Cosmetologia II

Cosmetologia II

(Parte 1 de 8)

Cosmetologia II

Produtos para barba e pós-barba:

Introdução:

- agressão contínua à pele

- diferenças do barbear: seco (barbeador elétrico) e úmido (gilete)

- barba  extensão do cabelo, face, 95% têm barba

- densidade de folículos pilosebáceos  trama conjuntiva e espessa

- complicadores  secreção sebácea e acne

Pêlos:

- inclinação de 30 a 60°; área de 250 cm2

- distribuição irregular

- ritmo de crescimento depende da idade e de fatores genéticos

- com a idade há degeneração do folículo piloso (perda da força da barba)

- hoje em dia, a freqüência do barbear é quase diária

- é importante que haja cosméticos que tratem a pele do homem de forma eficaz

Como evitar irritações ao barbear?

- espuma úmida  água destinada para a pele

- boa qualidade da espuma  sabão

- preparo da pele antes do barbear  água quente (a água “incha” o pêlo e facilita o ato de barbear)

- lâmina, aditivos e pós-barba

Características das formulações:

- consistência e textura do produto adequadas à temperatura de uso

- facilidade para formar espuma (bolhas pequenas aumentam a área de contato  depende do tensoativo)

- espuma duradoura

- aderência ao pincel e à pele

- remoção com enxágüe

- menor irritabilidade  umidade  diminuir a dor

- emoliência  pêlos e pele

- sensação, fragrância, refrescância  essências herbais e mentol

- pêlos eretos (deve deixar os pêlos eretos para facilitar o corte)

- compatibilidade com a formulação e material de acondicionamento

- vida útil de lâmina de barbear (a composição não pode alterar a vida útil da lâmina)

Formas cosméticas:

- historicamente  sabão (sebo + soda)

- dispersões concentradas de sabão de metais alcalinos em glicerina e água  processo altamente controlado para não ocorrer separação de fases

Formulação:

Sabão:

- ácido esteárico  75%

- ácidos graxos de óleo de coco  25%

- hidróxido de sódio/ hidróxido de potássio  1:5

- maiores quantidades de sabões sódicos  maior consistência e presença de filamentos

- maiores quantidades de sabões potássicos  menor estabilidade

Aditivos para pele e produto:

- umectante  glicóis: glicerina, propilenoglicol, butilenoglicol  15% (evita ressecamento do produto e dá suavidade à pele

- emoliente  lanolina, álcool cetílico, óleo mineral, ésteres de ácidos graxos  1% (se colocar muito, o sabão vai emulsificar o emoliente  polietoxilados diminuem capacidade de formar espuma)

- tensoativo sintético  MEG (emulsificante – aumenta consistência), LESS (lauril sulfato de sódio – aumenta a formação de espuma), álcoois graxos (aumentam consistência e diminuem resíduo na lâmina)

- refrescante

- antisséptico

- conservante

- antioxidante (BHA, BHT, etc)

- antiirritante (alantoína, extrato de camomila, azuleno, etc)

- condicionador  lacas e ésteres de ácidos graxos quartenizados e silicone

- agentes pilomotores  imidazolinas e morfolinas (levantam pêlo, contraindo a musculatura lisa)

- mentol, carboxiamidas, uréia, óxidos de fosfina  0,1 – 0,2%

- triclosan  0,05%

- alantoína  0,05%

- condicionador  1-2%

- pH  ± 10 e água quente  amaciamento  conseqüências

- ácidos graxos livres (no final)  3-5%  espuma

- aspecto perolado  ácidos graxos livres e sabões de estearato de sódio e potássio

- processo de saponificação controlado  aumento da viscosidade  “bolsas de álcali” que não reagiu, reagem lentamente  resfriamento lento (formação de estrutura cristalina que dá aspecto perolado)

- de tempos em tempos, mede-se a quantidade de ácidos graxos presentes para saber o término da reação

Espuma de barbear em aerosol:

- emulsão O/A + propelente liquefeito  fase oleosa

- vantagens  proporção de sabão menor (4 a 15%)/ facilidade de uso

Formulações atuais:

- base  sabão de trietanolamina e potássicos do ácido esteárico  mistura  1 a 3% de ácido graxo livre

- espessantes sintéticos: derivados do ácido acrílico, PVP, CMC

- espuma mais estável e maior lubrificação da lâmina  maciez

- tensoativos (idem)

(Parte 1 de 8)

Comentários