Trauma raqui-medular

Trauma raqui-medular

TRAUMA RAQUI-MEDULAR (TRM)

  • Estágio de Neurologia

  • Marina Z. Canova

TRM

  • A lesão medular espinhal (LME) caracteriza-se em uma grave síndrome incapacitante, ou seja, que acaba por acarretar, principalmente, em alterações do movimento e da sensibilidade; além de alterações vesicais, respiratórias,intestinais, vasculares, sexuais e psicológicas.

  • Ocorre em cerca de 15 a 20% das fraturas da coluna vertebral.

TRM

  • Etiologia

  • Traumáticas- Acidente automobilístico, FAF, quedas de alturas, esportes, acidentes de trabalho, mergulho em água rasa.

  • Processos tumorais, infecções, alterações vasculares, doenças degenerativas e alterações congênitas.

TRM

  • Incidência

  • Adultos jovens do sexo masculino;

  • Faixa etária: 15 a 40 anos;

  • Proporção: 3:1.

TRM

  • Fisiopatologia

  • Lesão primária da M.E.

  • Intimamente ligada com trauma na medula, isto é,rompimento dos axônios, lesão das células nervosas e rotura dos vasos sanguíneos.

  • Lesão secundária da M.E.

  • Causada pela alteração do canal vertebral, hemorragia e edema, aumentando ainda mais a pressão no canal medular.

TRM

  • Determinação do segmento medular afetado

  • Dermátomos

  • Área da pele inervada por axônios sensitivos dentro de cada nervo segmentar (raiz).

  • Miótomos

  • Grupo de fibras musculares inervadas pelos axônios motores dentro de cada nervo segmentar (raiz).

  • Nível neurológico

  • Segmento mais caudal da M.E. que apresenta as funções motoras e sensitivas normais em ambos os lados.

  • Nível sensitivo

  • Nível mais caudal da M.E. que apresenta sensibilidade normal bilateralmente.

TRM

TRM

TRM

  • Determinação do segmento medular afetado

  • Nível motor

  • Nível mais caudal da M.E. que apresenta função motora normal bilateralmente.

  • Nível esquelético

  • Nível em que, por meio do exame radiológico, se encontra o maior dano vertebral.

  • Índice sensitivo e índice motor

  • Soma numérica que reflete o grau de deficiência neurológica associado com a lesão medular.

TRM

  • Verificação da lesão medular

  • Completa: ausência da sensibilidade e funções motoras nos segmentos sacrais baixos (S4, S5).

  • Incompleta: preservação parcial das funções sensitivas e motoras abaixo do nível neurológico, incluindo a região sacral mais caudal(S4,S5).

  • Zona de Preservação Parcial: dermátomos e miótomos distais ao nível neurológico que permanecem parcialmente inervados.

TRM

TRM

  • Avaliação Clínica

  • Anamnese;

  • Exame físico;

  • Exame radiológico;

  • Exame neurológico.

TRM

  • Exame radiológico

  • Radiografia - deve ser realizada nos planos anteroposterior(AP) e lateral.

  • RM - usada na fase primária de diagnóstico.

TRM

  • Exame neurológico

  • Consiste na avaliação da sensibilidade, da função motora e dos reflexos.

  • Sensibilidade: Avaliamos pela variação da temperatura,sensibilidade tátil e dolorosa e também por meio de um diapasão ou da posição espacial dos membros(avaliação da vibração).

  • Motora: Determinamos o grau de movimento de um paciente por meio de uma escala de 0 a 5.

  • Reflexos: Testamos os principais reflexos tendinosos profundos

  • bicipital(C5), estiloradial (C6), tricipital (C7), patelar(L4) e aquileu (S1).

TRM

TRM

  • Síndromes medulares

  • Síndrome da medula central

  • Lesão que ocorre quase exclusivamente na região cervical, com preservação da sensibilidade sacral e maior debilidade dos membros superiores que nos membros inferiores.

  • Síndrome da medula Anterior

  • Lesão que produz perda da função motora e da sensibilidade a dor e a temperatura, preservando a propriocepção.

  • Síndrome de Brown-Séquard

  • Lesão que produz maior perda motora e proprioceptiva ipsilateral e perda da sensibilidade contralateral da dor e da temperatura.

  • Síndrome da medula posterior

  • Função motora, sensibilidade à dor e tato estão presevadas, porém a propriocepção está alterada.

  • Síndrome do cone medular

  • Lesão da medula sacral (cone) e das raízes lombares dentro do canal que usualmente resulta em arreflexia de bexiga, intestino e membros inferiores. Os segmentos sacros poderiam ocasionalmente mostrar reflexos preservados, por exemplo, o bulbocavernoso e os reflexos miccionais.

  • Lesão da cauda eqüina

  • Lesão das raízes nervosas lombossacras dentro do canal neural resulta em arreflexia de bexiga, intestino e membros inferiores.

TRM

  • Efeitos do TRM

TRM

  • Efeitos do TRM

TRM

  • Avaliação da A.S.I.A.(American Spine Injury Association)

  • A Associação Americana do Trauma Raqui-Medular desenvolveu padrões para a avaliação e classificação neurológica do TRM.

  • Exame de sensibilidade:

  • Realizado por meio da sensibilidade tátil e dolorosa feita nos 28 dermátomos bilateralmente, sendo graduada em uma escala numérica.

  • Exame motor:

  • Realizado por meio da avaliação de ambos os lados em 10 pares de miótomos e a força gradual de acordo com a escala de seis pontos.

TRM

  • Músculos chaves

  • C5- flexores do cotovelo (bíceps braquial).

  • C6- flexores do punho (extensor radial longo e curto do carpo).

  • C7- extensores do cotovelo ( tríceps).

  • C8- flexores dos dedos (falanges média e distal).

  • T1- abdutores (quinto dedo).

  • L2- flexores do quadril (ílio psoas).

  • L3- flexores do joelho (quadríceps).

  • L4- dorsiflexores do tornozelo (tibial anterior).

  • L5- extensor longo do hálux.

  • S1- flexores plantares do tornozelo(tríceps sural).

TRM

  • A avaliação da deficiência é baseada na modificação da escala de Frankel, que foi modificada pela A.S.I.A e consiste em 5 graus de incapacidade:

  • A) lesão completa - não há função motora ou sensitiva nos segmentos sacrais S4-S5.

  • B) lesão incompleta – há função sensitiva, porém há perda da força motora abaixo do nível neurológico,estendendo-se até os segmentos sacrais S4-S5.

  • C) lesão incompleta - função motora é preservada abaixo do nível neurológico e a maioria dos músculos chaves abaixo do nível neurológico possui grau menor ou igual a 3.

  • D) lesão incompleta - função motora é preservada abaixo do nível neurológico e a maioria dos músculos chaves abaixo do nível neurológico possui grau maior ou igual a 3.

  • E) normal – sensibilidade e força motora normais.

TRM

  • Medida de Independência Funcional(MIF)

  • Avalia o progresso das atividades diárias do paciente com lesão medular junto ao tratamento.

TRM

  • Reabilitação aquática

  • Objetivos:

  • Manter ou ganhar ADM;

  • Melhorar ou adquirir equilíbrio dinâmico e estático;

  • Diminuir dor;

  • Adequar o tônus (diminuir);

  • Melhorar ou adquirir as atividades funcionais e marcha.

TRM

  • Reabilitação aquática

  • Condutas:

  • Flutuação, fornecendo suporte para o corpo, sem que esse sofra nenhuma pressão localizada sobre proeminências ósseas e diminuirá a carga sobre as articulações dolorosas.

  • Alongamentos suaves e passivos (peitorais e flexores laterais de tronco).

  • Bad Ragaz- inclinação lateral; isotônico assistido e resistido com rotação de tronco.

  • Treino de equilíbrio dinâmico com turbulência.

  • Treino de atividade funcional : marcha, corrida, subir escadas para obter mais força muscular de membros inferiores e adquirir mais rotação do tronco.

TRM

  • Referências Bibliográficas

  • Lianza S.- Reabilitação – A locomoção em pacientes com lesão medular, primeira ed., São Paulo: Sarvier, 1994.

  • Wentz E.,Silva e Campos P.-Fisioterapia - Aspectos Clínicos e Práticos da Reabilitação, São Paulo: Artes Médicas, 2005.

  • Guyton A. –Neurociência Básica-Anatomia e Fisiologia ,Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1993.

  • OBRIGADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Comentários