Melhore seus textos - Apostila de Português

Melhore seus textos - Apostila de Português

(Parte 1 de 2)

DICAS DE PORTUGUÊS

POR QUE / POR QUÊ / PORQUE OU PORQUÊ?

O uso dos porquês é um assunto muito discutido e traz muitas dúvidas. Com a análise a seguir, pretendemos esclarecer o emprego dos porquês para que não haja mais imprecisão a respeito desse assunto. Por que O porquê tem dois empregos diferenciados: Quando for à junção da preposição por + pronome interrogativo ou indefinido que, possuirá o significado de “por qual razão” ou “por qual motivo”: Exemplos: Por que você não vai ao cinema? (por qual razão) Não sei por que não quero ir. (por qual motivo) Quando for à junção da preposição por + pronome relativo que, possuirá o significado de “pelo qual” e poderá ter as flexões: pela qual, pelos quais, pelas quais. Exemplo: Sei bem por que motivo permaneceu neste lugar. (pelo qual) Por quê Quando vier antes de um ponto, seja final, interrogativo, exclamação, o por quê deverá vir acentuado e continuará com o significado de “por qual motivo”, “por qual razão”. Exemplos: Vocês não comeram tudo? Por quê? Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro. Porque É conjunção causal ou explicativa, com valor aproximado de “pois”, “uma vez que”, “para que”. Exemplos: Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois)Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)Porquê É substantivo e tem significado de “o motivo”, “a razão”. Vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral.Exemplos: O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo)Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)

TENHO BASTANTE PROBLEMAS OU TENHO BASTANTES PROBLEMAS?

Quando houver dúvida em relação a bastante antes de palavra no plural, pode-se colocar muito no lugar. Se muito for para o plural, o mesmo deverá ocorrer com bastante:

Exemplos: Tenho bastantes (muitos) problemas.

Elas estão bastante (muito) cansadas.

HOUVERAM PROBLEMAS OU HOUVE PROBLEMAS?

O verbo haver, no sentido de “existir”, é impessoal, ou seja, não tem sujeito e deve aparecer sempre na terceira pessoa do singular. Portanto, a forma correta é Houve problemas, sendo problemas o complemento (objeto) do verbo, não seu sujeito.

Com efeito, ninguém diria Hão dificuldades, mas dizem, equivocadamente, Haviam ou Haverão dificuldades. Atenção: se tratar de locução verbal, o verbo auxiliar será afetado pela mesma impessoalidade, ou seja, deverá sempre ser flexionado no singular:

Exemplos: Deve haver mais candidatos.

Poderá haver outras exigências.

DIFERENÇA DE HAVER E FAZER

Nas expressões de tempo, mantenha-os sempre no singular:

Há- indica tempo transcorrido (você pode substituí-lo por faz).

Exemplos: Há (faz) dez anos, tudo era diferente.

Isso aconteceu há (faz) meses.

Fez (e não fizeram) dez anos que nos conhecemos

Vai fazer (e não vão fazer) dez anos que ele se despediu do mundo.

MAL OU MAU

Mal - Como advérbio e substantivo opõem-se à bem.

Mau - Como advérbio e substantivo opõem-se a bom.

Na dúvida, substitua “mal” por “bem” e “mau” por “bom”.

Se fizer sentido, é porque o emprego foi acertado.

NO SENTIDO DE

Evite usar no sentido de para objetivo, finalidade:

Errado: No sentido deesclarecer o assunto...

Correto: Para esclarecer o assunto...

Errado: Com o objetivo de esclarecer o assunto...

Certo: A fim de esclarecer o assunto...

MESMO

Para referir-se a uma pessoa do discurso. Substitua-o pelo substantivo ou pronome correspondente.

Errado: Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo se encontra...

Correto: Antes de entrar no elevador, verifique se ele se encontra...

Errado: Estava a conversar com Paula e a mesmame disse que...

Correto: Estava a conversar com Paula e ela me disse que...

Errado: Não concordamos com Júlio depois de termos analisado a proposta do mesmo...

Correto: Não concordamos com Júlio depois de termos analisado a proposta dele (ou suaproposta).

TEM OU TÊM

TEM é usado apenas no singular.

Exemplo: Ele tem uma grande empresa.

TÊM é usado apenas no plural.

Exemplo: Eles têm um aperto de mão firme.

ANEXO OU ANEXA

Anexo é um adjetivo que deve concordar com o substantivo a que se referir.

Exemplos: A fotografia vai anexa ao currículo.

Os documentos irão anexos ao relatório.

MAIS OU MAS

MAS: Conjunção adversativa. Exemplo: Fez a prova, mas não conseguiu passar.

MAIS: Pronome indefinido ou advérbio de intensidade. Exemplo: O mundo quer mais paz.

ESTEJE OU ESTEJA

O certo é esteja (1° e 3° pessoas do singular do presente do subjuntivo do verbo Estar). Não existe esteje.

Também não existe a forma “seje” e sim seja (1° e 3° pessoas do singular do presente do subjuntivo do verbo Ser).

DESCULPE E DESCULPA

Desculpa é da segunda pessoa do singular do imperativo afirmativo, ou seja, usa-se para “tu”:

Exemplo: Desculpa, não imaginava que te ofendesses com isso.

Desculpe é da terceira pessoa, isto é, para “você”, “senhor”, “senhora”.

Exemplo: Desculpe, não queria ofender a senhora.

A OU HÁ?

Para saber se você deve usar “a” ou “há” apresentamos aqui algumas dicas para facilitar a eliminação de dúvidas a esse respeito: Usa-se “há” quando o verbo “haver” é impessoal, tem sentido de “existir” e é conjugado na terceira pessoa do singular. Exemplo: Há um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo. Existe um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo. Ainda como impessoal, o verbo “haver” é utilizado em expressões que indicam tempo decorrido, assim como o verbo “fazer”. Exemplos: Há muito tempo não como esse bolo. Faz muito tempo que não como esse bolo. Logo, para identificarmos se utilizaremos o “a” ou “há” substituímos por “faz” nas expressões indicativas de tempo. Se a substituição não alterar o sentido real da frase, emprega-se “há”. Exemplos: Há cinco anos não escutava uma música como essa. Substituindo por faz: Faz cinco anos que não escutava uma música como essa. Quando não for possível a conjugação do verbo “haver” nem no sentido de “existir”, nem de “tempo decorrido”, então, emprega-se “a”.

Exemplos: Daqui a pouco você poderá ir embora.

Estamos a dez minutos de onde você está. Importante: Não se usa “Há muitos anos atrás”, pois é redundante, pleonasmo. Não é necessário colocar “atrás”, uma vez que o verbo “haver” está no sentido de tempo decorrido.

Parte superior do formulário

GERÚNDIO

O gerúndio é uma forma verbal que indica uma ação que está em andamento, algo que não está completo. Essa forma verbal sempre é formada pela partícula-ndo unida ao verbo. Exemplos: Eu vou estar confirmando os dados. Você está sendo redirecionado. O gerúndio pode ser utilizado com outros verbos ou sozinho, quando adquire a função de advérbio: Exemplo: Fazendo assim, vai ser fácil. (Gerúndio com função de advérbio). A grande questão ligada ao uso do gerúndio é que esta forma verbal é amplamente usada de forma incorreta, principalmente em serviços de telemarketing e atendimento ao consumidor. Todos nós já nos deparamos com situações nas quais um atendente de uma empresa usa o gerúndio de forma abusiva: “O senhor pode estar respondendo a um questionário?”; “Nossa empresa vai estar lhe informando”, etc. Esse vício de linguagem tem suas origens na língua inglesa. Seria uma tradução literal do emprego do verbo “going to”. Exemplo: “I am going to do something” (Estou indo fazer algo). No entanto, é preciso ressaltar que em alguns casos o uso do gerúndio é correto. A questão é que existe uma falsa impressão de que o gerúndio traz vantagens estilísticas sobre outros processos, o que não é verdade. O gerúndio é corretamente usado quando transmite a idéia de movimento, progressão, duração, continuidade. Alguns casos em que o gerúndio é empregado corretamente: - “Em virtude do atraso, estaremos recebendo o pagamento em conta corrente nos dias 08 e 09 de setembro” - “O que você vai fazer durante o fim de semana? Vai estar viajando?” - “Ele está fazendo a prova agora.”

SINAIS DE PONTUAÇÃO

Muitas pessoas não dão o devido valor à acentuação, acham que não há problemas em se esquecer uma vírgula, um ponto final ou um parênteses ou simplesmente ignoram os sinais. No entanto, uma vírgula ou ponto pode mudar todo o sentido de uma única oração. Observe: Eu ir lá claro que não. Agora veja: Eu, ir lá? Claro que não! Como se pode observar na última oração acima, a acentuação acompanha nossa fala, nossa entonação. Dessa forma, fica possível perceber as pausas feitas pelo falante, a fim de demonstrar com clareza o que e como quer dizer algo. Por exemplo: você dá parabéns a uma pessoa dessa forma: Parabéns. Desejo felicidades. , com o uso de ponto final na entonação, igual um robô?

Creio que não, pois queremos transmitir alegria nas felicitações, e o mais certo nessa ocasião é abusar do sinal gráfico que representa esse sentimento de euforia: o ponto de exclamação! Assim: Parabéns! Muitas felicidades! Fica bem melhor, não é? Logo, a acentuação faz parte da nossa linguagem falada e escrita, e é imprescindível saber como usá-la corretamente! Agora você vai ficar sabendo como e quando usar cada um dos sinais de pontuação: vírgula, ponto final, ponto de interrogação, ponto de exclamação, ponto-e-vírgula, dois-pontos, aspas, reticências, parênteses e travessão.

ASPAS

Quando há palavras ou expressões populares, gírias, neologismos, estrangeirismos ou arcaísmos. Exemplos: Há “trombadinhas” nas cidades grandes “batendo carteira” o tempo todo, mas não há providências. Por favor, antes de sair, faça um “backup”! Ele mora lá nos “cafundó do Judas!” Antes ou depois de citações. (*)Exemplos:Neste sábado, 31/01/09, o ministro do Trabalho disse o seguinte a respeito do aumento no salário mínimo para R$ 460,00: "Esse aumento representa beneficiar mais de 45 milhões de pessoas, entre aposentados e pensionistas". "É importante que os países ricos não esqueçam nunca que foram eles que inventaram essa história de que o comércio poderia fluir livremente pelo mundo. Não é justo que agora, que eles entraram em crise, esqueçam o discurso do livre comércio e passem a ser os protecionistas que nos acusavam de ser", disse Lula no Fórum Social Mundial, em Belém. * textos retirados ou baseados em reportagens da Folha Online. Para assinalar palavras ou expressões irônicas. Exemplos: Eles se comportaram “super” bem. Sim, porque são uns “anjinhos”.

(Parte 1 de 2)

Comentários