Os curriculos de Agronomia no cenario atual

Os curriculos de Agronomia no cenario atual

Painel 4: Engenheiro Agrônomo -Profissional protagonista do desenvolvimento sustentável

Os currículos de agronomia e a realidade do mercado de trabalho

Antonio Roque Dechen ESALQ/USP

Gramado, RS 2 de outubro de 2009

DE AGRONOMIA Agricultura Forte: Alimento, Energia e Meio Ambiente

ARISTÓTELES ( 350 AC ) “Teoria Humística”

van HELMONT (1652):

Plantas absorvem H2O e constrõem suas substâncias a partir dela.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Descobriu o O2 Plantas eliminam O2

Influência da luz sobre as trocas gasosas. Somente em presença da

luz há eliminação de O2.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

PRISTLEY (1775) INGENHOUSZ (1776)

“A química agrícola e sua aplicação na agricultura e fisiologia.”

Elementos minerais não estão

casualmente presentes nas plantas, mas necessários.

Plantas necessitam de 10 elementos

(C, H, O, N, P, K, Ca, Mg, S e Fe).

Todos com exceção do C, H, O provém do solo.

LIEBIG (1840)

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

COM TECNOLOGIA 170 ANOS

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Entre 1876 e 1883 foram plantados 105 milhões de novos pés de café na região de Campinas, fazendo com que esta região produzisse em 1886 um total de 15% de todo o café produzido em São Paulo.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Como era a Agricultura Brasileira nessa época

Como era a Agricultura

Brasileira sem os Engenheiros Agrônomos.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

No Brasil ...

Inauguração Escola Imperial de Agronomia da Bahia;

Fundação do Instituto Agronômico, em Campinas;

Inauguração da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, em Pelotas;

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Luiz Pereira Barreto importou adubos minerais;

Inauguração da Escola Agrícola Prática Luiz de Queiroz, em Piracicaba;

Fundação da Escola Superior de Agronomia de Lavras, atual UFLA;

No Brasil

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Fundação a Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária, atual UFRRJ;

Fundação da Escola Superior de Agricultura de Viçosa, atual UFV;

1 de agosto de 1927

Fundação da Sociedade Brasileira de Agronomia, no Rio de Janeiro (ORIGEM DA CONFAEAB)

No Brasil

Alimento, Energia e Meio Ambiente Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP

2 / outubro / 200910

1934 •Fundação da Universidade de São Paulo;

•Fundação do sistema CONFEA-CREA

No Brasil

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 200911

1947 Fundação da SBCS, no Rio de Janeiro;

1955 a 1978 IBEC Research em Matão-SP;

1960 Fundação da ABEAS

1973 Fundação da Embrapa

No Brasil

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Prêmio Nobel da Paz 1970

Pai da Revolução Verde

Norman Borlaug

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Escolas de Agronomia no Brasil até 1951 (1)

UFBACruz das Almas -BA1877

UFPel Pelotas – RS 1883

UFRGSPorto Alegre -RS1900

ESALQ Piracicaba – SP 1901

UFLALavras –MG1908

UFRRJRio de Janeiro –RJ1911

UFC Fortaleza – CE 1918

UFPR Curitiba – PR 1918

UFRPERecife –PE1919

UFVViçosa –MG1928 FCAPBelém -PA1951

•213 ESCOLAS DE AGRONOMIA •46 DE ENGENHARIA FLORESTAL

•23 ENGENHARIA AGRÍCOLA

No Brasil

•1 ESCOLAS DE AGRONOMIA

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Em qualquer parte da Terra

Um homem estará sempre plantando

Recriando a Vida

Recomeçando o Mundo. Cora Coralina

“Formar profissionais e cidadãos para a Nação”

“Existência de uma nova ordem”

“Novo panorama energético” “Globalização e mudanças organizacionais”

Conjunturas nacional e internacional

Regionalização

Responsabilidade social Questão ambiental

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

•Formação básica sólida •Comprometimento social e ecológico

•Identificar e resolver problemas

•Capacidade de aprender a aprender

•Habilidade de se atualizar

• Ética

• Criatividade

•Análise crítica

•Empreendedorismo

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

• Iniciativa •Trabalho em equipe

• Comunicação

• Liderança

•Habilidades e qualidades pessoais

•Visão sistêmica

• Versatilidade

•Equilíbrio entre qualidade de vida e trabalho

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

• Agronegócio • Agricultura familiar

• Cooperativas

• Empresas

• Ensino

• Pesquisa

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

•Reforma agrária • Assessoramento técnico

•Movimentos sociais

• ONGs

• Planejamento estratégico

• Agroecologia

• Difusão tecnológica

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP

2 / outubro / 2009 20

• Biotecnologia • Energia (Biocombustíveis)

•Gestão pela Qualidade

• Informática

• Mecanização

• Logística

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

• Empreendedorismo •Agregação de valor

•Certificação e Rastreabilidade da Produção •Certifição de Laboratórios (ISO 17025)

• Marketing

•Envolvimento com politicas públicas

Alimen o, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

•Educação como bem público e não como serviço •Percepção da função social da universidade pública

•Formação articulada ao desenvolvimento nacional

•Adequação às diretrizes curriculares

•Mudanças funcionais na universidade

•Atenção constante à relevância e excelência

•Integração com a região

•Execução de atividades de campo

•Cumprimento de estágios

“Promover mudanças efetivas nas bases conceituais respeitando as atribuições e habilidades do profissional”

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

ÁREAS DE PESQUISAS Fontes Alternativas de Energia –Agroenergia

Biologia celular e molecular –Biotecnologia

Commodities Agrícolas (CEPEA)

Marcos Regulatórios das Cadeias Produtivas

Controle Biológico

Previsão da Produção –Modelos de Simulação

Agricultura Familiar

Agricultura de Precisão

Agronegócio e Agronegócio Familiar

Produção Animal Logística de Armazenamento e Transporte

Agroecologia

Agricultura Orgânica

Ambiente

Manejo de Faunas Silvestres

Gerenciamento de Recursos e Resíduos

Florestais

Biomassa

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Desenvolvimento sustentável é aquele que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem as suas próprias necessidades” Fonte: Relatório Brundtland, (ONU, 1987)

Econômico

AmbientalSocial

Principais conceitos Econômico

Ambiental Social

Empresa

Uso racional dos recursos

Responsabilidade Social

Recursos Sustentáveis

Competitividade & Credibilidade

Confiança

Transparência Reputação

Capital Impostos, Dividendos

Licenças

Funcionários Clientes Fornecedores Associações ONGs Comunidade Órgãos reguladores

ONGs Órgãos Reguladores

Acionistas Mercado de capitais

O aporte de nutrientes é necessário para a obtenção de altas produtividades:

sustentabilidade social, ambiental e econômica

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

BRASIL: CONSUMO DE FERTILIZANTES E CALCÁREO AGRÍCOLA (mil toneladas)

Produção de grãos (milhões t) Consumo de Fertilizantes (milhões t) Área Plantada com Grãos (milhões ha)

Fonte: IBGE/Anda

Fertillizantes + 140%

Área Plantada +32%

Produção + 113%

Fonte: Pró-Reitoria de Pesquisa

Fonte: Pró-Reitoria de Pesquisa

Em síntese: a formação de um engenheiro agrônomo com espírito de equipe e interativo com outros profissionais de diferentes áreas, ajustável em qualquer elo da cadeia agroalimentar, desde P&D e C&T do “antes da porteira” até os equipamentos varejistas.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Motivação para leitura do cotidiano

(o que se passa no mundo agora?) visando reduzir os custos da informação e da comunicação e elevando a capacidade preditiva e perceptiva (inteligência de mercado)

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

e obrigatoriedade da prática de iniciação científica e estágios (supervisionado, vivencial e profissionalizante) extra-classe para aprendizado imediato de planos de negócios, planejamento, missão, objetivos, metas, foco e visão, cultura organizacional e preparação adequada ao “day after” à formatura.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

O mundo não para por5 anosesperando a formação de um

Engenheiro Agrônomo.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 200939

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 200940

Nós Engenheiros Agrônomos, temos que mostrar a Sociedade que somos profissionais capazes de produzir com sustentabilidade

e responsabilidade sócio ambiental.

Este é o nosso tempo e é nosso o compromisso da construção do futuro e de contribuir para uma sociedade mais justa.

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Prêmio Nobel da Paz 1970

Pai da Revolução Verde

Norman Borlaug

Alimento, Energia e Meio Ambiente

Antonio Roque Dechen –ESALQ/USP 2 / outubro / 2009

Comentários