(Parte 1 de 2)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL - UFMS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - DCT

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE WEBSITES

GERENCIAMENTO DE REDES COM SNMP

JORGE BRANDÃO FILHO

LUCIANO DE ALMEIDA CASTILHO

VALTER DE OLIVEIRA FERLETE

ORIENTADORA: Dra. RENATA SPOLON

Campo Grande - MS

2002

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL - UFMS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - DCT

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE WEBSITES

GERENCIAMENTO DE REDES COM SNMP

Monografia apresentada à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul como avaliação da disciplina de Redes de Computadores do curso de Especialização em Engenharia de Websites.

JORGE BRANDÃO FILHO

LUCIANO DE ALMEIDA CASTILHO

VALTER DE OLIVEIRA FERLETE

ORIENTADORA: Dra. RENATA SPOLON

Campo Grande - MS

2002

AGRADECIMENTOS

À Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e aos professores do curso de Especialização em Engenharia de Websites.

A todos colegas e amigos da turma, que durante esse tempo compartilharam suas experiências e colaboraram para superação das dificuldades encontradas.

A todos parentes e amigos pelo estímulo e força, que direta ou indiretamente, nos ajudaram a prosseguir e vencer seja na vida acadêmica, profissional e pessoal. E o mais importante agradecimento ao nosso pai celeste: Deus.

RESUMO

O objetivo deste trabalho é apresentar informações servindo de entendimento aos conceitos básicos do gerenciamento de redes, expondo também as características e vantagens que este tipo de controle de rede pode gerar.

Este documento contempla o requisito de avaliação para disciplina de redes de computadores do curso de Especialização em Engenharia de Websites da UFMS.

LISTA DE FIGURAS

FIGURA 01 Modelo SNMP.......................................................................................16

FIGURA 02 Exemplo de gerenciamento..................................................................19

FIGURA 03 Solicitação de informações...................................................................21

LISTA DE QUADROS

QUADRO 01 Outros protocolos de gerenciamento....................................................18

QUADRO 02 Mensagens do protocolo SNMP...........................................................22

QUADRO 03 RFCs.....................................................................................................24

LISTA DE SIGLAS

CMIP

Common Management Information Protocol

CMIS

Common Management Information Service

CMISE

Common Management Information Service Element

CPU

Central Processor Unit

DOD

Departamento de Defesa dos Estados Unidos

IAB

Internet Activities Board

IBM

Industrial Business Machine

IETF

Internet Engineering Task Force

IP

Internet Protocol

LAN

Local Area Network

MAN

Metropolitan Area Network

MIB

Management Information Base

MTU

Maximum Transmission Unit

PARC

Palo Alto Research Center

RCF

Request for Comments

RMON

Remote Network Monitoring MIB

SNMP

Simple Network Management Protocol

TCP

Transmission Control Protocol

UDP

User Datagram Protocol

WAN

Wide Area Network

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 8

2. CONCEITOS DE REDES 10

3. GERENCIAMENTO DE REDE 13

4. O MODELO DE GERENCIAMENTO 16

5. PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP 18

6. CONCLUSÃO 25

GLOSSÁRIO 26

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 28

1. INTRODUÇÃO

Nos primórdios das redes de computadores, sua abrangência contemplava apenas instituições militares e algumas universidades, os dispositivos de rede (hardware/software) bem como sua capacidade e velocidade eram ínfimas se comparados aos padrões atuais. Muitas vezes um simples comando ping servia para obter informações sobre o status funcional da rede, sua qualidade de tráfego e tempo de envio e chegada de pacotes. [7]

Naquela época, poucos imaginariam como estas evoluiriam a ponto de atualmente termos redes cada vez mais complexas e maiores, grandes redes locais e até mesmo mundiais como a Internet.

Graças ao barateamento dos equipamentos e disseminação da tecnologia, nichos econômico-sociais (indústria, comércio, saúde, educação, órgãos governamentais, etc) cada vez mais implantam e ampliam o uso de redes. Conseqüentemente, deve haver profissionais da área para implantar e manutenir seus aspectos funcionais, porém nota-se que estes se atém por demais as características da administração da rede, esquecendo-se ou não conhecendo as características de gerenciamento.

Neste trabalho, o objetivo é levar ao conhecimento de profissionais da área (analistas, administradores de rede, técnicos, universitários, etc) informações e análise sobre este tema, que ainda é pouco explorado tanto conceitualmente quanto operacionalmente. Os principais assuntos abortados serão: conceitos de redes, conceitos de gerenciamento, diferenciação quanto à administração e o gerenciamento de redes, o modelo de gerenciamento, características e funcionamento do protocolo de gerenciamento SNMP (Simple Network Management Protocol), e conclusão sobre este tema.

2. CONCEITOS DE REDES

Quando atualmente se fala em rede de computadores, imaginam-se equipamentos de última geração e alta tecnologia, porém é preciso conhecer um pouco da história das redes, a fim de facilitar o entendimento dos conceitos deste assunto.

Em seu nível mais elementar, uma rede consiste em dois computadores conectados um ao outro por um cabo para que possam compartilhar dados. Todas as redes não importam o quanto sejam sofisticadas, derivam deste sistema simples. [2]

Historicamente, as redes de computadores surgiram de uma necessidade militar, onde era preciso trocar informações entre pontos remotos, e ainda caso algum segmento da rede falha-se, logo a comunicação com outros pontos não sofreria interrupção.

Esta característica de interoperabilidade (servindo inclusive como base ao funcionamento da atual Internet), comprovou-se pela praticidade e eficiência, estimulando assim o uso de novas tecnologias e novos seguimentos.

Ao final da década de 60, devido aos diferentes computadores utilizados no sistema, a interação já não era perfeita, forçando assim o surgimento de protocolos de softwares para redes, possibilitando a troca de informações entre computadores de diferentes modelos e fabricantes. O DOD (Departamento de Defesa dos Estados Unidos) utilizava um conjunto de protocolos conhecido como TCP/IP (Transmission Control Protocol / Internet Protocol, Protocolo de Controle de Transmissão / Protocolo Internet). Este protocolo possuía as regras e instruções sobre como as transmissões nas redes deveriam ocorrer. [7]

No decorrer dos anos seguintes, a tecnologia de redes continuou sua evolução quando no começo da década de 80, o PARC (Palo Alto Research Center) deu um grande salto para a evolução das redes de computadores, desenvolvendo um conjunto de padrões e protocolos denominado Ethernet, tendo como principal objetivo transformá-lo em um produto comercial. No mesmo período, a IBM (Industrial Business Machine) desenvolveu uma tecnologia bastante utilizada em redes, o Token-Ring.

As redes podem ser classificadas como:

  • LAN (Local Area Network) - rede local de computadores, que estejam, por exemplo, em uma mesma sala, departamento ou prédio;

  • MAN (Metropolitan Area Network) - rede que se estende por uma área metropolitana, uma cidade.

  • WAN (Wide Area Network) - rede que se estende por uma grande área, até mesmo por um país e além dele. O melhor exemplo é a Internet.

Estudando o caminho da evolução a qual as redes de computadores sofreram, é notado um aumento em complexidade e diversidade, aliado a expansão do seu uso nas mais diversas aplicações e áreas como: hospitalar, de serviços, comercial, financeira, de pesquisa, de ensino, etc.

Em conseqüência disso, houve um aumento na quantidade de variáveis definindo aspectos vitais ao bom funcionamento dos recursos computacionais, distribuídos e interligados de uma rede. Apresentando tais performances: a não ocorrência de falhas, o nível de estabilidade, antecipação de gargalos, etc.

Disso surgiu à necessidade de monitorar e controlar tais variáveis, a fim de garantir interoperabilidade e funcionamento contínuo, ou seja, a necessidade da gerência de redes.

3. GERENCIAMENTO DE REDE

A área de gerência de redes foi inicialmente impulsionada pela necessidade de monitoração e controle do universo de dispositivos compondo as redes de comunicação.

Atualmente, as redes de computadores e os seus recursos associados, além das aplicações distribuídas, têm se tornado fundamental e de tal importância para organizações que basicamente "não podem falhar". Isto significa que o nível de falhas e de degradação de desempenho considerados aceitáveis está cada vez mais diminuindo, sendo este nível igual podendo chegar até a zero, dependendo da importância da rede para uma instituição.

Para o entendimento deste assunto, é importante fazer uma diferenciação de alguns conceitos bastante intrínsecos sendo: Administração e Gerenciamento de Redes. [6]

  • Entende-se por Administração de Redes todo o processo destinado ao projeto, a implantação e a manutenção do hardware/software utilizado no desenvolvimento de aplicações e serviços de rede;

  • Quanto ao Gerenciamento de Redes, compreende-se a monitoração e obtenção de informações, como também o controle dos dispositivos automatizados compreendendo hardware/software, os quais além de suas características foram dotados de funcionalidades de gerenciamento.

Para haver o gerenciamento é necessário conhecer qual o ambiente gerenciado, compreendendo os mecanismos com suporte a funcionalidade de gerenciamento, juntamente com os aspectos de comunicação permitindo suas interconexões. Desta forma o ambiente gerenciado pode ser constituído de um ou mais mecanismos. Como exemplo, têm-se: [6]

  • Roteadores;

  • As conexões TCP de um determinado número de servidores;

  • Todos os dispositivos gerenciáveis de uma mesma sub-rede;

  • Todos os dispositivos gerenciáveis de um conjunto de LANs interligadas.

Tendo estabelecido o ambiente gerenciado é necessário conhecer a estrutura na qual se fundamenta todo gerenciamento da rede, descrevendo assim os itens componentes de sua arquitetura.

  • Estação de Gerenciamento: Serve como interface para o gerente humano num sistema de gerenciamento de rede;

  • Agente de Gerenciamento: Responde as solicitações de informações e de ações da estação de gerenciamento, devendo também prover assíncronamente informações importantes que não foram solicitadas por esta estação;

  • Base de Informações Gerenciais (MIB): São os recursos a serem gerenciados representados como objetos, a coleção destes objetos é referenciada como Base de Informações Gerenciais (MIB);

  • Protocolo de Gerenciamento de Redes: É a forma de comunicação entre a estação de gerenciamento e o agente. Definido por um protocolo de gerenciamento de rede, como o SNMP.

Existem vários padrões de gerenciamento de redes, desde soluções proprietárias até código-aberto, conseqüentemente têm-se vários protocolos para realização destas tarefas. Serão citados os protocolos mais usados, dando-se ênfase ao protocolo SNMP.

(Parte 1 de 2)

Comentários