Tubulações 2

Tubulações 2

(Parte 1 de 10)

ÍNDICE ANALÍTICO VOLUME 2

1. CONEXÕES DE FERRO MALEÁVEL 59

1.1. INTRODUÇÃO 59 1.2. PRINCIPAIS FABRICANTES 59 1.3. CONEXÕES DE FERRO MALEÁVEL CLASSE 10 – ROSCA BSP 60 1.3.1. TABELA DE PRESSÃO 62 1.3.2. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 60 1.3.3. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 60 1.3.4. APLICAÇÃO 60 1.4. TABELA DIMENSIONAL 61

2. CONEXÕES DE FERRO MALEÁVEL CLASSE 150 – ROSCA NPT 72

2.1. TABELA DE PRESSÃO 72 2.1.1. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 72 2.1.2. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 72 2.1.3. APLICAÇÃO 72 2.2. TABELA DIMENSIONAL 73

3. CONEXÕES DE FERRO MALEÁVEL CLASSE 20 – ROSCA NPT 78

3.1. PRESSÃO DE SERVIÇO – ASME / ANSI B16.3 78 3.2. PRESSÃO DE SERVIÇO – ASME / ANSI B16.39 78 3.3. PRESSÃO DE SERVIÇO – NBR 6925 78 3.4. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 79 3.5. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 79 3.6. APLICAÇÃO 79 3.7. TABELA DIMENSIONAL 79 3.8. EXEMPLO DE LISTA DE MATERIAL 83

4. CONEXÕES DE AÇO FORJADO 85

4.1. INTRODUÇÃO 85 4.2. PRINCIPAIS FABRICANTES 85 4.3. NORMAS DE FABRICAÇÃO 86 4.4. CORRELAÇÃO ENTRE TUBO E CONEXÃO 86 4.5. TABELA DIMENSIONAL - CLASSE 2000# - ROSCADO 86 4.5.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 87 4.6. TABELA DIMENSIONAL - CLASSE 3000# - ROSCADO 87 4.6.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 8 4.7. TABELA DIMENSIONAL - CLASSE 6000# - ROSCADO 8 4.7.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 8 4.8. BUCHA DE REDUÇÃO E BUJÃO 89 4.8.1. EXEMPLO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 89 4.9. UNIÃO ROSCADO - CLASSES 2000# E 3000# 90 4.9.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 90 4.10. UNIÃO ROSCADO - CLASSE 6000# 90 4.10.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 91 4.1. TABELA DIMENSIONAL - CLASSE 3000# - ENCAIXE E SOLDA 91 4.1.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 92 4.12. TABELA DIMENSIONAL - CLASSE 6000# - ENCAIXE E SOLDA 92 4.12.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 92 4.13. UNIÃO ENCAIXE E SOLDA - CLASSE 3000# 93

4.13.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 93 4.14. UNIÃO ENCAIXE E SOLDA - CLASSE 6000# 93 4.14.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 94 4.15. REDUÇÃO DE ENCAIXE 94 4.15.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 94 4.16. COLAR DE TOPO - STANDARD E EXTRA-FORTE 94 4.16.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 95 4.17. COLAR ROSCADO - CLASSES 3000# E 6000# 95 4.17.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 95 4.18. COLAR DE ENCAIXE E SOLDA - STANDARD E SCH 160 95 4.18.1. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 96 4.19. COLAR DE TOPO DE REDUÇÃO - STANDARD E EXTRA-FORTE 96 4.20. COLAR ROSCADO DE REDUÇÃO - CLASSE 3000# 96 4.21. COLAR ROSCADO DE REDUÇÃO - CLASSE 6000# 97 4.2. COLAR ENCAIXE E SOLDA DE REDUÇÃO - STANDARD E EXTRA-FORTE 97 4.23. COLAR ENCAIXE E SOLDA DE REDUÇÃO - SCH 160 97 4.24. EXEMPLOS DE LISTA DE MATERIAL 98

5. CONEXÕES TUBULARES DE AÇO FORJADO 100

5.1. INTRODUÇÃO 100 5.2. PRINCIPAIS FABRICANTES 100 5.3. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 100 5.4. APLICAÇÕES 101 5.5. DIMENSÕES CONFORME ASME / ANSI B16.9 E B16.28 101 5.6. EXEMPLO DE LISTA DE MATERIAL 110

6. CONEXÕES DE AÇO INOXIDÁVEL 112

6.1. DIMENSÕES CONFORME ASME / ANSI B16.9 E B16.28 112 6.2. PESTANAS - MSS-SP 43 119 6.2.1. EXEMPLO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 119 6.3. PESTANAS - ASME /ANSI B16.9 120 6.3.1. EXEMPLO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 121 6.4. EXEMPLO DE LISTA DE MATERIAL 121

7. TUBOS E CONEXÕES DE FERRO FUNDIDO 122

7.1. INTRODUÇÃO 122 7.2. TABELA DE PRESSÃO – TUBOS PONTA E BOLSA 122 7.3. TABELA DE PRESSÃO – TUBOS COM FLANGES 123 7.4. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 123 7.5. APLICAÇÃO 123 7.6. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 123 7.7. TUBOS DE SÉRIE K7 124 7.8. TUBOS DA SÉRIE K9 125 7.9. TUBOS E CONEXÕES DE FERRO FUNDIDO 125 7.10. EXEMPLO DE LISTA DE MATERIAL 138

8. FLANGES 139

8.1. INTRODUÇÃO 139 8.2. PRINCIPAIS FABRICANTES 139 8.3. FLANGES CONFORME A NORMA ANSI 139 8.4. AÇO CARBONO PARA FLANGES 140 8.5. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 140

8.6. TABELA DE DIMENSÕES - CLASSES 125# E 150# 141 8.7. TABELA DE DIMENSÕES - CLASSES 250# E 300# 142 8.8. TABELA DE DIMENSÕES - FLANGES DE REDUÇÃO 143 8.9. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 143 8.10. FLANGES CONFORME NORMA DIN 143 8.1. DIMENSÕES DOS FLANGES CONFORME NORMA DIN PN10 144 8.12. DIMENSÕES DOS FLANGES CONFORME NORMA DIN PN16 145 8.13. DIMENSÕES DOS FLANGES CONFORME NORMA DIN PN25 146 8.14. DIMENSÕES DOS FLANGES CONFORME NORMA DIN PN40 147 8.15. EXEMPLO DE LISTA DE MATERIAL 148

9. CONEXÕES GOMADAS DE AÇO CARBONO 149

9.1. INTRODUÇÃO 149 9.2. PRINCIPAIS FABRICANTES 149 9.3. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 149 9.4. APLICAÇÕES 149 9.5. TABELA DE DIMENSÕES CONFORME AWWA C208 149 9.6. EXEMPLO DE APLICAÇÃO 175 9.7. EXEMPLO DE LISTA DE MATERIAL 176

10. OUTRAS CONEXÕES 178

10.1. INTRODUÇÃO 178 10.2. ENGATES RÁPIDOS 178 10.3. PRINCIPAIS FABRICANTES 178 10.4. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 178 10.5. BICO ESCALONADO OU BICO ESPIGÃO 179 10.6. PRINCIPAIS FABRICANTES 179 10.7. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 180 10.8. TERMINAIS PARA MANGUEIRAS 180 10.9. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 181 10.10. CONEXÕES COM ANEL DE CRAVAÇÃO 181 10.1. LIGAÇÕES RECOMENDADAS 181 10.12. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 181 10.13. PRINCIPAIS FABRICANTES 181 10.14. ACOPLAMENTOS AWWA C606 182 10.15. EXEMPLOS DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 182 10.16. PRINCIPAIS FABRICANTES 182

1. CONEXÕES DE FERRO MALEÁVEL

1.1. Introdução

São conexões obtidas pela fusão e moldagem do ferro que após tratamento térmico adequado adquire a qualidade da maleabilidade. A zincagem, quando aplicada, é realizada a quente e a usinagem das roscas é executada por máquinas automáticas. Esse tipo de material é impróprio para solda, por essa razão só encontramos essas conexões fabricadas com extremidades para ligações roscadas. No mercado encontramos duas classes de conexões de ferro maleável, a classe 10 (150#) e a classe 20 (300#). As conexões da classe 10 também são conhecidas como conexões de baixa pressão e são apresentadas com roscas com dimensões conforme a norma NBR 6414 (BSP), idêntica às normas DIN 2999 e ISO 7/1 e são apropriadas para tubos com dimensões conforme a norma NBR 5580 ou conforme as normas DIN. Também podemos encontrar no mercado as conexões de baixa pressão com roscas com dimensões conforme a norma ASME / ANSI B1.20.1 (NPT) que são apropriadas para tubos com dimensões conforme as normas NBR 5590 ou tubos com dimensões conforme as normas ASME / ANSI B36.10 e ASME / ANSI B36.19. As conexões da classe 20 também são conhecidas como conexões de média pressão e são apresentadas com roscas com dimensões conforme a norma ASME / ANSI B1.20.1 (NPT) que são apropriadas para tubos com dimensões conforme as normas NBR 5590 ou tubos com dimensões conforme as normas ASME / ANSI B36.10 e ASME / ANSI B36.19.

1.2. Principais fabricantes

Indústria de Fundição Tupy Ltda.

Rua Albano Schmidt, 3400 89206-900 - Joinville - SC Página: w.tupy.com.br

Amanco Brasil S. A.

Rua Barra Velha,100 89210-600 - Joinville - SC Página: w.amanco.com.br

1.3. Conexões de ferro maleável classe 10 – Rosca BSP

1.3.1. Tabela de pressão

Pressão de Serviço – DIN 2950 e ISO 49 Pressão de Teste

Temperatura Até 120ºC Até 300ºC Ambiente

Psi 360 290 1500

Kgf/cm2 25 20 100 Pressão kPa 2480 2000 10340 Diâmetro Nominal 1/4” a 6” (6 a 150mm)

1.3.2. Especificação técnica

Ferro Maleável Preto NBR 6590 - ISO 5922 Material Ferro Maleável Branco NBR 6914 - DIN 1692 Dimensões NBR 6943 - DIN 2950 - ISO 49 Rosca BSP – Whitworth Gas NBR 6414 - DIN 2999 - ISO 7/1 Galvanização a fogo NBR 6323 - DIN 2444 - ISO 49

1.3.3. Exemplos de especificação técnica:

· Conexões de ferro maleável preto NBR 6950, classe 10, dimensões conforme NBR 6943, galvanizadas conforme NBR 6323, extremidades roscadas conforme NBR 6414 (BSP).

• Conexões de ferro maleável preto NBR 6950, classe 10, dimensões conforme NBR 6943, acabamento preto, extremidades roscadas conforme NBR 6414 (BSP).

• Conexões de ferro maleável preto ISO 5922, classe 10, dimensões conforme ISO 49, galvanizadas conforme ISO 49, extremidades roscadas conforme ISO 7/1.

• Conexões de ferro maleável branco DIN 1692, classe 10, dimensões conforme DIN 2950, extremidades roscadas conforme DIN 2999, galvanizadas conforme DIN 2444.

1.3.4. Aplicação

Acabamento preto

Aplicações em geral em água, óleo e gás (WOG) em instalações comerciais e industriais. Exemplo: Óleo diesel, álcool, oxigênio, vapor, condensado, água de resfriamento, água gelada, água com temperatura acima de 60ºC e outras aplicações. Recomendação: Proteger externamente a tubulação

Acabamento galvanizado

Aplicações em geral em água, óleo e gás (WOG) em instalações residenciais, comerciais e industriais. Exemplo: Água potável, ar comprimido, redes de combate ao incêndio, gás, gasolina, álcool, óleo diesel, redes de refrigeração e outras aplicações onde se necessita proteção interna contra corrosão.

1.4. Tabela dimensional

(Parte 1 de 10)

Comentários