1 AULA

Vivemos numa era em que a quantidade de informaçıes Ø fantÆstica. Graças à tecnologia de que dispomos hoje, temos acesso quase imediato às informaçıes existentes no mundo inteiro. Surge entªo uma questªo: como usar essas informaçıes de forma rÆpida e segura?

Esse uso exige ferramentas capazes de tratar as informaçıes, tornando-as utilizÆveis, adequadas e oportunas. Precisamos de um processo de tratamento das informaçıes capaz de adquirir, armazenar, classificar, qualificar, comparar e combinar informaçıes.

Introduçªo

O computador estÆ aí nªo só para tratar informaçıes mas como uma ferramenta que possibilita adotar novos mØtodos de trabalho, que promovam mudanças no ambiente das empresas e nos meios de produçªo.

O uso de computadores vem se disseminando e atinge todas as Æreas de atividade e faixas etÆrias. AtØ crianças em idade prØ-escolar jÆ operam computadores. Na realidade, a informÆtica Ø mais que uma evoluçªo. É uma revoluçªo!

O primeiro computador

Em 1950, existia apenas um computador disponível comercialmente – o Eniac. Originalmente desenvolvido para manipular dados do censo dos Estados Unidos, esse computador ocupava uma sala inteira, necessitava de refrigeraçªo especial e custava mais de U$ 500.0.

Mais tarde, a IBM instalou seu primeiro computador comercial, um IMB 650.

Contudo, o domínio da IBM na indœstria de processamento de dados começou com a introduçªo do seu computador 1401, seguida de uma sØrie de computadores da linha 360, que iniciou a terceira geraçªo de computadores e o conceito de uma família de computadores compatíveis.

1 A U L A

Um problema

Informática : ciência que objetiva o tratamento da informação por meio de equipamentos e procedimentos da área de processamento de dados.

Evoluçªo dos microcomputadores

AULAComponentes pessoais e seus tamanhos

Os computadores evoluem constantemente. Hoje, eles se apresentam em tamanhos bem pequenos (miniaturas). As placas de circuito impresso passaram a reunir todos os dispositivos necessÆrios ao funcionamento do microcomputador numa só placa, denominada single-board.

Os computadores destinados a operar sobre mesas de escritório sªo chamados de desktops. Os computadores que ficam dispostos verticalmente sobre a mesa sªo denominados torres. JÆ os computadores menores, portÆteis e dotados de teclado e vídeo embutidos no mesmo corpo do micro, sªo chamados de laptops. Existem ainda computadores que podem ser operados na palma da mªo. Sªo chamados de palmtops.

Comunicaçªo entre micros

A necessidade de uma troca rÆpida de informaçıes entre os computadores deu origem às redes de comunicaçªo.

As redes permitem que vÆrios computadores compartilhem um mesmo banco de dados, armazenado pelas unidades secundÆrias de memóriaunidades secundÆrias de memóriaunidades secundÆrias de memóriaunidades secundÆrias de memóriaunidades secundÆrias de memória. Desta forma, o custo do equipamento reduz-se, pois se otimiza o tempo de utilizaçªo.

As comunicaçıes podem se dar por meio de redes locais, onde micros se comunicam e as informaçıes podem ser trocadas entre todos, de forma que haja uma ligaçªo física entre os micros. A ligaçªo Ø feita por intermØdio de placas chamadas placas placas placas placas placas de redede redede redede redede rede. Outro tipo de comunicaçªo Ø atravØs de linhas telefônicas e redes de comunicaçªo existentes nos órgªos de comunicaçªo pœblica.

Unidades secundárias de memória: são dispositivos de armazenamento de informações digitais de grande capacidade, periféricas à placa do computador.

AULA Dispositivos perifØricos

Podemos relacionar dois tipos de perifØricos: os de armazenamento de dados e os de entrada e saída.

PerifØricos de armazenamento de dadosPerifØricos de armazenamento de dadosPerifØricos de armazenamento de dadosPerifØricos de armazenamento de dadosPerifØricos de armazenamento de dados

Os perifØricos de armazenamento de dados sªo as unidades de memória secundÆria. As primeiras unidades eram cartıes perfurados, que traziam a combinaçªo binÆria do programa associada à existŒncia, ou nªo, dos furos.

Devido à pouca praticidade na leitura de programas e à dificuldade de armazenamento dos cartıes, as unidades de memória passaram a ser desenvolvidas com dispositivos magnØticos, como fitas. Desta forma, os dados e programas foram associados a freqüŒncias de sinais gravados em “mídia” ou material magnØtico, do mesmo modo como gravamos fitas de Æudio.

Para agilizar o acesso à informaçªo, passou-se a trabalhar com discos magnØticos em lugar das fitas, uma vez que as fitas exigiam um acesso seqüencial, um dado após o outro, demandando muito tempo quando se precisava pegar uma informaçªo no final da fita.

JÆ o disco magnØtico facilita o acesso, pois os dados estªo gravados de modo “espalhado” pela mídia, e a leitura pode ser feita por meio de diversos cabeçotes magnØticos, denominados cabeçascabeçascabeçascabeçascabeças .

Os discos magnØticos atuais podem ser classificados quanto a sua característica física, dimensªo e capacidade de armazenamento.

Característica física: Característica física: Característica física: Característica física: Característica física: disco rígido ou Winchester e discos flexíveis.

Dimensªo:Dimensªo:Dimensªo:Dimensªo:Dimensªo:os discos flexíveis podem ser de 5 1/4 polegadas ou 3 1/2 polegadas. Os discos rígidos podem ser full (maiores) e slim (menores e compactos).

Capacidade:Capacidade:Capacidade:Capacidade:Capacidade:os discos flexíveis de 5 1/4 polegadas podem armazenar 360 kbytes ou 1,2 megabytes. Os discos flexíveis de 3 1/2 polegadas podem armazenar 720 kbytes ou 1,4 megabytes.

AULAPor sua vez, os discos rígidos podem ter capacidade para dezenas de megabytes a centenas de gigabytes.

Hoje trabalhamos com outro modelo de memória secundÆria: o CD-ROM, que apresenta grande capacidade de armazenamento e maior velocidade de resposta.

Entrada e saídaEntrada e saídaEntrada e saídaEntrada e saídaEntrada e saída

Entre os dispositivos perifØricos de entrada e saída merecem destaque os monitores de vídeo, que podem ser monocromÆticos ou coloridos – estes œltimos sªo amplamente utilizados em softwares grÆficos com imagens coloridas.

Outra característica importante dos monitores Ø sua resoluçªo, ou seja, o nœmero de pontos por polegada quadrada. Quanto maior o nœmero de pontos, maior a resoluçªo.

Os monitores sªo caracterizados por padrªo de sincronismo, nœmero de cores e padronizaçªo da interface com o microcomputador. Recebem diversas denominaçıes: EGA, CGA, VGA e SVGA.

Outro perifØrico importante e muito utilizado sªo as impressoras, que tambØm foram sofrendo alteraçıes e atualizaçıes para se tornarem mais compactas, confiÆveis, silenciosas e eficientes.

As impressoras mais utilizadas ainda sªo as matriciais (que utilizam sistema de batimento de cabeça em fita colorida sobre o papel), as de jato de tinta e as lasers.

As impressoras a jato de tinta e a laser vŒm substituindo as matriciais devido à qualidade de impressªo, velocidade e por serem silenciosas. Hoje jÆ usamos impressoras coloridas e a jato de cera, que produzem trabalhos artísticos de excelente qualidade.

Atualmente, alguns computadores estªo acoplados a tantos acessórios que podem ser usados como gravador, reprodutor de discos lasers, secretÆriaeletrônica e fax.

Computadores para aplicaçıes especiais

Devido à diversidade de aplicaçıes dos computadores, muitos deles apresentam tantas características específicas que passam a ser considerados especiais, como os servidores de rede, os computadores industriais etc.

O computador servidor de uma rede de comunicaçªo serve outros computadores com informaçıes armazenadas em suas unidades de memória. Ele deve ter alta capacidade de memória secundÆria (winchester) e possibilitar comunicaçªo e processamento com rapidez, uma vez que diversos computadores devem ser “servidos” simultaneamente.

AULAOs computadores industriais apresentam características físicas diferentes em relaçªo aos utilizados em escritórios. TŒm proteçªo contra poeira, aliviadores

de vibraçªo, alØm de fonte de alimentaçªo mais resistente a ruídos e variaçıes de tensªo da rede.

Estes computadores sªo utilizados normalmente em sistemas automatizados, junto a Controladores Lógicos ProgramÆveis e a Sistemas Integrados de Manufatura.

Aquisiçªo de um microcomputador

Em funçªo da diversidade de microcomputadores, a escolha de um equipamento deve levar em conta vÆrios aspectos: capacidade, facilidade de uso, disponibilidade de programas, confiabilidade e expansividade.

Teste sua aprendizagem. Faça os exercícios e confira suas respostas com as do gabarito.

Marque com X a resposta correta.

Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1

Os computadores sªo equipamentos que:

a)a)a)a)a)()atingiram seu Æpice de desenvolvimento, sem possibilidade de maior evoluçªo; b)b)b)b)b)()foram desenvolvidos com a mesma concepçªo desde a sua invençªo; c)c)c)c)c)()passam por um processo de desenvolvimento, como todos os equipamentos, e ainda assim podem ser aprimorados.

Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2

Computadores a vÆlvula, com unidades de memória secundÆria a base de cartªo perfurado sªo: a)a)a)a)a)()o princípio da evoluçªo dos computadores; b)b)b)b)b)()classificados como sendo de segunda geraçªo; c)c)c)c)c)()o Æpice de tecnologia da informÆtica.

Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3

Os monitores de vídeo podem ser classificados em EGA, VGA, CGA e SVGA quanto a: a)a)a)a)a)()cor e tamanho; b)b)b)b)b)()resoluçªo, quantidade de cores e padrªo de comunicaçªo com o microcomputador; c)c)c)c)c)()protocolo de comunicaçªo com o teclado.

Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4

Os computadores industriais sªo: a)a)a)a)a)()extremamente diferentes dos convencionais; b)b)b)b)b)()totalmente iguais aos convencionais; c)c)c)c)c)()diferentes em algumas características construtivas, com relaçªo aos convencionais.

Exercícios

Comentários