Gerenciamento de projetos - livro

Gerenciamento de projetos - livro

(Parte 1 de 16)

w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

Gerência de Projetos

Preparação para a Certificação PMP

Aclair Rodrigues Braga, PMP, MsC., MBA w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

Brasília, novembro de 2003.

Caros Gerentes de Projeto,

Este material é um resumo, para fins de estudo para a certificação PMP, dos seguintes livros:

PMBOK 2000 em inglês PMBOK 2000 em português - versão não oficial disponibilizada pelo PMIMG

PMP Exam Prep, Rita Mulcahy

PMP: Project Management Professional Study Guide, Kim Heldman

Este documento foi escrito para facilitar o meu estudo para a certificação. Por sugestão de amigos, que também utilizaram este material para se certificarem, estou disponibilizando-o na Internet.

Qualquer sugestão, crítica ou contribuição que possam enriquecer este documento, e ajudar outros a conseguirem favor enviar para o meu e-mail: aclair.braga@emetria.com.

Deixo claro aqui que este resumo não tem nenhuma finalidade comercial e portanto, não pode ser utilizado para tal.

Atenciosamente, Aclair Rodrigues Braga, PMP, MsC., MBA w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

1.Gerenciamento de Projetos1
1.1.Projeto1
1.2.Programa1
1.3.Stakeholder1
1.4.Patrocinador1
1.5.Project Manager1
1.6.Ciclo de Vida1
1.7.Gerência de Projetos2
1.8.Relacionamentos com Outras Disciplinas2
1.8.1.Áreas de Aplicação2
1.8.2.Administração Geral2
1.9.Habilidades da Administração Geral3
1.9.1.Liderança3
1.9.2.Comunicação3
1.9.3.Negociação3
1.9.4.Solução de Problemas3
1.9.5.Influência na Organização3
1.10.Triple constraint3
1.1.Sustentabilidade social-econômica-ambiental4
2.Estruturas Organizacionais4
2.1.Estrutura Funcional4
2.1.1.Vantagens e desvantagens da estrutura organizacional funcional4
2.2.Estrutura Projetizada4
2.2.1.Vantagens e desvantagens da estrutura organizacional projetizada4
2.3.Estrutura Matricial Fraca, Balanceada e Forte4
2.3.1.Estrutura Matricial Fraca4
2.3.2.Estrutura Matricial Balanceada5
2.3.3.Estrutura Matricial Forte5
2.3.4.Vantagens e desvantagens da estrutura matricial5
2.3.5.Project Expeditor e Project Coodinator5
2.4.Influência da Organização nos Projetos5
3.Processos de Projetos6
3.1.Grupos de Processos da Gerência de Projetos6
3.2.Relacionamentos entre os Grupos de Processos6
3.3.Sobreposição dos Grupos de Processos6
3.4.Áreas de Conhecimento6
4.Gerenciamento da Integração do Projeto7
4.1.Desenvolvimento do Plano do Projeto7
4.1.1.Entradas para o Desenvolvimento do Plano do Projeto7
4.1.2.Ferramentas e Técnicas para o Desenvolvimento do Plano do Projeto8
4.1.3.Saídas do Desenvolvimento do Projeto8
4.2.Execução do Plano do Projeto9
4.2.1.Entradas para a Execução do Plano do Projeto9
4.2.2.Ferramentas e Técnicas para a Execução do Plano do Projeto9

4.2.3.Saídas da Execução do Plano do Projeto.............................................................10 w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

4.3.Controle Integrado de Mudanças10
4.3.1.Entradas para o Controle Integrado de Mudanças10
4.3.2.Ferramentas e Técnicas para o Controle Integrado de Mudanças1
4.3.3.Saídas do Controle Integrado de Mudanças12
5.Gerenciamento do Escopo do Projeto13
5.1.Iniciação13
5.1.1.Entradas para a Iniciação13
5.1.2.Ferramentas e Técnicas para a Iniciação13
5.1.3.Saídas da Iniciação14
5.2.Planejamento do Escopo14
5.2.1.Entradas para o Planejamento do Escopo14
5.2.2.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento do Escopo14
5.2.3.Saídas do Planejamento do Escopo15
5.3.Definição do Escopo15
5.3.1.Entradas para a Definição do Escopo15
5.3.2.Ferramentas e Técnicas para a Definição do Escopo16
5.3.3.Saídas da Definição do Escopo16
5.4.Verificação do Escopo16
5.4.1.Entradas para a Verificação do Escopo16
5.4.2.Ferramentas e Técnicas para a Verificação do Escopo16
5.4.3.Saídas da Verificação do Escopo17
5.5.Controle de Mudanças do Escopo17
5.5.1.Entradas para Controle de Mudanças do Escopo17
5.5.2.Ferramentas e Técnicas para o Controle de Mudanças do Escopo17
5.5.3.Saídas do Controle de Mudanças do Escopo18
6.Gerenciamento do Tempo do Projeto19
6.1.Definição das Atividades19
6.1.1.Entradas para a Definição das Atividades19
6.1.2.Ferramentas e Técnicas para a Definição das Atividades19
6.1.3.Saídas da Definição das Atividades19
6.2.Sequenciamento das Atividades20
6.2.1.Entradas para o Seqüenciamento das Atividades20
6.2.2.Ferramentas e Técnicas para o Seqüenciamento das Atividades20
6.2.3.Saídas do Seqüenciamento das Atividades21
6.3.Estimativa de Duração das Atividades21
6.3.1.Entradas para a Estimativa de Duração das Atividades21
6.3.2.Ferramentas e Técnicas para a Estimativa de Duração das Atividades21
6.3.3.Saídas para a Estimativa de Duração das Atividades2
6.4.Desenvolvimento do Cronograma2
6.4.1.Entradas para o Desenvolvimento do Cronograma2
6.4.2.Ferramentas e Técnicas para o Desenvolvimento do Cronograma23
6.4.3.Saídas do Desenvolvimento do Cronograma24
6.5.Controle do Cronograma24
6.5.1.Entradas para o Controle do Cronograma25
6.5.2.Ferramentas e Técnicas para o Controle do Cronograma25
6.5.3.Saídas para o Controle do Cronograma25

7.Gerenciamento do Custo do Projeto...................................................................................27 w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

7.1.Planejamento dos Recursos27
7.1.1.Entradas para o Planejamento dos Recursos27
7.1.2.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento dos Recursos27
7.1.3.Saídas para o Planejamento dos Recursos28
7.2.Estimativa dos Custos28
7.2.1.Entradas para a Estimativa dos Custos28
7.2.2.Ferramentas e Técnicas para a Estimativa dos Custos29
7.2.3.Saídas para a Estimativa dos Custos30
7.3.Orçamentação dos Custos30
7.3.1.Entradas para a Orçamentação dos Custos30
7.3.2.Ferramentas e Técnicas para a Orçamentação dos Custos31
7.3.3.Saídas para a Orçamentação dos Custos31
7.4.Controle dos Custos31
7.4.1.Entradas para o Controle dos Custos31
7.4.2.Ferramentas e Técnicas para o Controle dos Custos32
7.4.3.Saídas para o Controle dos Custos32
7.5.Tipos de Custo3
7.6.Earned Value – Valor Adquirido3
7.7.Fórmulas34
7.7.1.Slope34
7.7.2.Valor Presente34
7.7.3.Net Present Value34
7.7.4.Taxa interna de retorno (IRR)34
7.7.5.Período de PayBack35
7.7.6.Benefit Cost Ratio (BCR)35
7.7.7.Custo de Oportunidade35
7.8.Depreciação35
7.9.Análise de Valor35
8.Gerenciamento da Qualidade do Projeto36
8.1.Planejamento da Qualidade37
8.1.1.Entradas para o Planejamento da Qualidade37
8.1.2.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento da Qualidade37
8.1.3.Saídas do Planejamento da Qualidade38
8.2.Garantia da Qualidade39
8.2.1.Entradas para a Garantia da Qualidade39
8.2.2.Ferramentas e Técnicas para a Garantia da Qualidade39
8.2.3.Saídas da Garantia da Qualidade39
8.3.Controle da Qualidade39
8.3.1.Entradas para o Controle da Qualidade40
8.3.2.Ferramentas e Técnicas para o Controle da Qualidade40
8.3.3.Saídas do Controle da Qualidade41
8.4.Resumo41
9.Gerenciamento dos Recursos Humanos do Projeto42
9.1.Planejamento Organizacional42
9.1.1.Entradas para o Planejamento Organizacional42
9.1.2.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento Organizacional43

9.1.3.Saídas do Planejamento Organizacional.............................................................. 43 w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

9.2.Montagem da Equipe4
9.2.1.Entradas para a Montagem da Equipe4
9.2.2.Ferramentas e Técnicas para a Montagem da Equipe4
9.2.3.Saídas da Montagem da Equipe4
9.3.Desenvolvimento da Equipe4
9.3.1.Entradas para o Desenvolvimento da Equipe45
9.3.2.Ferramentas e Técnicas para o Desenvolvimento da Equipe45
9.3.3.Saídas do Desenvolvimento da Equipe46
9.4.Conceitos do Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto46
9.4.1.Poderes do Gerente de Projeto46
9.4.2.Habilidades de Liderança46
9.4.3.Fatores de conflito na organização – em ordem de importância46
9.4.4.Técnicas de resolução de conflitos – em ordem de importância46
9.5.Teorias motivacionais47
9.5.1.Hierarquia de necessidades de Maslow47
9.5.2.Tória X e Y de McGregor47
9.5.3.Teoria de Herzberg47
9.5.4.Efeito Halo47
9.5.5.Teoria das expectativas47
9.5.6.Outros47
10.Gerenciamento das Comunicações do Projeto49
10.1.Planejamento das Comunicações49
10.1.1.Entradas para o Planejamento das Comunicações49
10.1.2.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento das Comunicações49
10.1.3.Saídas do Planejamento das Comunicações50
10.2.Distribuição das Informações50
10.2.1.Entradas para a Distribuição das Informações50
10.2.2.Ferramentas e Técnicas para a Distribuição das Informações50
10.2.3.Saídas para a Distribuição das Informações51
10.3.Relato de Desempenho51
10.3.1.Entradas para o Relato de Desempenho51
10.3.2.Ferramentas e Técnicas para o Relato de Desempenho51
10.3.3.Saídas para o Relato de Desempenho52
10.4.Encerramento Administrativo52
10.4.1.Entradas para o Encerramento Administrativo52
10.4.2.Ferramentas e Técnicas para o Encerramento Administrativo53
10.4.3.Saídas para o Encerramento Administrativo53
10.5.Extras53
10.5.1.Modelos de Comunicação53
10.5.2.Métodos de Comunicação53
10.5.3.Bloqueadores de Comunicação54
10.5.4.Técnicas de Reunião54
10.5.5.Solução de Problemas54
10.5.6.Canais de Comunicação54
1.Gerenciamento dos Riscos do Projeto5
1.1.Planejamento da Gerência de Risco5

1.1.1.Entradas para o Planejamento da Gerência de Risco.........................................5 w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

1.1.2.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento da Gerência de Risco5
1.1.3.Saídas do Planejamento de Gerência de Risco56
1.2.Identificação do Risco56
1.2.1.Entradas para a identificação do risco56
1.2.2.Ferramentas e Técnicas para a Identificação do risco57
1.2.3.Saídas da Identificação dos riscos57
1.3.Análise Qualitativa dos riscos58
1.3.1. Entradas para a Análise Qualitativa dos Riscos58
1.3.2.Ferramentas e Técnicas para a Análise Qualitativa dos Riscos58
1.3.3.Saídas da Análise Qualitativa dos Riscos59
1.4.Análise Quantitativa dos riscos59
1.4.1.Entradas para a Análise Quantitativa dos Riscos59
1.4.2.Ferramentas e Técnicas para a Análise Quantitativa dos Riscos60
1.4.3.Saídas da Análise Quantitativa dos Riscos61
1.5.Planejamento de Resposta aos Riscos61
1.5.1.Ferramentas e Técnicas para o Planejamento de Resposta aos Riscos62
1.5.2.Saídas do Planejamento de Resposta aos Riscos63
1.6.Controle e Monitoração dos Riscos63
1.6.1.Entradas para o Controle e Monitoração dos Riscos64
1.6.2.Ferramentas e Técnicas para o Controle e Monitoração dos Riscos64
1.6.3.Saídas do Controle e Monitoração dos Riscos65
12.Gerenciamento das Aquisições do Projeto6
12.1.Planejamento das aquisições6
12.2.Planejamento das Solicitações6
12.3.Solicitação6
12.4.Seleção do Fornecedor6
12.5.Administração de Contrato6
12.6.Encerramento de Contrato6
13.Responsabilidade profissional67

13.1.CÓDIGO DE ÉTICA................................................................................................ 67 w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

1.Gerenciamento de Projetos

Um projeto é um empreendimento com características próprias, tendo princípio e fim, conduzido por pessoas, para atingir metas estabelecidas dentro de parâmetros de prazo, custo e qualidade.

Um projeto é um empreendimento temporário cujo objetivo é criar um produto ou serviço distinto e único. Temporário – um projeto tem um ponto definido de início e de fim.

Único – no sentido de que o produto do projeto pode ser diferenciado de outros.

1.2. Programa Um programa é um conjunto de projetos gerenciados de forma coordenada.

1.3. Stakeholder É alguém cujos interesses são afetados positiva ou negativamente pelo projeto. Ex:

Gerente de Projeto. Cliente.

Organização executora do projeto.

Patrocinador.

Equipe.

Usuários finais.

Sociedade, cidadãos.

O plano de gerenciamento de stakeholders deve conter: Identificar todos os stakeholders do projeto

Identificar suas necessidades, expectativas e objetivos

Determinar os papéis de cada stakeholder no projeto

Avaliar o impacto dos stakeholders no projeto

Determinar como os stakeholders devem ser gerenciados

É a pessoa que provê os recursos financeiros para o projeto. O patrocinador não assina o Project Charter, isto é papel do gerente sênior.

1.5.Project Manager É a pessoa responsável pelo gerenciamento do projeto. O gerente do projeto deve:

Ser pró-ativo. Ter a autoridade para dizer não quando necessário.

Entender de responsabilidade profissional.

Estar no comando do projeto, mas não necessariamente dos recursos.

Não dever ser, necessariamente, um especialista técnico.

1.6.Ciclo de Vida

O Ciclo de vida do projeto define o início e o fim do projeto e também: Que trabalho técnico deve ser realizado em cada fase.

w.emetria.com Aclair Rodrigues Braga, MsC., PMP

Quem deve estar envolvido em cada fase.

O Ciclo de vida do produto define o início e o fim do produto. O ciclo de vida do projeto é somente uma fase do ciclo de vida do produto.

1.7.Gerência de Projetos

É a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas em projetos com o objetivo de atingir ou até mesmo exceder às necessidades e expectativas dos clientes e demais partes interessadas do projeto.

Gerenciar projetos envolve tomar decisões sobre: Escopo, Tempo, Custo e Qualidade.

(Parte 1 de 16)

Comentários