Elétricas

  • Elétricas

    • Ausência de intermediários químicos
    • Alta velocidade
    • Gap junctions
    • Não ocorre modulação, a informação passa inalterada
  • Químicas

    • Lentas
    • Intermediários químicos
    • Pode ocorrer a modulação da informação (processamento)

Rápida sincronização de um grande número de células, p. ex. no miocárdio

  • Rápida sincronização de um grande número de células, p. ex. no miocárdio

  • Importante em organismos mais simples, como os invertebrados

  • Recrutamento de populações de neuroblastos durante o desenvolvimento do tecido nervoso

  • Comunicação glial

Síntese, transporte e armazenamento do neurotransmissor

  • Síntese, transporte e armazenamento do neurotransmissor

  • Deflagração e controle da liberação do neurotransmissor na fenda sináptica

  • Difusão e reconhecimento do neurotransmissor pelo receptor da membrana pós-sináptica

  • Deflagração do potencial pós-sináptico

  • Desativação do neurotransmissor

É uma DDP resultante da abertura de canais iônicos voltagem-dependentes, no caso Na+.

  • É uma DDP resultante da abertura de canais iônicos voltagem-dependentes, no caso Na+.

PAs chegam ao terminal pré-sináptico

  • PAs chegam ao terminal pré-sináptico

  • Os PAs despolarizam a membrana das zonas ativas

  • Abertura dos canais Ca2+ voltagem dependentes

  • Influxo de Ca2+

  • Fixação das vesículas sinápticas na membrana

  • Exocitose (liberação do conteúdo das vesículas)

São proteínas transmembrana que funcionam como canais, que deixam passar íons, ou como mediadores de outras respostas intracelulares

  • São proteínas transmembrana que funcionam como canais, que deixam passar íons, ou como mediadores de outras respostas intracelulares

  • Ionotrópicos

  • Metabotrópicos

Por que o neurotransmissor não se difunde através da membrana plasmática

  • Por que o neurotransmissor não se difunde através da membrana plasmática

Ionotrópicos

  • Ionotrópicos

    • Canais iônicos dependentes de ligantes
    • Neurotransmissor liga-se e promove diretamente a abertura do canal iônico
    • Promovem potenciais pós-sinápticos excitatórios ou inibitórios
    • Ex.: GabaA, 5-HT3
  • Metabotrópicos

    • Os efeitos são produzidos indiretamente
    • Proteína G ou Ação enzimática
    • Modulam a polaridade da célula pós-sináptica

Diferenças Funcionais

  • Diferenças Funcionais

    • Excitatórias: potencial pós-sináptico despolarizante (aproxima do limiar o potencial de repouso)
      • Vesículas redondas
      • Densidades das membranas (pré e pós-sinápticas) assimétricas
    • Inibitórias: potencial pós-sináptico hiperpolarizante (afasta o potencial de repouso do limiar)
      • Vesículas achatadas
      • Densidades das membranas simétricas
  • Diferenças Morfológicas

  • Relaciona-se quanto à posição

    • Axodendrítica (axônio – dendrito)
    • Axossomática (axônio – corpo celular)
    • Axoaxônicas (axônio – axônio)

Ele continuaria a agir sobre os receptores da célula pós-sináptica, criando PAs continuamente

  • Ele continuaria a agir sobre os receptores da célula pós-sináptica, criando PAs continuamente

  • P. ex.: Se você levasse um susto, e não tivesse recaptadores para os neurotransmissores, ficaria com a cara de susto por um longo período de tempo

  • Mecanismos de “desligamento”

    • Recaptação
    • Degradação enzimática
      • P.ex. acetilcolinesterase

Modalidades Sensoriais:

  • Modalidades Sensoriais:

    • Somestesia
    • Tato
      • fino
      • grosseiro
    • Propriocepção
    • Termossensibilidade
    • Dor

Terminais de neurônios livres ou associados a outros tecidos para formação de mini-órgãos especializados.

  • Terminais de neurônios livres ou associados a outros tecidos para formação de mini-órgãos especializados.

Neurônio primário faz contato com o neurônio secundário em algum nível do SNC.

  • Neurônio primário faz contato com o neurônio secundário em algum nível do SNC.

  • Este cruza a linha média antes de estabelecer contato com o neurônio terciário.

  • A representação somestésica é quase sempre Contralateral.

É a capacidade que o organismo tem de perceber estímulos ambientais.

  • É a capacidade que o organismo tem de perceber estímulos ambientais.

Núcleos da coluna dorsal e principal do trigêmeo.

  • Núcleos da coluna dorsal e principal do trigêmeo.

  • Capacita-nos a reconhecer estímulos muito suaves e pequenos com grande precisão.

Aumentar a precisão de campos receptores.

  • Aumentar a precisão de campos receptores.

Área Somestésica Primária – S1

  • Área Somestésica Primária – S1

  • Área Somestésica Secundária – S2

É a percepção das partes do próprio corpo

  • É a percepção das partes do próprio corpo

  • Possui componentes consciente e inconsciente

  • Receptores proprioceptivos:

    • Fusos musculares (fibras Ia)- variações de comprimento
    • Órgãos tendinosos de Golgi (fibras Ib)- tensão
    • Receptores articulares (terminações livres de fibras desconhecidas)- variação de ângulo
  • Informações proprioceptivas são utilizadas no controle da motricidade e nos arcos reflexos

Dor Aguda

  • Dor Aguda

    • Terminações livres (fibras tipo Aδ)
  • Dor Crônica

    • Provocada por lesão dos tecidos ao redor de terminações livres (fibras tipo C)
    • Corte  Sangramento  Lesão celular (libera bradicinina)  Inflamação  Liberação de alogênicos (p.ex. 5-HT)  Vasodilatação local (edema e vermelhidão)  Reação Inflamatória Neurogênica

Um senhor de 62 anos, destro, foi levado ao hospital. Ele relatou fraqueza na sua perna e mão. Ele deixou cair coisas seguras pela mão esquerda e caiu no banheiro. Exames sensoriais revelaram respostas normais a picadas e estimulação táctil na mão esquerda. Sensação de posição para a mão esquerda foi ausente para movimentos pequenos dos dedos. O paciente foi incapaz de reconhecer números e letras escritas em seu braço, perna ou face esquerdas. Também foi incapaz de reconhecer objetos pelo tato, na ausência de visão, com a mão esquerda. Estimulação simultânea das mãos esquerda e direita foi percebida a penas na direita. Exames motores revelaram hemiparesia. Quando trazido à vista, o paciente também não reconhecia o seu braço esquerdo como sendo seu.

  • Um senhor de 62 anos, destro, foi levado ao hospital. Ele relatou fraqueza na sua perna e mão. Ele deixou cair coisas seguras pela mão esquerda e caiu no banheiro. Exames sensoriais revelaram respostas normais a picadas e estimulação táctil na mão esquerda. Sensação de posição para a mão esquerda foi ausente para movimentos pequenos dos dedos. O paciente foi incapaz de reconhecer números e letras escritas em seu braço, perna ou face esquerdas. Também foi incapaz de reconhecer objetos pelo tato, na ausência de visão, com a mão esquerda. Estimulação simultânea das mãos esquerda e direita foi percebida a penas na direita. Exames motores revelaram hemiparesia. Quando trazido à vista, o paciente também não reconhecia o seu braço esquerdo como sendo seu.

Neuropatia periférica

  • Neuropatia periférica

  • Lesão das raízes dorsais da medula espinhal

  • Lesão das colunas dorsais da medula espinhal

  • Lesão restrita aos córtices motor primário e sensor primário (S1)

  • Lesão envolvendo o Córtex de Associação Parietal Posterior.

Comentários