(Parte 1 de 34)

Rol a m e nt os Rol a m e nt os

A-2 A-3

Pr efácio

As recentes necessidades em relação aos mecanismos dos mais diversos tipos de máquinas que utilizam os rolamentos, cada vez mais aumentam e diversifi cam-se. Conseqüentemente, para o rolamento, componente essencial de suma importância das máquinas, as exigências quanto a capacidade nas suas inúmeras ramifi cações como: aumento da confi abilidade , liberação da manutenção, redução da dimensão e massa, aumento do limite de rotação, resistência em meios especiais, entre outros, são continuamente acentuadas.

Nesta realidade e juntamente com as revisões das normas ISO e JIS é que, este catálogo geral foi elaborado. A primeira parte deste catálogo contém informações técnicas comuns a todos os rolamentos, com ênfase na seleção do rolamento; no preâmbulo de cada tipo de rolamento na tabela de dimensões, esclarecimentos suplementares são abordados em particular ao tipo. Nas tabelas de dimensões são relacionados os tipos idênticos de rolamentos na ordem crescente do diâmetro interno, juntamente com a capacidade de carga, limite de rotação, dimensões relativas à instalação, massa e outros, para cada número de rolamento e que serão de utilidade como referência nos projetos. As unidades empregadas neste catálogo estão baseadas no Sistema Internacional (SI), e também estão inscritas em paralelo as unidades do Sistema de Engenharia (Sistema Gravitacional).

As capacidades de carga básica dinâmica dos rolamentos deste catálogo foram calculadas pela equação especifi cada na norma JIS B 1518-1981, mas incluem o prolongamento da vida resultante dos aprimoramentos no material e na tecnologia de fabricação dos rolamentos normais da NSK.

As capacidades de carga básica estática em função da ISO 76-1987 estão com novos valores.

Esperamos que dentre os inúmeros tipos e classes de rolamentos, relacionados neste catálogo, seja possível a seleção do rolamento mais apropriado para a sua aplicação. Entretanto, cientes da impossibilidade de dirimir todas as eventuais dívidas com uma única publicação, o departamento técnico é mantido a disposição para prestar os devidos esclarecimentos.

A-4 A-5

1 TIPOS E CARACTERÍSTICAS DOS ROLAMENTOSA-7
1.1 Tipo e Classifi caçãoA-7
1.2 Classifi cação dos RolamentosA-8
2. PROCESSO DA SELEÇÃO DO ROLAMENTOA-16
3 SELEÇÃO DO TIPO DE ROLAMENTOA-18
3.1 Espaço e Tipo de RolamentoA-18
3.2 Carga e Tipo de RolamentoA-18
3.3 Limite de Rotação e Tipo de RolamentoA-18

Índice Geral

Externo, e Tipo de Rolamento . . . . . . . . . . . . .A-18
3.5 Rigidez e Tipo de RolamentoA-19
3.6 Ruído, Torque e Tipo de RolamentoA-19
3.7 Precisão de Giro e Tipo de RolamentoA-19
3.8 Instalação, Remoção e Tipo de RolamentoA-19
4 SELEÇÃO DA DISPOSIÇÃO DOS ROLAMENTOSA-20
4.1 Rolamentos de Lado Fixo e Lado LivreA-20

3.4 Desalinhamento dos Anéis, Interno e

dos RolamentosA-21
5- SELEÇÃO DA DIMENSÃO DO ROLAMENTOA-24
5.1 Vida do RolamentoA-24
5.1.1 Vida de Fadiga e Vida NominalA-24

4.2 Exemplos de Aplicação das Disposições

e Vida Nominal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-24
5.2.1 Capacidade de Carga Básica DinâmicaA-24

5.2 Capacidade de Carga Básica Dinâmica

e Vida de Projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-24

5.2.2 Equipamentos para o uso de Rolamentos

em função da Capacidade de Carga
Básica Dinâmica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-25

5.2.3 Seleção da Dimensão do Rolamento

em função da Temperatura . . . . . . . . . . . .A-26
5.2.5 Correção da Vida NominalA-27
5.3 Cálculo da Carga no RolamentoA-28
5.3.1 Coefi ciente de CargaA-28

5.2.4 Correção da Capacidade de Carga Básica

ou por Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-28
5.3.3 Cargas em Acionamentos por EngrenagensA-29
5.3.4 Distribuição da Carga nos RolamentosA-29
5.3.5 Média da Carga VariávelA-29
5.4 Carga Dinâmica EquivalenteA-30
5.4.1 Cálculo da Carga Dinâmica EquivalenteA-31

5.3.2 Cargas em Acionamentos por Correia

Rolamentos de Esferas de Contato
Angular e de Rolos Cônicos . . . . . . . . . . .A-31

5.4.2 Componentes de Direção Axial nos

Carga Estática Equivalente . . . . . . . . . . . . . . .A-32
5.5.1 Capacidade de Carga Básica EstáticaA-32
5.5.2 Carga Estática EquivalenteA-32

5.5 Capacidade de Carga Básica Estática e 5.5.3 Coefi ciente de Carga Estática PermissívelA-32

de Rolos Cilíndricos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-3
5.7 Exemplos de CálculosA-34
6 LIMITE DE ROTAÇÃO DO ROLAMENTOA-37
6.1 Correção do Limite de RotaçãoA-37

5.6 Carga Axial Permissível nos Rolamentos

Esferas com Vedação . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-37

6.2 Limite de Rotação nos Rolamentos de

IDENTIFICAÇÃO DOS ROLAMENTOSA-38

7 DIMENSÕES PRINCIPAIS E NÚMEROS DE

Ranhuras dos Anéis de Retenção . . . . . . . . .A-38
7.1.1 Dimensões PrincipaisA-38

7.1 Dimensões Principais e Dimensões das

de Retenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-38
7.2 Números de Identifi caçãoA-54
8 TOLERÂNCIAS DOS ROLAMENTOSA-58
8.1 Normas das Tolerâncias dos RolamentosA-58
8.2 Seleção da Classe de PrecisãoA-81
9 AJUSTE E FOLGA DE ROLAMENTOA-82
9.1 AjusteA-82
9.1.1 Importância do AjusteA-82
9.1.2 Seleção do AjusteA-82
9.1.3 Ajuste RecomendadoA-83
9.2 Folga Interna do RolamentoA-8
9.2.2 Seleção da Folga InternaA-94
10 PRÉ-CARGA NO ROLAMENTOA-96
10.1 Objetivo da Pré-cargaA-96
10.2 Métodos de Pré-carregamentoA-96
10.2.1 Pré-carga de Posição ConstanteA-96
10.2.2 Pré-carga de Pressão ConstanteA-96
10.3 Pré-carga e RigidezA-96

7.1.2 Dimensões das Ranhuras e dos Anéis 9.2.1 Folga Interna e os Valores Normalizados .A-8

e Rigidez . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-96

10.3.1 Pré-carga de Posição Constante 10.3.2 Pré-carga de Pressão Constante e Rigidez .A-97

e a Intensidade de Pré-carga . . . . . . . . . . .A-97

10.4 Seleção do Método de Pré-carregamento

carregamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-97
10.4.2 Intensidade da Pré-cargaA-98
1 PROJETO DE EIXO E ALOJAMENTOA-100
1.2 Dimensões de encostoA-100
1.3 Sistemas de VedaçõesA-102
1.3.1 Vedações do Tipo sem ContatoA-102
1.3.2 Vedações do Tipo com ContatoA-104
12 LUBRIFICAÇÃOA-105
12.1 Objetivos da Lubrifi caçãoA-105
12.2 Métodos de Lubrifi caçãoA-105
12.2.1 Lubrifi cação a GraxaA-105
12.2.2 Lubrifi cação a ÓleoA-107
12.3 Lubrifi cantesA-110
12.3.1 Graxas Lubrifi cantesA-110
12.3.2 Óleos Lubrifi cantesA-112
13 MATERIAL DE ROLAMENTOA-114
13.2 Materiais da GaiolaA-115
14 MANUSEIO DE ROLAMENTOSA-116

10.4.1 Comparação dos Métodos de Pré- 1.1 Precisão e Rugosidade de Eixos e AlojamentosA-100 13.1 Materiais dos Anéis e dos Corpos RolantesA-114

dos Rolamentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-116
14.2 InstalaçãoA-116

14.1 Precauções para o Adequado Manuseio

Cilíndrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-116

14.2.1 Instalação de Rolamentos com Furo

Cônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-118
14.3 Teste de GiroA-118
14.4 RemoçãoA-121
14.4.1 Remoção do Anel ExternoA-121

14.2.2 Instalação de Rolamentos com Furo

Cilíndrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-121

14.4.2 Remoção de Rolamentos com Furo

Cônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-122
14.5 Inspeção de RolamentosA-123
14.5.1 Limpeza de RolamentosA-123
14.5.2 Inspeção e Avaliação de RolamentosA-123
14.6 Manutenção e InspeçãoA-124

14.4.3 Remoção de Rolamentos com Furo

de Anormalidades . . . . . . . . . . . . . . . . .A-124

14.6.1 Manutenção, Inspeção e Correção

Contramedidas . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-124
15 DADOS TÉCNICOSA-126
15.1 Desvio Axial dos RolamentosA-128
15.2 AjusteA-130
15.3 Folga Interna Radial e AxialA-132

14.6.2 Ocorrências nos Rolamentos e 15.4 Pré-carga e Momento de Atrito de Partida .A-134

dos Rolamentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-136

15.5 Coefi ciente de Atrito e Outros Dados

15.6 Designação e características de graxas lubrifi cantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .A-138

A-6 A-7

O conteúdo deste catálogo poderá ser alterado sem prévio aviso em função de casos como o do avanço tecnológico.

Os dados inseridos foram cuidadosamente verifi cados, no entanto, eximimo-nos da responsabilidade por eventuais erros ou omissões.

1.1 Tipo e Classificação

Os mancais de rolamento (doravante denominados simplesmente de rolamentos) são em geral, constituídos por anéis, corpos rolantes e gaiola; e principalmente, em função da direção da carga que irá apoiar são divididos em rolamentos radiais e rolamentos axiais. Ainda, em função do tipo de corpo rolante é possível separar em rolamentos de esferas e rolamentos de rolos; podem também ser classifi cados em função da confi guração e a aplicação específi ca destes.

A designação de cada uma das partes dos tipos representativos de rolamentos é apresentada na fi gura 1.1, e a classifi cação genérica dos rolamentos na fi gura 1.2.

1.2 Tipo e Característica

Os rolamentos (mancais de rolamento) quando comparados aos mancais de deslizamento apresentam as seguintes vantagens:

(1) O atrito de partida e a diferença com o atrito dinâmico são pequenos.

(2) Com a avançada padronização internacional são intercambiáveis e possibilitam a utilização pela substituição simples.

(3) Possibilitam a simplifi cação da confi guração dos conjugados, facilitando a manutenção e a inspeção.

(4) Em geral, podem apoiar simultaneamente a carga radial e a carga axial.

(5) A utilização em altas e baixas temperaturas é relativamente facilitada.

(6) Permitem a utilização com folga negativa (condição de pré-carga) para aumentar a rigidez.

(Parte 1 de 34)

Comentários