Manual do Instrutor de Mergulho

Manual do Instrutor de Mergulho

(Parte 1 de 5)

CONTEÚDO DO MANUAL4
INTRODUÇÃO5
FINALIDADE7
OBJETIVOS DE DESEMPENHO7
OBJETIVOS DE CAPACITAÇÃO8
MÉTODO9
DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES PRÁTICAS9
MATERIAIS DIDÁTICOS10
AVALIAÇÃO DO PROCESSO EDUCACIONAL14
DESLIGAMENTO:19
ASPECTOS LEGAIS E REGULAMENTARES20
ASPECTOS GERAIS:23
BIBLIOGRAFIA25
ML – PA 0128
ML – PA 0236
ML – PA 034
ML – PA 0452
VC - Verificação Corrente52
ML – PA 0559
ML – PA 0667
ML – PA 0774
MA – PA 179
MA – PA 28
MA – PA 397
MA – PA 4106
MA – PA 5116
MA – PA 6127
MA – PA 7137
(PDRA – Teste de Tanque)145
MA – PA 8146
MA – PA 9155
MA – PA 10164
MA – PA 1174
VC - Pista com obstáculos submersos174
MA – PA 12182
MA – PA 13193
VC - Pista com obstáculos submersos193
MA – PA 14201

SUMÁRIO Atividade externa - Rio ............................................................................................ 201

MA – PA 15211
Avaliação - Teste de Tanque211
MA – PA 16220
MA – PA 17230
MA – PA 18239
MA – PA 19248
MA – PA 20258
MA – PA 21269
MA – PA 2278
MA – PA 23283
Mar - Qualificação a 30 m283
MA – PA 24292

Curso de Mergulho Autônomo LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS...............................................297

Gerson Cosme de SouzaConteúdo 4

Curso de Mergulho Autônomo

Introdução ao Manual 08 ML – PA 01 - Adaptação ao material básico 28 ML – PA 02 - Exercícios de apnéia 36 ML – PA 03 - Trabalhos submersos 4 ML – PA 04 - VC - Verificação Corrente 52 ML – PA 05 - Exercícios em ambiente aberto 59 ML – PA 06 - Mar - Qualificação do Merg. Livre 67 ML – PA 07 - Mar – Operações com bote inflável 74 MA – PA 1 - Adaptação em piscina e tanque 79 MA – PA 2 - Exercícios com subida livre 8 MA – PA 3 - Trabalhos submersos 97 MA – PA 4 - Exercícios de procura de objetos 106 MA – PA 5 - Trabalhos submersos e flutuação 116 MA – PA 6 - Montagens de operações de resgate 127 MA – PA 7 - Avaliação - Teste de Tanque 137 MA – PA 8 - Exercícios em represa 146 MA – PA 9 - Pista com obstáculos submersos 155 MA – PA 10 - Exercícios em represa 164 MA – PA 1 - VC - Pista com obstáculos 174 MA – PA 12 - Exercícios em represa 182 MA – PA 13 - VC - Pista com obstáculos 193 MA - PA 14 - Exercícios em ambiente aberto - rio 201 MA – PA 15 - Avaliação - Teste de Tanque 211 MA – PA 16 - Mar - Trabalho submerso 220 MA – PA 17 - Mar - Trabalho submerso noturno 230 MA – PA 18 - Mar - Mergulho em costeira 239 MA – PA 19 - Mar - Trabalho com Narguilê 248 MA – PA 20 - Mar - Operações de resgate 258 MA – PA 21 - Mar - Trabalho com Narguilê 269 MA – PA 2 - Mar - Rotinas de manutenção 278 MA – PA 23 - Mar - Qualificação a 30 m 283 MA – PA 24 - Mar - Rotinas de manutenção 292

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 5

Curso de Mergulho Autônomo

Este Manual é destinado aos instrutores e monitores de mergulho. Foi planejado para servir como um instrumento flexível, porém padronizador das atividades práticas de mergulhos livre e autônomo, que deverão ser ensinadas nos Cursos ou Estágios de Mergulho (CMAut ou EMA) do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo. Apresenta instruções a serem desenvolvidas em ambientes controlados, como piscinas e tanques de treinamento; e em ambientes externos, como lagoas, represas, rios, praias; e mar. Padroniza assuntos, métodos de ensino, e formas de avaliações, mas permite aos instrutores estruturarem seus cursos de acordo com as necessidades e circunstâncias de suas respectivas áreas geográficas. Para as atividades em ambiente controlado, teve como parâmetro de local de instrução, uma piscina padrão, denominada de agora em diante por “Tanque de mergulho”. O referido Tanque possui como dimensões as profundidades de 1,5m 3,0m e 6,0m, e os comprimentos de 3,0m 1,0m e 3,0m, respectivos a cada profundidade. Tais especificações são apresentadas na Monografia do Cap PM.ZAMPIERI em monografia do CAO – 2005.

Para atividades em mar, os planos de aula desenvolvidos tiveram por parâmetro a execução de exercícios nas praias e costeiras da Ilha Anchieta, levando-se em consideração a infra-estrutura lá existente.

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 6

Curso de Mergulho Autônomo

Este Manual tem por objetivo apresentar aos instrutores informações que proporcionem facilidades em relação a:

1. Analisar os Planos de Unidades Didáticas (PUD) determinados pelo Centro de

Ensino e Instrução do Bombeiro (CEIB), normas e diretrizes em vigor, estabelecer planejamento e execução adequados, e dar devida estrutura a um Curso de Mergulho Autônomo (CMAut) ou Estágio de Mergulho Autônomo (EMA) em sua área, quanto aos aspectos de: a) Finalidade, métodos a serem adotados e objetivos de desempenho; b) Materiais que serão utilizados no curso, detalhes logísticos e de agenda; c) Locais e tipos de instrução, com respectivos planos de segurança. d) Formas de seleção dos candidatos e de avaliação dos alunos; 2. Elaborar planejamento de cursos e estágios, determinando: a. Calendários de aulas; b. Material didático, meios e equipamentos necessários; 3. Coordenar cursos, controlando: a. Registros diários de aula; b. Quadro de Trabalho semanal; c. Documentos administrativos; 4. Ministrar aulas, executando planos de aulas e planos de segurança.

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 7

Curso de Mergulho Autônomo

A finalidade do presente Manual é proporcionar ao instrutor a possibilidade de atuar como um agente facilitador do ensino de mergulho, oferecendo aos participantes, conhecimentos e habilidades necessárias para o planejamento, preparação e execução de trabalhos submersos, atuando no atendimento de ocorrências de mergulho, de forma segura e dentro dos padrões de eficiência e perfeição que a tarefa exige.

Ao final do curso, os participantes deverão estar aptos a desenvolver atividades de mergulho profissional, executando trabalhos em ambientes sob pressões hiperbáricas, tanto em águas límpidas como em águas escuras, com equipamentos autônomos de circuito aberto, e com equipamento de mergulho dependente leve, obedecendo aos limites de segurança que os equipamentos permitem. Os alunos de mergulho do CB devem desenvolver habilidades como: 1) Saber manusear ferramentas e chaves diversas, como ferramentas de corte, de impacto, de medição, de apertar parafusos; 2) Saber manusear equipamentos como aparelhos de salvatagem e resgate, equipamentos de mergulho autônomo e dependente, consoles com manômetros, bússolas, para orientação sub aquática, entre outros; 3) Saber manusear cabos diversos, de nylon, de aço, lingas metálicas, efetuando trabalhos de amarração, tração, etc. 4) Saber manusear, movimentar e transportar objetos, componentes diversos, corpos de cadáveres, do fundo para local seguro na superfície da água;

Ao finalizar o curso, o mergulhador formado deve ser capaz de: 1) Preparar todos os equipamentos e materiais utilizados por uma equipe para cumprir uma missão de mergulho; 2) Descrever a forma de receber e registrar uma solicitação de auxílio, informar os dados da situação e avaliar a necessidade de auxílio adicional;

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 8

Curso de Mergulho Autônomo

3) Avaliar os locais de ocorrência e determinar os procedimentos correspondentes a cada caso, utilizando-se de materiais e equipamentos adequados; 4) Listar as ações para cuidar da segurança no local da emergência e montar um Plano de segurança, levando-se em conta a profundidade do mergulho e as condições de risco; 5) Elaborar relatório e demais registros relativos ao atendimento de trabalhos submersos utilizando-se de termos técnicos apropriados.

Ao finalizar o curso, o participante será capaz de: 1) Planejar operações de mergulho e devidos planos de segurança; 2) Preparar todos os equipamentos e materiais necessários a serem utilizados por uma equipe para cumprir uma missão de mergulho; 3) Receber e registrar uma solicitação de ocorrência para atividade de mergulho, informar os dados da situação e avaliar a necessidade de auxílio adicional; 4) Avaliar os locais de ocorrência e determinar os procedimentos correspondentes a cada caso, utilizando-se de materiais e equipamentos adequados; 5) Listar as ações para cuidar da segurança no local da emergência e montar um Plano de Segurança, levando-se em conta a profundidade do mergulho e as condições de risco; 6) Executar operações de resgate e salvatagem em ambientes submersos; 7) Utilizar de forma adequada os equipamentos de mergulho e demais equipamentos de resgate e salvatagem; 8) Elaborar relatório e demais registros relativos ao atendimento de mergulho.

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 9

Curso de Mergulho Autônomo

O método de ensino será o de capacitação para adultos, de acordo com a metodologia implantada através do Curso de Capacitação para Instrutores (CPI) do convênio estabelecido entre as agências internacionais OFDA/USAID e o Corpo de Bombeiros de MIAMI – EUA, representada no Brasil pela Universidade de Santa Catarina (UDESC) em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) e Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do estado de São Paulo (CB-PMESP). Os instrutores são formados em Curso de |Mergulho autônomo, homologado pela Delegacia de Portos e Costas (DPC) da Marinha do Brasil.

Dia da Semana Horas / Aula

2ª feira 08 3ª feira 08 4ª feira 08 5ª feira 08 6ª feira 05

TOTAL 37

O meio período de aula de 6ª feira poderá ser deslocado para outro dia da semana, conforme necessidade.

1) Os planos de aula foram desenvolvidos contendo graus crescentes de dificuldade, sendo aconselhável que sejam seguidos em sua numeração seqüencial; 2) Foram planejadas 4 h/a de aulas práticas por dia, a serem desenvolvidas tanto para as aulas de mergulho livre, como de mergulho autônomo, exceto para as atividades em ambiente externo e para as atividades de VC.

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 10

Curso de Mergulho Autônomo

3) Será necessário que a coordenação do curso, ao planejar o calendário de aulas faça previsão de tempos livres, para que o aluno fique à disposição da Divisão de Ensino (DE) para a aula inaugural, antes das VC práticas e antes dos exercícios das atividades externas; 4) A carga horária diária proposta leva em conta as necessidades de atendimento ao período do curso, de 6 semanas, sendo que a prática de mergulho possui uma carga horária de 116 horas, sendo 20 h/a de prática de mergulho livre e 96 h/a de prática de mergulho autônomo; 5) A atividade de mergulho livre necessitará de 1 h/a antecedendo a VC prática, visando preparar materiais p/ avaliação, a atividade de mergulho autônomo necessitará de tempos livres antecedendo as atividades de testes de Tanque e antecedendo deslocamentos para atividades externas em rio, represa e mar.

Para fins de referência, para os materiais didáticos serão adotadas as seguintes siglas e abreviaturas: MP = Manual do Participante: contem as lições correspondentes ao Curso de

Mergulho autônomo dos alunos;

MD = Material de Distribuição: utilizados durante a instrução para exercícios, apontamentos;

MR = Material de Referência: POP, Manual de Mergulho, livros, recomendados pelo instrutor como complemento ao aprendizado.

LRM = Livro Registro de Mergulho: caderneta de mergulho do aluno onde se registram os mergulhos executados;

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 1

Curso de Mergulho Autônomo

FRM = Folha Registro de mergulho: Folha de anotações, onde se registram os mergulhos dos alunos para posterior registro no LRM individual de cada participante;

PDRA = Planilha Diagnóstico de Rendimento de Aluno: Planilha de anotações onde se registram os exercícios e atividades submersas executadas pelos alunos, para fins de análise, avaliação e arquivo, para fins de futuras consultas;

Outras referências: TR = Transparências; PG = Papelógrafo (Flip Sharp)

Os principais materiais didáticos se compõem de equipamentos de mergulho, apontamentos de documentação, equipamentos de carregamento de cilindros, meios de transporte, embarcações e materiais de salvatagem, utilizados em ocorrências de bombeiro, em atividades de mergulho. A NOTA DE INSTRUÇÃO Nº CEIB-01/62/0, estabeleceu em um de seus 15 anexos, os requisitos básicos para realização de Cursos ou Estágios de mergulho no CB:

REQUISITOS MÍNIMOS PARA REALIZAÇÃO DE INSTRUÇÃO Requisitos Básicos Número máximo de alunos por turma: 16 (dezesseis) alunos

06 m de espessura (linha de vida)

Material necessário por aluno: Máscara autônoma, snorkel, nadadeira, cinto lastro com doz Kg, faca de mergulho, roupa de neopreme (se possível duas peças) 5mm, capuz de neopreme, luva de couro (vaqueta), 2 (dois) cilindros de 12 (doze) litros com registro sem reserva “K”, Regulador contendo: válvula reguladora de 1º estágio, regular de 2º estágio principal, regulador de 2º estágio reserva (octopus), console com manômetro com manômetro e profundímetro (deve possuir termômetro), Regulador blindado e úmido, colete equilibrador, bússola de pulso, lanterna de mergulho de pilha ou recarregável, uma principal e uma secundária, cabo da vida, corda 10 metros com

Material necessário para o desenvolvimento da instrução: Roupa seca, back-pack com tirantes, cilindros de ar reserva para cada aluno e instrutor, manômetro de superfície, cronômetro, 06 bombonas de LGE ou semelhante, cordas de nylon de diferentes bitolas e comprimentos, LPS (02 tambores, 02 câmeras de ar, 02 bombonas de LGE, manilhas, poitas 10 de 5 Kg, compressor de ar, piper (canos), flanges, quebra, encaixa pinos, parafusos com porcas). Kit de Primeiros Socorros: (equipamento portátil de oxigênio com máscara e cateter cilindro reserva, cânulas de quedel de tamanhos diferentes, ambu adulto e infantil prancha longo com tirantes colares cervicais (P, M, G) luvas cirúrgicas, 01 (um) Ked, 01 (um) sked, 01 (um) estetoscópio, 01 (um) esfigmomanômetro, termômetro, talas

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 12

Curso de Mergulho Autônomo moldáveis, talas rígidas, talas infláveis, 08 (oito) plástico eviscerado e queimadura, 02 (dois) esparadrapo, 04 quatro bandagens triangulares, 01 (um) pacote de atadura de crepe, 04 (quatro)fitas crepe, 01 (um) pacote de gaze, 02 (duas) tesouras sem pontas, 02 (duas) pinças com trava, 06 (seis) bisturis esterilizamos, 01 (um) estilete, 10 (dez) agulhas esterilizadas, 01 (uma) lanterna de pupila, 04 (quatro) frascos de soro fisiológicos, 01 (um) sabão neutro e escova, 01 (um) frasco de povidone,04 (quatro ) cobertores aluminizados, 01 (uma) bolsa de água quente, 01 (um) frasco de vinagre. Embarcação: 04 botes infláveis, 04 motores de popa de 25 HP (mínio), 04 tanques de combustível, 05 mangueiras com pera, gasolina e óleo 2T, 8 pares de remo, 04 foles com mangueira, 04 carretas, ferramentas para motor, cordas para poita (mastro com bandeira)

Meios audiovisuais necessários: Quadro branco e caneta, TV, Vídeo, projetor de slides retroprojetor, datashow, filmes slide, papelógrafo, apostilas, livros didáticos, xerox de textos e tabelas, manequim do corpo humano (ossos, órgãos, sistema respiratório, sistema circulatório, sistema auditivo), prancheta subaquática.

Local para desenvolvimento da instrução: Quartel do CB com piscina, alojamento, vestiário e refeitório; Sala de aula; Sala com compressor de ar para recarga de cilindros; Tanque de mergulho com mínimo 06 metros de profundidade podendo ser incorporado à piscina; e Sala de equipamentos e oficina.

Requisitos para o instrutor: a) Possuir curso de Mergulho autônomo realizado no CB ou Marinha do Brasil; b) Ter participado de pelo menos 04 (quatro) curso como monitor; c) Estar com exame médico em dia; d) Ter sido aprovado em exame de homologação junto; e) Ter CPI (Curso de Capacitação de Instrutor preferencialmente) e; f) Ter o curso de Instrutor de Mergulho (preferencialmente).

Podem ser utilizados como “Meios Auxiliares de instrução” (MAI) os materiais e equipamentos didáticos de fácil aquisição, de baixo custo, robustos em resistência e que sejam de fácil reposição. Bóias de sinalização podem ser substituídas por bombonas plásticas cheias de ar e hermeticamente fechadas; como suporte, pode-se costurar mangueiras velhas de combate a incêndio.

Podem ser feitas poitas aproveitando-se bombonas plásticas velhas, cheias de concreto e para as alças podem-se utilizar vergalhões de ferro; pipers podem ser elaborados com canos galvanizados com diâmetro de uma polegada, ou similares, com roscas e junções (luvas, uniões em “t”, niples, cotovelos, etc) adquiridos no comércio local; Flanges podem ser adquiridos em algum ferro-velho, ou por meio de doações de empresas que possuam sucatas - resultantes de reposição por manutenção de tubulações industriais; e os materiais e equipamentos de salvatagem podem ser separados entre os que se utiliza no dia

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 13

Curso de Mergulho Autônomo a dia pelas guarnições de Bombeiros, em atendimento ocorrências de mergulho: lingas de aço, manilhas, roldanas e moitões, etc.

Em relação ao material necessário por aluno, a N I determina: Material necessário por aluno:

Máscara autônoma, snorkel, nadadeira, cinto lastro com doz Kg, faca de mergulho, roupa de neopreme (se possível duas peças) 5mm, capuz de neopreme, luva de couro (vaqueta), 2 (dois) cilindros de 12 (doze) litros com registro sem reserva “K”, Regulador contendo: válvula reguladora de 1º estágio, regular de 2º estágio principal, regulador de 2º estágio reserva (octopus), console com manômetro com manômetro e profundímetro (deve possuir termômetro), Regulador blindado e úmido, colete equilibrador, bússola de pulso, lanterna de mergulho de pilha ou recarregável, uma principal e uma secundária, cabo da vida, corda 10 metros com 06 m de espessura (linha de vida).

Gerson Cosme de SouzaMI – Introdução 14

Curso de Mergulho Autônomo

(Parte 1 de 5)

Comentários