Cap.02 - Redes de Computadores e a Internet 20080125

Cap.02 - Redes de Computadores e a Internet 20080125

Administração e Projeto de Redes

  • Material de apoio

  • Redes de Computadores e a Internet

  • Cap.2

  • 25/01/2008

Esclarecimentos

  • Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

  • Os professores da disciplina irão focar alguns dos tópicos da bibliografia assim como poderão adicionar alguns detalhes não presentes na bibliografia, com base em suas experiências profissionais.

  • O conteúdo de slides com o título “Comentário” seguido de um texto, se refere a comentários adicionais ao slide cujo texto indica e tem por objetivo incluir alguma informação adicional aos conteúdo do slide correspondente.

  • Bibliografia básica: KUROSE, James F.; ROSS, Keith. Redes de Computadores e a INTERNET - Uma nova abordagem. Pearson. : , 2001.

Redes e Internet

  • Milhões de elementos de computação interligados:

    • hospedeiros = sistemas finais.
    • Executando aplicações distribuídas.
  • Enlaces de comunicação:

    • fibra, cobre, rádio, satélite.
    • taxa de transmissão = largura de banda.
  • Roteadores: enviam pacotes (blocos de dados).

Redes e Internet

  • Protocolos: controlam o envio e a recepção de mensagens.

  • Ex.: TCP, IP, HTTP, FTP, PPP.

  • Internet: “rede de redes” fracamente hierárquica.

  • Internet pública e Internets privadas (intranets).

  • Internet standards:

    • RFC: Request for comments.
    • IETF: Internet Engineering Task Force.

Estrutura Básica de uma Rede

  • Borda da rede:

    • Hospedeiros e suas Aplicações.
  • Núcleo da rede:

    • Roteadores.
    • Enlaces de comunicação.
  • Redes de acesso:

    • Enlaces de comunicação.

Serviços de Internet

  • Serviços de Internet

Bordas da Rede

  • Sistemas finais (hospedeiros):

    • Executam programas de aplicação.
    • Ex.: Web, e-mail.
    • Localizam-se nas extremidades da rede.
  • Modelo cliente/servidor:

    • O cliente toma a iniciativa enviando pedidos que são respondidos por servidores.
    • Ex.: Web client (browser)/ server; e-mail client/server.
  • Modelo peer-to-peer:

    • Mínimo (ou nenhum) uso de servidores dedicados.
    • Ex.: Gnutella, KaZaA.

Borda da rede Serviço Orientado à Conexão

  • Meta: transferência de dados entre sistemas finais.

  • Handshaking: etapa inicial para estabelecer o caminho lógico para o envio de dados (semelhante à ligação telefônica que estabelece o canal de comunicação).

  • Características:

    • Transferência de dados confiável e seqüêncial.
    • Perdas na transmissão: reconhecimentos e retransmissões.
    • Controle de fluxo: Evita que o transmissor “afogue” o receptor com excesso de dados recebidos.
    • Controle de congestionamento da rede: Transmissor reconhece que a rede está congestionada e reduz o volume de dados transmitidos.
  • Ex. TCP - Transmission Control Protocol: realiza o serviço orientado à conexão da Internet [RFC 793].

  • Ex. de aplicações usando TCP:

    • HTTP (Web), FTP (transferência de arquivo), Telnet (login remoto), SMTP (e-mail).

Borda da rede Serviço sem Conexão

  • Meta: transferência de dados entre sistemas finais ( a mesma meta que no caso anterior ! ).

  • Datagrama: um pacote independente que carrega informação suficiente que permita a rede roteá-lo da origem até o seu destino. Não depende de informações do pacote anterior ou do próximo para ser encaminhado pela rede.

  • Características:

    • Transferência de dados não confiável. Isso é, não garante a entrega dos dados.
    • Não tem controle de fluxo.
    • Não tem controle de congestionamento da rede.
  • Ex. UDP - User Datagram Protocol [RFC 768].

  • Ex. de aplicações usando UDP:

    • Streaming media, teleconferência, DNS, telefonia IP.

Núcleo da Rede

  • Núcleo da Rede

Redes de comutação de pacotes: roteamento

  • Rede de comutação de pacotes (datagramas):

    • O endereço de destino determina o próximo salto na rede.
    • Rotas podem mudar durante uma sessão.
    • Analogia: dirigir perguntando o caminho.
  • Rede de comutação de circuitos (circuitos virtuais):

    • Cada pacote tem a identificação do circuito virtual designado (virtual circuit ID). O número determina o próximo salto na rede.
    • O caminho é fixo e escolhido no instante de estabelecimento da conexão. Permanece fixo durante toda a conexão.
    • Analogia: se conhece o caminho desde a origem até o destino e todos os trechos intermediários.

Comentários