Apostila de Javascript

Apostila de Javascript

(Parte 1 de 9)

Apostila de JavaScriptApostila de JavaScript (Curso BÆsico)(Curso BÆsico)

Prof. Luís Rodrigo de O. GonçalvesProf. Luís Rodrigo de O. Gonçalves

E-mail:luisrodrigoog@yahoo.com.br Site: http://www.lrodrigo.cjb.net

OBS: esta apostila foi montada com trechos retirados de vários sites da internet.

Apostila de JavaScript versªo 0.01 PÆgina 1 de 48

1.) Introdução3
1.1) Considerações iniciais3
1.2) Variáveis5
1.3) Operadores6
1.3.5) Operadores lógicos8
2) Objetos9
2.1) Criando Objetos9
3) Comandos1
3.1) VAR1
3.2) with12
3.3) Break12
3.4) Continue13
3.5) Funções13
3.6) Comentários14
3.7) Estruturas de Controle15
4) Funções internas18
5) Objetos JavaScript20
5.1) Select23
5.2) Button25
5.3) Navigator26
5.4) Form27
5.5) CheckBox30
5.6) Document32
5.7) Date35
5.8) History39
5.9) Window40
5.10) Reset42
5.1) Link4
6.) Palavras reservadas46
7.) Tabela de cores47
8) Referências48

ÍndiceÍndice Apostila de JavaScript versªo 0.01 PÆgina 2 de 48

1.) Introduçªo

JavaScript é uma linguagem para auxilio na criação de Home-Pages, as funções escritas em

JavaScript podem ser embutidas dentro de seu documento HTML, possibilitando o incremento das funcionalidades do seu documento HTML com elementos interessantes. Sendo possivel: responder facilmente a eventos iniciados pelo usuário, incluir efeitos que tornem sua página dinâmica. Logo, podemos criar sofisticadas páginas com a ajuda desta linguagem.

Apesar dos nomes bem parecidos, Java não é o mesmo que JavaScript. Estas são duas técnicas diferentes de programação na Internet. Java é uma linguagem de programação. JavaScript é uma linguagem de hiper-texto. A diferença é que você realmente pode criar programas em Java. Mas muitas vezes você precisa apenas criar um efeito bonito sem ter que se incomodar com programação. A solução então é JavaScript pois é fácil de entender e usar.

Podemos dizer que JavaScript é mais uma extensão do HTML do que uma linguagem de programação propriamente dita. O primeiro browser a suportar JavaScript foi o Netscape Navigator 2.0, mas a versão para o "Mac" parece apresentar muitos bugs.

1.1) Consideraçıes iniciais

Em documentos HTML, a utilização da linguagem JavaScript, se dá sob a forma de funções (applets), as quais são chamadas em determinadas situações ou em resposta a determinados eventos, estas funções podem estar localizadas em qualquer parte do código HTML, a única restrição é que devem começar com a declaração <SCRIPT> e termina com o respectivo </SCRIPT>, por convenção costuma-se colocar todas as funções no início do documento (estre as TAGs <HEAD> e </HEAD>, isso para garantir que o código JavaScript seja carregado antes que o usuário interaja com a Home Page), ou seja, antes do <BODY>.

Exemplo:

<TITLE>Exemplo</TITLE>

<!-- Se houvesse alguma função seria bom declará-la aqui!!! --> </HEAD>

Esta linha está escrita em HTML <SCRIPT>

Apostila de JavaScript versªo 0.01 PÆgina 3 de 48 document.write("Aqui já é JavaScript"); </SCRIPT> Voltamos para o HTML </BODY>

É importante ressaltar que todas as linhas devem ser terminadas com; (ponto e virgula) a menos que a próxima instrução seja um “else” e se você precisar escrever mais de uma linha para executar uma condição seja ela em uma estrutura “for”, “if” ou “while”, este bloco de instruções deve estar entre “{ }” (chaves). Inclusive a definição de funções segue este modelo, ou seja, todo o código da função deve estar limitado por { (no início) e } (no final).

Um browser que não suporta JavaScript, ele não conhece a TAG <SCRIPT>. Ele ignora a TAG e logicamente tudo todo o código que estiver sendo limitado por ela, mostrando todo o código na tela como se fosse um simples texto HTML. Deste modo o usuário veria o código JavaScript do seu programa dentro do documento HTML e como certamente essa não deve ser sua intenção, existe um meio de esconder o código JavaScript dos browsers que não conhecem esta linguagem, basta utilizar os comentários HTML “<!- -” e “-->”. O código do nosso exemplo anterior ficaria assim:

<TITLE> Exemplo </TITLE>

<!-- Se houvesse alguma função seria bom declará-la aqui!!! --> </HEAD>

Esta linha está escrita em HTML <SCRIPT>

<!-- Esconde o código JavaScript dos browsers mais antigos document.write("Aqui já é JavaScript"); // --> </SCRIPT> Voltamos para o HTML </BODY>

Apostila de JavaScript versªo 0.01 PÆgina 4 de 48

Se o browser não suportar JavaScript e não inserirmos o comentário HTML, o que apareceria na tela seria:

Esta é uma linha escrita em HTML document.write("Aqui já é JavaScript"); Voltamos para o HTML

Note que esse artifício não esconde completamente o código JavaScript, o que ele faz é prevenir que o código seja mostrado por browsers mais antigos, porém o usuário tem acesso a todas as informações do código fonte de sua Home Page (tanto HTML, quanto JavaScript).

1.2) VariÆveis

Em JavaScript, variáveis dinâmicas podem ser criadas e inicializadas sem declarações formais.

Existem dois tipos de abrangência para as variáveis:“Global” - Declaradas/criadas fora de uma função. As variáveis globais podem ser acessadas em qualquer parte do programa.“Local” - Declaradas/criadas dentro de uma função. Só podem ser utilizadas dentro da função onde foram criadas e precisa ser definida com a instrução Var.

Com relação à nomenclatura, as variáveis devem começar por uma letra ou pelo caractere sublinhado “_”, o restante da definição do nome pode conter qualquer letra ou número.

É importante ressaltar que a variável “Código” é diferente da variável “código”, que por sua vez é diferente de “CODIGO”, sendo assim, muito cuidado quando for definir o nome das variáveis, utilize sempre um mesmo padrão.

Existem três tipos de variáveis: Numéricas, Booleanas e Strings. Como já era de se esperar, as variáveis numéricas são assim chamadas, pois armazenam números, as Booleanas valores lógicos (True/False) e as Strings, seqüência de caracteres. As strings podem ser delimitadas por aspas simples ou duplas, a única restrição é que se a delimitação começar com as aspas simples, deve terminar com aspas simples, da mesma forma para as aspas duplas. Podem ser incluídos dentro de uma string alguns caracteres especiais, a saber:

\t - posiciona o texto a seguir, na próxima tabulação; \n - passa para outra linha;

\f - form feed;

\b - back space;

\r - carrige return.

O JavaScript reconhece ainda um outro tipo de contudo em variáveis, que é o NULL. Na prática isso é utilizado para a manipulação de variáveis não inicializadas sem que ocorra um erro no seu programa. Quando uma variável possui o valor NULL, significa dizer que ela possui um valor desconhecido ou nulo. A representação literal para NULL é a string 'null' sem os delimitadores. Quando referenciado por uma função ou comando de tela, será assim que NULL será representado. Observe que NULL é uma palavra reservada.

Apostila de JavaScript versªo 0.01 PÆgina 5 de 48

Você pode trabalhar ainda com Arrays, mas para isso será necessário algum conhecimento sobre Programação Orientada a Objetos.

1.3) Operadores

Junto com funções e variáveis, operadores são blocos de construção de expressões. Um operador é semelhante a uma função no sentido de que executa uma operação específica e retorna um valor.

1.3.1) Operadores unÆrios e binÆrios

Todos os operadores em JavaScript requerem um ou dois argumentos, chamados operandos.

Aqueles que requerem um operando apenas são denominados operadores ulnários, e os que requerem dois operandos são chamados de operadores binários.

1.3.2) Operador de String

Operador de concatenação (+)

Exemplo:

Nome1="José" Nome2="Silva" Nome = Nome1+" da "+Nome2 // O resultado é: "José da Silva"

(Parte 1 de 9)

Comentários