Ética e Responsabilidade Social

Ética e Responsabilidade Social

As empresas há muito tempo vem sendo pressionadas sobre a responsabilidade social que devem assumir. Este questionamento tem se tornado mais freqüente nos últimos anos e tem partido de diferentes públicos ligados direta ou indiretamente às empresas, sejam eles consumidores, funcionários, comunidade, imprensa, governos, e outros.

Contudo, podemos afirmar que, no mundo globalizado de negócios atual, as empresas são forçadas a adquirir ou alterar sua postura frente ás pressões de uma sociedade que vem exigindo compromisso social das mesmas. Esse compromisso social, além de tudo, legitima as empresas como agentes de promoção social e favorece o estabelecimento de uma relação mais saudável de credibilidade entre empresa e sociedade.

Há claros indícios que as empresas estão investindo cada vez mais em questões sociais, pois significa ganhar preferência do consumidor, ter suas ações valorizadas no mercado, contar com os melhores parceiros, representando ganhos em termos de negócio. Tais considerações levam-nos a acreditar que o público que mais tem provocado o repensar das empresas nesse contexto social é o consumidor, por serem estes os responsáveis diretamente pela sobrevivência da empresa.

O perfil de um consumidor mais consciente e exigente, principalmente no que se refere aos impactos sociais e ambientais ainda é mais reconhecido em países de Primeiro Mundo, onde a postura de empresa-cidadã já não é novidade.

No Brasil, o investimento social pode ser considerado novo, apesar de que o mercado do consumidor mais consciente, exigente, ou mesmo ético, vem também crescendo. Afinal, se falamos em mercado globalizado, não se pode também conceber que as empresas no Brasil fiquem aquém das novas tendências contemporâneas que alertam cada vez mais para a necessidade de construção e defesa da cidadania.

A sinalização de uma mudança de mentalidade dos empresários no Brasil já pode ser percebida, principalmente com o investimento que alguns setores vêm fazendo em produtos ecologicamente corretos e em iniciativas que contribuem, por exemplo, para a qualidade de vida de comunidades de baixa renda.

Sejam de pequeno, médio ou grande porte, as empresas têm realizado investimentos na área social. É evidente, no entanto, que o porte da empresa é um dos determinantes (mas não o único) do volume investido.

Para que a empresa seja socialmente responsável, deve incluir em suas políticas, objetivos e missão compromissos que envolvam desde a utilização de materiais que não agridam o meio ambiente até a preocupação com o ser humano, seja ele integrante de seu público interno, pertencente à comunidade ou ao público consumidor de seus produtos e serviços. Suas ações devem contemplar, também, o investimento cultural.

Assim sendo, as empresas devem estar preparadas para contar com a flexibilidade necessária para adaptarem-se às exigências de um mercado competitivo, globalizado e que cobra qualidade, ética e responsabilidade social.

Ramoel Rodrigues de Assis

Comentários