Prova do concurso rj 2010

Prova do concurso rj 2010

(Parte 1 de 4)

1.A prova terá duração de 4 (quatro) horas, considerando, inclusive, a marcação do CARTÃO-RESPOSTA .

2.Quando autorizado o início da prova, confira atentamente este caderno que contém 60 (sessenta) questões de múltipla escolha, cada uma com 4 (quatro) alternativas (A,B,C e D), distribuídas da seguinte forma:

3.Observe as seguintes recomendações relativas ao CARTÃO-RESPOSTA: pppppverifique, no seu cartão, o seu nome, o número de inscrição e o número de seu documento de identidade; pppppo CARTÃO-RESPOSTA será o único documento válido para correção eletrônica através de leitura ótica, e seu preenchimento e respectiva assinatura são de inteira responsabilidade do candidato; pppppa maneira correta de marcação das respostas é cobrir, fortemente, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta, o espaço correspondente à letra a ser assinalada, para assegurar a perfeita leitura ótica.

5.O candidato será automaticamente excluído do certame se for surpreendido:

ppppputilizando-se, no decorrer da prova, de qualquer tipo de consulta a material impresso, anotações ou similares, ou em comunicação verbal, escrita, ou gestual, com outro candidato; ppppputilizando aparelhos eletrônicos, tais como: bip, telefone celular, walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor/ transmissor, gravador, agenda eletrônica, máquina de calcular, máquina fotográfica, relógio digital com receptor. O telefone celular deverá permanecer desligado, desde o momento da entrada no local de prova, até a retirada do candidato do respectivo local.

6.O candidato somente poderá se retirar definitivamente do recinto de realização da prova, entregando o CARTÃO-RESPOSTA devidamente assinado, após decorrida 1 (uma) hora do início da prova. No entanto, só poderá levar o CADERNO DE QUESTÕES se deixar a sala faltanto 1 (uma) hora para o término do exame. Os exemplares não levados serão eliminados.

6.1o candidato que se retirar da sala de prova, antes do horário autorizado para levar o CADERNO DE QUESTÕES, não poderá retornar à sala para este fim.

7.Os três últimos candidatos deverão permanecer em sala, sendo liberados somente quando todos tiverem concluído a prova ou o tempo tenha se esgotado e tenham sido entregues todos os CARTÕES-RESPOSTA, sendo obrigatório o registro dos seus nomes na ata de aplicação de prova.

9.O gabarito da prova será publicado no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro, no segundo dia útil seguinte ao de realização da prova, estando disponível também, no site concursos.rio.rj.gov.br .

Boa Prova!

Concurso Público para provimento do cargo de

Específico da Disciplinade 01 a 35 Língua Portuguesade 36 a 50

Fundamentos Teórico-Metodológicos e Político-Filosóficos da Educaçãode 51 a 60

Concurso PúblicoSecretaria Municipal de Educação - SMESecretaria Municipal de Administração Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT

01.Segundo o Coletivo de Autores (1993), a avaliação do processo ensino-aprendizagem em Educação Física vem se configurando, cada vez mais, como um aspecto essencial do projeto pedagógico de cada escola. Isso ocorre porque o sentido da avaliação é fazer com que ela sirva de referência para:

(A)selecionar alunos para competições e apresentações, dentro e fora da escola, relacionadas ao projeto pedagógico

(B)apurar a frequência e a participação dos alunos nas aulas e nas atividades relacionadas ao projeto pedagógico

(C)analisar a aproximação ou distanciamento do eixo curricular que norteia o projeto pedagógico da escola

02.O esforço de negação do corpo na escola brasileira contém traços de uma sociedade marcada pela história da dominação. Atualmente, essa forma de dominação se encontra fortalecida por uma série de implicações para as diferentes manifestações corporais. A esse fato Marcuse (in Oliveira, 2006) denomina:

03.Observe a figura a seguir:

Admitindo que a menina que está com a posse de bola esteja se utilizando de uma técnica aprendida na escola, segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, no que diz respeito à relação entre prazer / técnica / interesse, ela está se utilizando do gesto aprendido na perspectiva do eixo motivacional:

(C)resolução de problemas

04.Segundo Gallahue (2001), no desenvolvimento perceptivo, crianças de aproximadamente dois anos de idade apresentam o aparato visual maduro. Isso significa que todos os aspectos anatômicos e fisiológicos do olho estão completos. Porém, uma criança nessa faixa etária é incapaz de interceptar uma bola arremessada com qualquer grau de controle. Isso acontece porque:

05.Observe a seguinte figura:

Admitindo que o aluno da figura acima esteja se preparando para executar uma bandeja e que não tem pleno domínio dessa habilidade do basquetebol, segundo Nozaki (in Faria Jr. 1999), o professor deve propor atividades que o façam experimentar a relação entre:

06.O processo de avaliação deve ser útil para as partes envolvidas (professores, alunos e escola) na aula de Educação Física. Para o professor, ela fornece elementos para uma reflexão sobre suas ações pedagógicas. Do ponto de vista do estudante, a avaliação deve ser entendida como:

(C)um meio para se classificar dentro de padrões préestabelecidos pelo professor

Secretaria Municipal de Administração Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGTConcurso PúblicoSecretaria Municipal de Educação - SME

07.Ao refletir sobre a “qualidade da inclusão do aluno na aula de

Educação Física”, Oliveira (2001) afirma que esta qualidade é comprometida, dentre outras coisas, pela falta de:

08.Mauro Betti (in Daólio, 2004) acredita que a Educação Física se constitui num sistema sociocultural e possui uma teleologia, ou seja, uma finalidade que é determinada por valores. O aluno adquire consciência dos motivos-fins da Educação Física quando constrói capacidade crítica para fazer escolhas e quando incorpora valores a sua personalidade e que estes valores, na Educação Física, se expressam em dois grandes princípios, que são:

09.Segundo Faria Jr. e Faria (in Faria Jr., 1999) resultados cineantropométricos de alunos pré-púberes podem ter implicações didático-pedagógicas tanto no planejamento do ensino como nas aulas propriamente ditas, possibilitando, dentre outras coisas, a adequação de materiais e espaços utilizados nas aulas de Educação Física. Os resultados que têm relação direta nas aulas são:

10.O primeiro período de vida da criança, que vai do nascimento até o surgimento da linguagem, do ponto de vista da inteligência, é denominado por Piaget (in Freire,1997) como sensório-motor. Nesse período, Piaget identificou três estágios, nomeados, respectivamente, como:

1.Para Farinatti (1995), ao elaborar um plano de aula para crianças de 08 anos, o professor de Educação Física deve levar em consideração as características psicofisiológicas dos alunos, a produção de energia requerida na atividade, assim como a sua continuidade. Sendo assim, a atividade mais adequada para esses alunos é:

12.O autoconceito é um aspecto importante do comportamento afetivo da criança. Ele é influenciado pelas experiências lúdicas que as crianças vivenciam em seu cotidiano. As atividades físicas podem contribuir efetivamente para a formação de um autoconceito positivo, por isso, professores de Educação Física necessitam estar atentos em desenvolver bons autoconceitos em seus estudantes. O professor também deve se preocupar com o potencial da atividade física para melhorar a autoestima dos estudantes. A autoestima, para Gallahue e Ozmun (2001), é definida como:

(D)o valor que o ser humano atribui a suas características peculiares, atributos e limitações

13.A Lei 8946/94 cria o Sistema Educacional Desportivo Brasileiro integrado ao Sistema Brasileiro de Desporto, materializando, com parcialidade, em um texto legal, um tema pedagógico com debate ainda polarizado na Educação Física Escolar brasileira, além de configurá-lo como política pública. Segundo Castellani Filho (1998), o debate materializado na lei diz respeito à discussão:

14.Na abordagem pedagógica denominada Desenvolvimentista, buscou-se uma caracterização da progressão normal do crescimento físico, desenvolvimento fisiológico, motor, cognitivo e afetivo-social. Os autores dessa abordagem defendem a ideia de que:

Concurso PúblicoSecretaria Municipal de Educação - SMESecretaria Municipal de Administração Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT

15.Segundo Hildebrandt (1986), no princípio da subjetivação do ensino e da aprendizagem, o aluno é o ponto de partida e o ponto central das reflexões didáticas. Sendo assim, os estilos de ensino adequados para garantir essa subjetivação são:

16.A abordagem pedagógica crítico-emancipatória (Kunz in

Darido, 2005), no ensino de Educação Física na escola, se expressa na contextualização de temas compreendidos pela cultura corporal, tais como jogo, esporte, ginástica, dança e capoeira. São esses os elementos culturais que formam os conteúdos. Essa abordagem propõe que os temas sejam ensinados utilizando-se uma sequência de estratégias denominada:

17.Em observância aos critérios de avaliação definidos pelos

Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação Física (1997), o critério que é dirigido ao 4º e 5º ano é:

(B)valorizar e apreciar diversas manifestações da cultura corporal, identificando suas possibilidades de lazer e aprendizagem

(C)interagir com seus colegas sem estigmatizar ou discriminar por razões físicas, sociais, culturais ou de gênero

18.Betti (in Daólio 2004), ao ampliar a ação pedagógica da

Educação Física para além da escola, considera também o atleta do clube e o cliente da academia. Para esse autor, existe um saber corporal da Educação Física que se expressa na dimensão do sentir e do relacionar-se, que leva o sujeito à sua autonomia. Para Betti esse “saber fazer” é denominado saber:

19.Observe as figuras a seguir:

Elas representam manifestações culturais de sociedades diferentes. Admitindo que estejam relacionadas com a diversidade cultural, com as tradições pedagógicas, com fatores climáticos, ambientais e topográficos, segundo Faria Jr. (in Faria Jr., 1999), na perspectiva da promoção da saúde, recebem a seguinte denominação:

(Parte 1 de 4)

Comentários