por Serpentes Peçonhentas

Identificação das serpentes peçonhentas

Fosseta loreal Fosseta loreal

Bothrops atrox (jararaca, jararaca-do-norte)

Bothriopsis bilineata (cobra papagaio, jararaca-verde)

Bothrops

Bothrops erythromelas (jararaca-da-seca)

Bothrops leucurus (jararaca)

Bothrops alternatus (urutu cruzeiro, cruzeira)

Bothrops moojeni (caiçaca)Bothrops neuwiedi

(jararaca pintada, jararaca de rabo branco)

Bothrops jararacussu (jararacuçu)

Bothrops jararaca (jararaca, jararaca-preguiçosa)

C.d. C.d. cascavella cascavella

C.d. C.d. ruruima ruruima

C.d. C.d. colilineatus colilineatus

C.d. C.d. terrificus terrificus

Crotalusdurissus cascavel, cascavel-de-quatroventas, boicininga, maracá, maracambóia, cobra-de-guizo

Lachesis muta Lachesis muta

Micrurus

Acidente botrópico Quadro clínico

Local

¾Processo inflamatório agudo ¾ Dor

¾ Hemorragia

¾ Complicações locais: •B olhas

• Necrose

•A bscesso

• Amputação

Sistêmico

¾Incoagulabilidade sang uínea ¾Sangramentos (gengivorragia, equimoses, hematúria)

Nos casos graves: ¾Hipotensão arterial e choque

¾Hemorragia intensa

¾Insuficiência renal

¾Edema extenso

Sangramento no local da picada e edema

Acidente Botrópico Quadro local

Edema e equimose Edema leve

Edema, eritema, equimose, bolhas

Acidente Botrópico Quadro Local

Acidente Botrópico Quadro sistêmico gengivorragia hematúria hematoma

Acidente Botrópico Complicações locais

Abscesso

Necrose

Acidente Botrópico Complicações locais

Limitação de movimentos

Amputação Síndrome compartimental

Acidente Laquético Quadro Clínico

¾LOCAL: dor, edema, eritema, equimose, bolhas

¾SISTÊMICO: alteração de coagulação hipotensão arterial, bradicardia cólica abdominal, diarréia

‡ Complicações : infecção secundária, necrose, déficit funcional, síndrome compartimental

Foto: Silva Haad, Colômbia Foto: Silva Haad, Colômbia

Acidente Crotálico Quadro Clínico

• LOCAL 9Edema discreto, parestesia • SISTÊMICO

9Faciesmiastênica : ptose palpebral, flacidez dos músculos da face, oftalmoplegia

9Turvação visual, diplopia, miose/midríase 9Alteração do olfato, paladar 9Mialgiageneralizada, urina escura 9Sangramento discreto: gengivorragia, equimose

Complicações: Insuficiência Respiratória: paralisia dos m. da caixa torácica

Insuficiência Renal Aguda: mioglobinúria

Edema local discreto Ptose palpebral

Eritema no local da picada Fáscies miastênica

Rabdomiólise -Mioglobinúria

Acidente Elapídico Quadro Clínico

9Parestesia

9vômitos

9faciesmiastênica : ptose palpebral, flacidez dos músculos da face, oftalmoplegia

9Turvação visual, diplopia, miose/midríase 9Dificuldade para deglutição

Local da picada Fácies miastênica

Acidentes por serpentes não-peçonhentas

Helico ps mo destus “surucucurana” “cobra d’água”

Foto: G.Puorto

Philodryas olfersii “cobra-cipó” “cobra-ver de”

Foto: A Melgarejo

Liophis miliaris “trairabóia” “cobra d’ água”

Foto: G.Puorto (Foto: G. Puorto)

Clelia clelia “muçurana” “cobra-pre ta”

Local da picada

Acidente por Philodryas olfersii: Edema e equimose local

E. murinus(sucuri) Ferimento traumático por acidente com sucuri

Primeiros socorros nos acidentes ofídicos Primeiros socorros nos acidentes ofídicos

Fatores de risco para complicações

Tempo decorrido entre acidente e atendimento

Torniquete

In cisõ es Picada em dedos

Produtores de antiveneno no Brasil

•Instituto Butantan, São Paulo •Fundação Ezequiel Dias, Minas Gerais

•Instituto Vital Brazil, Rio de Janeiro

•Centro de Produção e Pesquisa em Imunobiológicos, Paraná

Apresentação: forma líquida Conservação: 2 a 8ºC

Acidentes ofídicos notificados no Brasil jun 1986 a dez 1999

Brasil

Acidentes ofídicos por macro-região

25,8923,7723,2324,44Norte

Coef.93Coef.92Coef.91Coef .90REGIÃO

Frequência relativa Incidência

NE CO N S SE BR 0 letalidade

Distribuição dos acidentes ofídicos por gênero de serpente

Micrurus 0,4% Crotalus 7,7%

Lachesis 1,4%

Bothrops 90,5%

Letalidade dos acidente ofídicos por gênero de serpente e macro-região

0,45355 79.250TOTAL

0,50 67 13.339 Não informado

0,361281Micrurus

0,959 939 Lachesis 1,85945.072 Crotalu s 0,31184 59.619Bothrops

Material elaborado pela equipe médica do Hosp. Vital Brazil, Instituto Butantan:

•Carlos Roberto de Medeiros •CeilaMaria Sant´Ana Málaque

• Fan Hui Wen

Fotos: •Acervo Hospital Vital Brazil, Instituto Butantan, SP

•Aníbal Melgarejo(Instituto Vital Brazil, RJ)

•Giuseppe Puorto(Museu Biológico, Instituto Butantan, SP)

•Otávio A. V. Marques (Lab. Herpetologia, Instituto Butantan, SP)

•Roberto Henrique P. Moraes (Lab. Parasitologia/Entomologia, Instituto Butantan, SP)

•Rogério Bertani(Lab. Artrópodes, Instituto Butantan, SP)

•Sávio S. Sant’anna(Lab. Herpetologia, Instituto Butantan, SP)

Comentários