Biologia Molecular

Biologia Molecular

(Parte 1 de 3)

Universidade Federal Rural do Semi-Árido Departamento de Ciências Animais Biologia Molecular Aluna: Lara CandiceCosta de Morais

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise

Regulada

1.Mediada pelo Receptor Notch;

2.Ativada por Proteínas Wnt;

3.Ativada por Proteínas Hedgehog; 4.Via dependente da sinalização de NF-kB.

Sinalização em Plantas

1. Características Gerais;

2. Receptores Serinotreonino-quinases;

3.Etileno como ativador; 4. Fotoproteínas.

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

Atua no controle da escolha do destino das células durante o desenvolvimento - amplificação e consolidação de diferenças entre células vizinhas;

Formação das células nervosas em Drosophilas Inibição lateral.

Outros efeitos:

Induz comportamento similar entre células.

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

Inibição lateral em células nervosas de Drosophila

Depende de mecanismo de sinalização por contato mediado por proteína sinalizadora Delta;

Delta liga-se à Notch da célula vizinha e sinaliza para que ela não se diferencie em neural;

Obs.: Quando o processo é defeituoso, células neurais se acumulam.

Notch e Delta são proteínas unipasso que necessitam de processamento proteolítico para funcionar.

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

O receptor Notch sofre três clivagens proteolíticas:

No aparelho de Golgi, protease furina hidrolisa sítio 1, convertendo proteína em heterodímero;

A ligação entre Delta e Notch promove segunda hidrólise no sítio 2, mediada por protease diferente;

Uma terceira hidrólise libera cauda citoplasmática do receptor ativado;

Cauda citoplasmática migra para o núcleo, onde ativa a transcrição gênica;

No núcleo, cauda interage com proteína CSL convertendo-a de repressora a ativadora.

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

Atuam como mediadores locais no controle de aspectos do desenvolvimento;

Receptores pertencem à família Frizzled de transmembrânicas de sete passos;

Necessitam de proteínas sinalizadoras citoplasmáticas denominadas Dishevelled.

Regulação da proteólise da β-catenina Atua na regulação gênica e adesão célula-célula;

As Wnt ativam essa rota pela interação com Frizzled e LRP (proteína relacionada com receptor LDL).

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

Na ausência de sinalização por Wnt, a β-catenina encontra-se ligada à caderina nas junções aderentes célula-célula;

Auxiliam na ligação da caderina ao citoesqueleto de actina

As β-cateninas não associadas com caderinas são degradadas por complexo de degradação formado por três proteínas:

GSK-3β (glicogeniosintetase quinase-3β); APC (adenomatus polyposis coli);

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

Regulação da proteólise da β-catenina

No núcleo, genes-alvo da sinalização por Wnt são reprimidos por um complexo inibitório formado por proteínas da família LEF-1/TCF ligadas à proteína co-repressora Groucho;

A ligação de Wnt à Frizzled e à LRP inibe a fosforilação e degradação da β-catenina;

O acúmulo de β-catenina permite sua entrada no núcleo e ligação à LEF- 1/TCF,deslocando Groucho;

β-catenina atua como co-ativador, induzindo transcrição gênica.

Rotas de Sinalização Dependentes de Proteólise Regulada

ATIVADA POR PROTEÍNAS HEDGEHOG Atuam como mediadores locais nos processos de desenvolvimento;

Anormalidades no processo são letais (desenvolvimento) e podem levar ao câncer (adultas);

Sua forma ativa liga-se ao colesterol, restringindo sua difusão;

(Parte 1 de 3)

Comentários